Série “Condimentos, Ervas, Especiarias e Temperos”

Atitudes para sua vida, saúde e bem estar!

Não dá para negar, o sal é o tempero mais popular do mundo. Além de dar um gostinho a mais no prato, ele ajuda a equilibrar as células e transmitir impulsos nervosos. Porém, o consumo de sal em excesso pode gerar diversos problemas à saúde, como aumento do risco de hipertensão, doenças cardiovasculares, derrame cerebral, osteoporose, câncer no estômago, catarata…O ideal é consumir até 2 gramas de sódio diariamente.

O segredo está então em substituir o restante por condimentos, temperos,  ervas aromáticas e especiarias que, além de dar sabor aos alimentos, proporcionam também benefícios ao organismo.

As palavras tempero e temperança, cuja raiz é a mesma, significam moderação, equilíbrio, auto-controle… Todas elas qualidades preciosas tanto na vida como na culinária.

A dose certa de tempero pode acrescentar sabor, valorizar e dar brilho a determinado “prato” ou circunstância e pode, também, tornar mais brando algo que não devia ser evidenciado.

Condimento ou tempero é a substância (erva, raízes, especiaria, sal, pimenta, colorau, etc.) que é acrescentada a um alimento (antes, durante ou após o seu preparo, ou ainda na sua degustação), para emprestar-lhe sabor,aroma, cor ou realçar o seu paladar.

A exata definição de o que é ou não um condimento varia. Algumas definições incluem especiarias e ervas, incluindo sal e pimenta, usando o termo condimento tanto quanto a palavra tempero. Outros restringem a definição para somente “compostos alimentares preparados, contendo uma ou mais especiarias”, que podem ser adicionados à comida após o processo de cozimento, como mostarda, ketchup ou molho de menta.

A utilização dos condimentos é muito variável, de acordo com hábitos e tradições das regiões mundiais. A maioria destes ingredientes tem como origem o Oriente, a Europa e as Américas.

A princípio, o sal, as ervas e especiarias foram e ainda são, utilizadas para conservar os alimentos.

Paracelso, médico e alquimista suíço, que viveu nos anos 1400-1500, foi quem disse que “a dose certa diferencia o veneno do remédio”.

Se na culinária aplicarmos o mesmo princípio, teremos o mesmo resultado. Muito tempero pode estragar, ou “envenenar” a comida. No entanto, uma comida sem qualquer tempero, além de insossa, poderá ser intragável.

Importante ressaltar que cada cultura tem a sua dose de tempero. Há os que vivem com mais paixão e fervor, e há também os mais discretos, que gostam de passar despercebidos. São comportamentos e gostos imbuídos de hábitos culturais.

Não podemos deixar de notar as especiarias nos pratos indianos e a pimenta nos mexicanos, assim como não sentimos o gosto do sal ou de temperos no arroz japonês…pois este arroz precisa contrastar com os legumes crocantes e os molhos agridoces, tão presentes na culinária nipônica.

Ter a sensibilidade ao notar que é preciso temperar um alimento, e acertar a dose, fará cada receita mais forte e saborosa. Dizem que este é um dos “dons” naturais dos grandes “chefs du cuisine”. Alguns nascem com esta capacidade, outros tantos estudam e aprendem como empregar as combinações entre os condimentos e temperos.

Devemos ter atenção, pois os temperos industrializados vêm carregados de sódio que elevam a pressão arterial e causam outras complicações. Portanto, vamos falar um pouco dos benefícios dos temperos naturais que substituem o sal de cozinha. Se possível utilize temperos frescos, in natura, ou então secos, mas de origem comprovada.

As ervas podem ser usadas em todas as preparações e refeições dando um sabor diferenciado aos alimentos. Uma das principais vantagens é o fato de os temperos serem ricos em substâncias antioxidantes prevenindo contra o envelhecimento precoce, auxiliando na melhora da circulação sanguínea, na digestão e são excelentes para o bom funcionamento do nosso organismo.

Entender a utilização dos temperos e condimentos, a temperança dos sabores do mundo, é a receita de sucesso para a culinária, para a boa saúde. Aprender a viver com temperança é o caminho certo para uma existência mais equilibrada e feliz.

Vamos conhecer os tipos de ervas e temperos, os condimentos, lugares para encontrar estes ingredientes, como fazer uma pequena horta de ervas e temperos, e apresentar estas informações em uma série de posts aqui no blog Colher de Pau. É importante ressaltar que nenhuma especiaria é um remédio em si. E que os excessos, em qualquer caso, podem ser prejudiciais à saúde!

Veja informações sobre eles e já comece a incluí-los em suas receitas:

Colher de Pau. É importante ressaltar que nenhuma especiaria é um remédio em si. E que os excessos, em qualquer caso, podem ser prejudiciais à saúde!

Veja informações sobre eles e já comece a incluí-los em suas receitas:

Nome Origem, descrição e benefícios Utilização
Açafrão Digestivo, anti-inflamatório e laxante suave.

Espanha, Grécia, Irã e Itália produzem açafrão de boa qualidade. O açafrão, como muitas das especiarias, têm classificações, o “Sargol” iraniano e o “Coupe” espanhol são considerados os melhores. Há ainda o mais raro e mais caro açafrão da região do Himalaia.Ele é cultivado desde 2.300 AC e já foi usado como cosmético, Cleópatra lavava seu rosto com ele, como corante e na medicina. Tem cor avermelhada, sendo um dos temperos mais caros, pois é o estigma(pistilo) de uma flor. O melhor açafrão é de cor vermelho intenso, sem traços amarelados ou brancos.

Essencial em paellas, risotos, sopas e pratos tradicionais do mediterrâneo e Europa.

Combina com arroz, batatas, ovos, cogumelos, etc.

É normalmente mais utilizado com carnes brancas para que sua cor sobresaia: frango, frutos do mar e peixes. Mas seus aromas e sabores combinam com todas as carnes.

Pode ser usado também para fazer bolos, pães e biscoitos.

Na cozinha indiana e de alguns países árabes ele aromatiza sobremesas cremosas como arroz doce, sorvetes, caramelos, etc.

O açafrão em filamentos  deve ser adicionado a um líquido para que solte sua cor, aroma e sabor. Para melhor extração deixe-o de molho por aproximadamente 15 minutos antes do preparo do prato.

Alecrim É antioxidante (ou seja, retarda o envelhecimento) e diurética. Também protege contra o câncer e auxilia a digestão, é estimulante, ativador da circulação sanguínea, antidepressivo e antisséptico. carnes, marinados, refogados de legumes e frutos do mar

Alho Além de ter propriedade anti-inflamatória, antibacteriana, antiviral, antifúngica e diurética, os dentes de alho ainda aliviam tosses, bronquite e resfriados. Melhora a circulação sanguínea, purifica o sangue e previne alguns tipos de câncer, principalmente o de estômago. Auxilia no sistema imunológico. carnes, frangos, refogados,  molhos de tomate
Canela Anti-inflamatória, antioxidante, antimicrobiana. A canela possui uma série de benefícios. Ele ajuda a prevenir e combater o diabetes, controlando os níveis de açúcar no sangue e aumentando a sensibilidade à insulina. Esta especiaria originária da Ásia, mais precisamente do Sri Lanka, também contribui para o emagrecimento por ter uma ação termogênica. Estudos apontam que a canela ajuda a diminuir o colesterol total e o ruim, LDL, e também os níveis de triglicérides.

 

A Canela do Ceilão (Canela-da-Índia) é mais adequada para doces, por ser mais delicada e a Cássia (Canela-da-China ou Canela Saigon) para salgados. Mas isso não é uma regra, no Brasil e na maioria dos países a Cássia é usada para tudo.

Para diferenciar:

Canela do Ceilão (Canela-da-Índia)

é considerada a canela verdadeira e possui um óleo essencial que a distingue da cássia, dando-lhe um toque de cravo. Seu sabor e aroma são considerados mais complexos.
O ramo(pau) da Canela-da-Índia é bem delicado e se parte com facilidade. Ele tem mais camadas que são bem finas e enroladas bem firmes. É moído facilmente em moedor elétrico.

Cássia (Canela-da-China ou Canela Saigon)

O  ramo (pau) da Cássia,  é mais grosseiro, mais escuro e mais duro. Pode ser vendido com a parte externa, que é esbranquiçada. É difícil de ser moída em casa.
Como utilizar:

Em pau, ela deve ser cozida em líquidos e é muito útil quando o sabor é desejado, mas não a cor.
Em pau junto com o cravo aromatiza a maioria dos doces em compota no Brasil.
Em pó é muito usada na confeitaria e padaria do mundo todo, aromatizando bolos, tortas, pães e rosquinhas de todos os tipos.
Combina muito bem com bebidas principalmente de chocolate, café e chá.

Em pratos salgados é muito usada no Marrocos, Índia e no Oriente Médio, principalmente em pratos de frango e carneiro.

Entra na composição do tempero de cinco condimentos chineses, do garam masala indiano e da pimenta síria.

Cardamomo O cardamomo são as sementes de uma planta da família do gengibre, que nascem dentro de uma cápsula de cor verde O cardamomo é uma vagem recheada de grãozinhos de cheiro doce. É uma das especiarias mais caras do mundo, ali juntinho com baunilha e açafrão,  nativo do sul da Índia e é conhecido como a rainha das especiarias.
É colhido verde e colocado para secar tradicionalmente em fornos a carvão por 3 dias.
O maior exportador hoje em dia é a Guatemala, onde ele é processado em máquinas modernas.O de melhor qualidade é de cor verde. O cardamomo de cor clara, ou está velho, ou foi colhido fora de época ou foi seco ao sol. Ou ainda pode ter sido branqueado.
O cardamomo é também conhecido por seus efeitos medicinais, para problemas de digestão incluindo azia, espasmos intestinais, síndrome do intestino irritável, gases, entre outros problemas digestivos. É também usado para alívio do resfriado comum, tosse e bronquite. Na Índia é mastigado após as refeições e é usado para branquear os dentes e refrescar o hálito.
Por ter sabor pronunciado, e comece a utilizá-lo em doces, como pudins e geleias. Só depois de acostumar ao seu sabor, arrisque usá-lo em pratos salgados.
É ingrediente bastante comum na culinária indiana, em doces e salgados, e até no arroz.Gastronomia: o cardamomo aromatiza pratos salgados, doces e bebidas como café e chá.Fica delicioso no chocolate quente.
Combina muito bem com baunilha e açafrão.
Combina com frutas cítricas, maçãs, pêras, mangas e com salada de frutas ou frutas cozidas. Fica maravilhoso em preparações com leite, creme ou iogurte, como sorvetes, pudins e arroz doce.Na Escandinávia é usado na confeitaria para aromatizar bolos, tortas e biscoitosÉ um componente essencial de várias misturas de temperos indianos e árabes.Pode ser usado em marinadas para carnes e frango, combina muito bem com arroz.
Na indústria: seu óleo essencial é usado em xaropes, remédios para tosse, em cosméticos e em perfumes.Na indústria alimentícia é usado em bebidas, comidas congeladas e gelatinas.Como usar: Pode ser usado inteiro ou moído.Pode ainda ser tostado a seco ou em óleo antes de ser adicionado à preparação.
A melhor maneira de trabalhar com cardamomo é abrir as vagens na hora de usar, retirar os grãos e moer/amassar. Dentro de cada vagem há cerca de 10 a 20 grãos/sementes.
Pode ser usado com ou sem casca, mas quando com casca deve ser amassado para uma melhor extração do sabor. As cascas devem ser descartadas após o cozimento, não são comestíveis.Cuidados ao comprar: verifique se a casca está inteira, bem fechada, sem furos e sem manchas.As sementes internas devem ser de cor marrom bem escura e ligeiramente pegajosas, quando estão muito secas e acinzentadas é sinal de que está velho.
Evite comprar cardamomo em pó, além de perder logo seu aroma, por ser muito caro costuma ser falsificado.
Cebola Previne tumores, impede a formação de coágulos, combate bactérias e fungos e fortalece o sistema imunológico. É antioxidante, digestiva,antimicrobiana e estimulante cardiovascular saladas, carnes, molhos – ela vai bem em muitos pratos
Cebolinha Da família da cebola, é rica em vitaminas a, B e C. Contém uma boa dose de enxofre, associado ao combate de doenças cardiovasculares. receitas com peixes, ovos, legumes, refogados, saladas e sopas
Coentro Antioxidante, digestivo, e auxilia no tratamento da ansiedade.

As sementes de coentro são proveniente da mesma planta que a erva que conhecemos e que alguns amam e muitos outros odeiam! Mas para quem não conhece, saiba que as sementinhas não tem o aroma nem o sabor da erva e temperam muito bem quase todo tipo de prato.
A planta é uma antiga conhecida nossa, foi mencionada na Bíblia e suas sementes foram encontradas em tumbas no Egito. A planta é colhida, as sementes são secas por alguns dias e então são comercializadas.
Existem duas variedades de sementes: a redonda, mais escura e comum e que é vendida aqui no Brasil  e a alongada e de cor mais clara proveniente da Índia, que é um pouco mais adocicada e tem um aroma bem cítrico

São usadas no mundo todo podendo estar cruas, tostadas, inteiras ou moídas.
São macias, por isso são moídas facilmente à mão e devem ser compradas inteiras para não perderem o sabor. Após moer, coe para retirar alguns pedaços da casquinha externa que normalmente não moem bem.Os indianos usam as sementes tostadas, o que as deixa com um sabor mais complexo, mais caramelizado. Você pode tostar antes de moer, se desejar. Na Índia as sementes são usadas em quase tudo: curries, chutneys, saladas, sopas e até em bebidas.As sementes de coentro têm sabor suave, por isso podem ser usadas em maior quantidade que outras especiarias. São muito usadas em misturas de temperos como uma base ajudando a balancear o sabor das misturas como curries e temperos do norte da África e Oriente Médio.
Os grãos de coentro são muito usados em picles, conservas e marinadas.
Combinam com carne, frango, porco e peixes, camarão. E todo o tipo de vegetais! Moído e tostado fica delicioso em um purê de batatas e dão um toque especial a pratos com cogumelos.Também são usadas em massas de bolos, biscoitos e tortas.Combinam muito com frutas como maçãs, pêras, laranjas e ameixas e em compotas.
Cominho Nativo do mediterrâneo, pode ser encontrado em pó ou em grão. É diurético e auxilia no tratamento de flatulência (gases). pães, queijos, tomates, batatas, hambúrgueres e assados
Cúrcuma Raiz da família do gengibre, é anti-inflamatória e anticancerígena. Uma colher (chá) por dia é suficiente para deixar os alimentos mais saudáveis.

É o chamado açafrão da terra, tem cor amarelada/alaranjada.

sopas, molhos, pães, maioneses, frangos, carnes e feijão
Curry curry é um preparo de especiarias diversificadas e nele é possível encontrar  gengibre, pimenta dedo-de-moça, pimenta vermelha, canela em rama, cominho, pimenta-do-reino, cardamomo, cravo, erva-doce, cúrcuma e coentro em grãos, eles são torrados e moídos e misturados em dosagens diferentes para a criação do curry.

O curry possui coloração amarela e isso se deve a cúrcuma que compõe a mistura, mas esse curry que conhecemos não é o original usado na Índia, já que lá o costume é misturar todas das especiarias diariamente, a nossa versão é uma invenção dos ingleses.

Para os apreciadores,a boa noticia é que essa mistura de especiarias reúne grandes benefícios para a saúde como: antioxidante,  diurética, alivia sintomas da menopausa e, combate tonturas e infecções estomacais e intestinais,  estimulante do sistema imunológico, anti-inflamatório e digestivo.

Carnes, peixes, aves, molhos, sopas de peixes, assados e cozidos. Fica ótimo em queijos, tofu,  e realça o sabor em muitas comidas vegetarianas.

Pode ser encontrado nos supermercados em pacotinhos ou vidros, ou a granel e pode ser mais ou menos picante, mas de modo geral a mistura vendida no Brasil tem bastante sabor de pimenta-do-reino e cominho

Se você deseja começar a usar curry, tome cuidado pois ele é forte e quando usado em grandes dosagens pode acabar estragando a experiência.

Cravo da Índia O aromático cravo da Índia pode ser encontrado inteiro ou em pó.

Por seu sabor e aroma serem muito fortes deve ser utilizado com parcimônia.

O botão de sua flor, seco, é empregado na culinária como condimento para pratos doces, utilizado como especiaria desde a antiguidade  e na fabricação de medicamentos.

O seu óleo tem propriedades antissépticas, sendo bastante usado em odontologia.

Uma das especiarias mais valorizadas, no mercado do início do século XVI um quilo de cravo equivalia a sete gramas de ouro.

É muito usado em doces e conservas de todos os tipos, mas também combina com salgados. Fica ótimo no tender do Natal e pode ser usado em ensopados de todos os tipos e com arroz. Espetado em uma cebola junto com uma folha de louro é usado para aromatizar caldos.
Endro O endro tem propriedades digestivas, sendo tradicionalmente usado especificamente para combater as cólicas e a hiperacidez. Ttambém conhecido por aneto (italiano) ou dill, é uma planta anual da família a que pertencem também a salsa e a cenoura, originária da região entre o Cáucaso e o Crescente Fértil. Por essa razão, é usada tradicionalmente no Médio Oriente, na Europa de Leste e foi introduzida na Escandinávia e na Europa ocidental, principalmente como uma erva aromática, sendo utilizadas tanto as folhas como as sementes.

Para além de ser usado na culinária, o endro era usado como planta medicinal pelos Iranianos ,egípcios e gregos, durante a antiguidade. Também teve significado religioso, sendo utilizado pelos antigos hebreus para pagar o dízimo, também chamado de “erva-de-deus” pelos arménios.

Na Escandinávia, o endro fresco é extensivamente utilizado para temperar e marinar vários peixes e mariscos (por exemplo, arenque e salmão, assim como em vários molhos. Na Europa de Leste, o endro é usado para temperar saladas, principalmente à base de couve, sendo também usual no borsch. É ainda adicionado, fresco ou seco, a conservas de fermentação láctica (em salmoura, e não em vinagre), nomeadamente de pepino, couve, tomate e melancia. Também melhora os molhos à base de nata azeda ou iogurte. Por essa razão, várias sopas frias, como tarator da Bulgária e okroshka da Rússia são tradicionalmente temperadas com essa erva. Na Grécia, temperam-se as dolma com endro e na Turquia e Irã é usado em guisados de favas, lentilhas e outros pratos. Mas a forma como o endro é mais conhecido no Ocidente é nos picles de pepino, chamados por isso “dill pickles”. As sementes, que têm um vago odor a anis, são utilizadas tanto nas marinadas, conservas e vinagre, como no fabrico de pão e bolos.

Para além desses usos tradicionais, o endro pode ainda ser usado para aromatizar queijos e patês, molhos,manteiga,grelhados,risotos,saladas, em especial a salada de batata.

Erva Doce Só no Brasil que ela é chamada de erva-doce, nos demais lugares chama-se de anis ou anis verde. Seu aroma característico é utilizado em vários pratos da culinária mundial.. É digestiva e indicada em casos de flatulência, cólica e gases, atuando também no sistema respiratório ao suavizar tosses e catarros. Esta erva ligeiramente doce e aromática é muito comum na cozinha mediterrânica. Com uma cor verde pálida, junto com as hastes longas, folhas e sementes, ela tem sido utilizada para fins medicinais durante séculos. Erva-doce contém vitaminas A e C. Esses dois poderosos antioxidantes protegem o corpo dos radicais livres.Aajuda na circulação de gás pelo corpo pois são ricas em óleos essenciais que ajudam a relaxar o estômago e estimular o movimento do sistema digestivo. Isto auxilia na prevenção da formação de gases. A erva-doce tem sido tradicionalmente usada não só para aliviar a flatulência, inchaço e desconforto de gases, mas também para estimular o apetite e a digestão. Na culinária podemos encontrar erva-doce nas receitas de vários alimentos, tais como bolos, pães e saladas. Em alimentos que tem como principal ingrediente o fubá, a erva-doce é imprescindível. Como tempero é usado para dar aroma as carnes, linguiças, feijão branco e salame. 
Estragão O estragão é um tempero típico da culinária francesa e é utilizado para realçar o sabor de certos ingrediente e alimentos. O sabor da folha de estragão é adocicado e ao mesmo tempo levemente picante, lembrando a algumas pessoas, mesmo que brevemente, o cheiro e gosto do funcho. A folha do estragão é utilizada na preparação de pickles, como pepinosem conserva à base de vinagre; em cozidos de panela, em saladas verdes, etc; mas ela também dá o sabor distinto do molho béarnaise. Existem muitas receitas para o uso caseiro do estragão na preparação de vinagres, vinagretes, e outras infusões gastronômicas.

Em algumas tradições populares de remédios caseiros de várias regiões do mundo, recomenda-se a infusão de folhas de estragão para amenizar cólicas menstruais, e também para outros fins curativos.

Entre os diversos povos originais da América do Norte (ameríndios) está documentada uma grande variedade de usos dessa planta. Por exemplo, o uso das folhas do estragão como repelente de mosquitos e outros insetos (utilizado no berço de bebês, e por adultos em suas moradias, e em pescarias durante a noite). Estragão, também, é conhecido como Estragão-francês e  erva-dragão.

Gengibre O gengibre (Zingiber officinale) é uma planta herbácea originária da ilha de Java, da Índia e da China, de onde se difundiu pelas regiões tropicais do mundo. No norte do Brasil é também conhecido por mangarataia. Trata-se de uma planta  que pode atingir mais de 1 m de altura. As folhas verde-escuras nascem a partir de um caule duro, grosso e subterrâneo (rizoma). As flores são tubulares, amarelo-claro e surgem em espigas eretas. O seu caule subterrâneo é utilizado como especiaria na culinária desde a antiguidade.

Trata enjôos, combate infecções e doenças cardiovasculares e auxilia no emagrecimento.

No Japão, utiliza-se o gengibre para massagens a partir de óleo de gengibre para problemas de coluna e articulações. Na fitoterapia chinesa, a raiz do gengibre é chamada de “Gan Jiang” e apresenta as propriedades acre e quente. Sua ação mais importante é a de aquecer o baço e o estômago, expelindo o frio. É usada contra a perda de apetite, membros frios, diarréia, vômitos e dor abdominal. Aquece os pulmões e transforma as secreções. A medicina ayurvédica reconhece a ação dessa planta sobre o sistema digestivo, indicadando-a para evitar enjôos e náuseas, confirmando alguns dos seus usos populares, onde o gengibre é indicado na digestão de alimentos gordurosos.

O gengibre possui sabor picante e pode ser usado tanto em pratos salgados quanto nos doces e em diversas formas: fresco, seco, em conserva ou cristalizado. O que não é recomendado é substituir um pelo outro nas receitas, pois seus sabores são muito distintos: o gengibre seco é mais aromático e tem sabor mais suave.

O gengibre fresco é amplamente utilizado na China, no Japão, na Indonésia, na Índia e na Tailândia. No Japão costuma-se usar o suco (do gengibre espremido) para temperar frango e as conservas “beni shouga”, feitas com os rizomas jovens, que são consumidas puras ou com sushi. Já o gengibre cristalizado é um dos confeitos mais consumidos no Sudeste Asiático.

Nos Estados Unidos e na Grã-Bretanha para fazer os tradicionais biscoitos de bonecos de gengibre para o Natal.

Hortelã Rica em vitaminas a e C, cálcio, ferro e magnésio, retarda o envelhecimento. Na forma de chá, combate dores de barriga e prisão de ventre. Auxilia na produção de enzimas digestivas e nas infecções do trato respiratório, e é anestésica molhos, carnes, saladas, massas e sopas
Louro O arbusto, do qual se usam somente as folhas, é nativo da Ásia, e um de seus principais benefícios é estimular o sistema digestivo. Também é expectorante, melhora problemas no fígado e estômago. Quando adicionada ao feijão, ajuda a reduzir a formação de gases. feijoadas, carnes de panela, peixes e moluscos
Manjerona A manjerona (origanum majorana) é uma planta aromática semelhante ao orégano, sendo bastante utilizada como tempero para alimentos. Dentre as propriedades medicinais da manjerona estão a sua ação anti-espasmódica, expectorante, mucolítica, cicatrizante, antiviral, analgésica, antisséptica, bactericida, diurética, digestiva . Seu uso pode ser desde aromatizar saladas simples, como temperar carnes, peixes, frangos, guizados, tubérculos, molhos e até em pizzas, a manjerona tem um perfume agradável e vai ajudar a remover aquele cheiro forte de certas carnes e cortes de frango.
Manjericão É digestivo, anticéptico, antiinflamatório, ajuda no combate de infecções do trato respiratório.

Existem 60 tipos de manjericão. Não sei se temos todos aqui no Brasil.Temos manjericão de folha roxa. Um do tipo com folhas pequenas e outro com folhas longas, largas. Existe manjericão com perfume limonado, canelado, canforado, anisato ou de cravo.

Também é conhecido como basílico, palavra derivada do grego basilikos, que significa “erva digna de reis”. O manjericão é provavelmente nativo do Irã ou da Índia e chegou na Itália através do Oriente Médio. No século XV e XII foi introduzido na França e Inglaterra, respectivamente. Chegou à América com os primeiros imigrantes. No ocidente é símbolo de fertilidade. As folhas mais aromáticas do manjericão são as colhidas logo antes da florada. Elas preservam uma maior quantidade de óleos vegetais, o que determina o aroma. A planta age principalmente nos sistemas digestivo e nervoso. Alivia a flatulência, cólicas estomacais e indigestão. Também pode ser utilizado para prevenir ou aliviar a náusea e o vômito.

A maneira mais comum de usar o manjericão é como tempero, mas, em algumas culturas, essa planta é utilizada para fins medicinais.

Na culinária, pode ser usado fresco, congelado ou seco em sopas, peixes, omeletes, molhos, massas, pizzas e com vegetais como a alcachofra, brócolis, cenouras, berinjela e abobrinha. Talvez seja o melhor acompanhamento para tomates, sendo essencial em molhos e no pesto. No caso dos molhos, melhor utilizá-lo somente no final do cozimento para manter o sabor e o aroma.Alguns usos do manjericão, que podem variar conforme o tipo:

No pesto: é um dos usos mais versáteis e que você pode utilizar praticamente todo maço de manjericão, evitando o desperdício. Pesto vai bem na massa, na torrada, no pão italiano, como tempero da salada

Fresco: a maneira mais comum e, dizem alguns experts, correta, é jogar a folha fresca sobre bruschettas e na finalização de saladas, evitando o uso em pratos quentes. O manjericão ideal para esses pratos é o do tipo italiano, de folhas largas.

Preparação quente: os do tipo roxo, alface e miúdo são perfeitos para molhos quentes, pratos com carnes vermelhas, tomates, massas. E também para aromatizar azeites e vinagres, temperar ricota. Ou, ainda, no recheio de suflês.

Uso medicinal: há várias indicações de uso medicinal da planta, como para acalmar dor de estômago, combater tosse e dor de cabeça, crises de rinite, além de outras situações, como para diminuir os sintomas de picadas ou mordidas de inseto. Para esse último, bastaria morder uma folha e a colocar sobre as marcas. Serve, ainda, para reduzir o estresse, acrescentando várias folhas na água do banho. O manjericão tido como mais indicado é da espécie Ocimum selloi, também conhecido como aniseto, alfavaquinha, manjericão anis.

Noz moscada É digestiva, antimicrobiana e afrodisíaca

Noz-moscada é uma especiaria obtida a partir da semente do fruto da Moscadeira (Myristica fragans), árvore poderosa que pode alcançar 15m de altura e produz por 50 anos.
Utilizada desde o tempo dos romanos, a noz-moscada era uma das especiarias  mais valorizadas da idade média. O segredo terminou para os portugueses no século XVI. Eles conquistaram Malaca e ficaram por lá com a sua esquadra por mais de um mês comprando e enchendo seus navios de noz-moscadaEste monopólio foi afetado apenas no século XVIII, quando os franceses contrabandearam árvores de noz-moacada. Com isso, exploradores e países interessados perceberam que a especiaria se adaptava bem ao clima tropical. Rapidamente, a Moscadeira e seu fruto precioso habitavam  a Índia, Sri Lanca, Sumatra, Papua,  Nova Guiné, Singapura,  Colombia,  algumas Ilhas do Caribe  e o Brasil, principalmente no sul da Bahia.

O fruto da Moscadeira é vermelho. Quando maduro, libera a semente, coberta por uma membrana laranja-avermelhada chamada “macis”. Dentro da macis. Está  a noz-moscada.

Alguns pesquisadores afirmam que por seu elevado conteúdo em fósforo é um excelente tônico para o cérebro e para os nervos. E um bom tônico para o organismo. Acreditam que ajuda a revigora os indivíduos debilitados. É uma especiaria utilizada pela indústria farmacêutica e de perfumaria.

A especiaria noz-moscada é bastante usada na cozinha devido a sua versatilidade para  temperar massas, carnes, queijos, coquetéis, sopas,  e bebidas quentes. Sua utilização na panificação produz pães e doces diferenciados. Seu sabor lembra uma mistura de pimenta-do-reino com canela, porém mais sutil e aromático. Por ser levemente adstringente, muitos chefs acreditam que ela se sai melhor em pratos salgados.
Orégano Suas folhas têm ação antioxidante e evitam a hipoglicemia (baixa do açúcar no sangue). Em chás, alivia tosse, bronquite e cólicas intestinais. É antibacteriano, antibiótico, analgésico, antifúngico e sedativo. Auxilia no tratamento de gripes e resfriados e no tratamento e controle de micoses e problemas fúngicos. feijão branco, e receitas à base de tomates, ovos ou queijo
Páprica O pó é obtido do pimentão vermelho seco e moído. Na forma doce ou picante, a especiaria ajuda a reduzir dores e traz benefícios ao coração. Por ser da mesma família da pimenta, é antiinflamatória (sendo eficaz contra a gastrite), digestiva e estimula a circulação sanguínea. ovos mexidos, pratos à base de arroz e ensopados de carne.
Pimenta-do-reino Pode ser usada tanto em grão quanto moída. Além de saborosa, possui ação antioxidante e anticoagulante. Também previne gripes e resfriados. saladas, marinados, sopas e molhos diversos
Pimentas São digestivas, pois aumentam a produção de suco gástrico. Além disso, têm propriedades antiinflamatórias e aceleram o metabolismo. Merecem um capítulo à parte, pois são muitos tipos
Salsinha Conhecida também por salsa-de-cheiro, ajuda a suavizar dores no estômago, a eliminar gases e a combater doenças do coração. É digestiva, diurética e melhora o funcionamento do fígado e do baço. É estimulante do apetite e auxilia a digestão. Combate gripes e doenças respiratórias. molhos de ervas e manteiga, carnes, feijão e lentilha
Sálvia Aapresenta um sabor levemente apimentado e amargo.

Também é muito utilizada na medicina caseira, sendo que a infusão (para inalação) de suas folhas limpa o sistema respiratório, pois possui propriedades descongestionantes. Possui ação anti-inflamatória, sendo usada para gengivite (bochechos) e dores de garganta (gargarejo).

suas folhas são utilizadas como condimento na culinária de diversos países à séculos, apesar de aqui no Brasil ainda ser pouco utilizada. Na cozinha francesa, é utilizada para cozinhar carne branca e em sopas de vegetais. Os alemães usam-na em pratos de salsichas. É também de uso comum na cozinha italiana. Nos Bálcãs e no Médio Oriente, é usada em assados de cordeiro.
Tomilho Possui ação diurética, antifúngica e anti-inflamatória. Melhora o fluxo sanguíneo e alivia os sintomas da artrite e das dores musculares. Digestivo, antisséptico, cicatrizante e vermífugo. churrascos e pratos que levam tomate ou queijo

Gostou deste texto? Então ajude a divulgar!

Bolo Red Velvet: um carinho para o Dia das Mães!

O Bolo Red Velvet original , não leva corante na massa, mas sim a  beterraba, e  fica lindo.

A beterraba ajuda a dar essa coloração vermelha no bolo, mas o bolo não fica com gosto de beterraba por termos o limão e o vinagre, que são adicionados à massa.

Faça essa versão linda e saudável do Red Velvet e ofereça às mamães neste domingo especial! Super indicado para acompanhar o chá ou café, fica lindo, leve e saboroso.

 

INGREDIENTES

  • 1 e 1/2 xícara de farinha de trigo (orgânica)
  • 1 pitada de sal
  • 1 colher de chá rasa de bicarbonato de sódio
  • 2 colheres de sopa bem rasas de cacau em pó
  • 6 beterrabas pequenas
  • 2 colheres de chá de vinagre de arroz
  • 3 colheres de sopa de suco de limão
  • 8 colheres de sopa (100g) de manteiga sem sal em temperatura ambiente
  • 1 xícara de açúcar
  • 2 ovos
  • 1 colher de chá de extrato de baunilha
  • 1/2 xícara de iogurte natural sem açúcar

MODO DE PREPARO

  1. Coloque todos os ingredientes secos em uma tigela e misture. Reserve.
  2. Pegue as beterrabas descascadas e picadas e coloque no liquidificador com 1 ou 2 copos de água. Bata até obter uma pasta homogênea.
  3. Peneire o suco de beterraba e coloque em uma panela, em fogo médio, e leve para ferver, por aproximadamente 15 minutos (ou até sobrar só ¾ de xícara de suco na panela).  Você tem que fazer esta redução, mas sempre em fogo médio, para não escurecer. Deixe esfriar.
  4. Depois de frio, acrescente o vinagre de arroz e o suco de limão ao suco de beterraba. Reserve.
  5. Bata a manteiga com o açúcar. Adicione o açúcar aos poucos e bata até obter um creme fofo e claro.
  6. Continue batendo e acrescente um ovo ( gema e clara) de cada vez, esperando que cada um deles se misture completamente à massa.
  7. Por fim, adicione a baunilha e o iogurte e pare de bater.
  8. Junte essa massa aos ingredientes secos do Passo 1 e misture.
  9. Junte o suco de beterraba a essa massa e misture.
  10. Coloque para assar em uma forma untada e enfarinhada de 23cm, em forno pré-aquecido a 180ºC por 35 minutos. Procure deixar a massa bem parelha, para resultar  num bolo o mais retinho possível.

 

Segredos do Bolo Red Velvet com Beterraba:

  • A farinha orgânica é mais clara que a farinha comum, por isso ela ajuda o bolo a ficar vermelho vivo. Se você usar farinha de trigo comum, a cor do seu bolo ficará vermelho terroso ou amarronzado.
  • Para a cor do bolo ficar bem bonita é essencial reduzir bastante o suco de beterraba. Quanto mais concentrado ele estiver, mais bonita ficará a cor do seu bolo.

Ingredientes cobertura(recheio) cream cheese

Vamos apresentar duas opções, a segunda leva chocolate branco.

(1ª opção)

  • ¾ xícara (chá) de cream cheese (queijo cremoso)
  • 2 xícaras (chá) de açúcar de confeiteiro
  • 3 colheres (sopa) de manteiga sem sal
  • Essência ou uma fava de baunilha raspada

 modo de preparo

  1. Na batedeira, bata a manteiga com o açúcar até obter uma “farofa”.
  2. Acrescente o cream cheese, a essência e bata somente o suficiente para obter um creme, não bata muito.

(2ªopção)

  • 150 gramas de cream cheese (1 pote)
  • 50 gramas de manteiga sem sal
  • 300 gramas de açúcar de confeiteiro
  • 100 gramas de chocolate branco, derretido e frio
  • 1 colher (sobremesa) de essência de baunilha

modo de preparo

  1. Na batedeira, velocidade alta, bata a manteiga e o cream cheese até que estejam homogêneos.
  2. Acrescente a essência, o chocolate e torne a bater o suficiente para misturá-los bem.
  3. Em velocidade média, acrescente o açúcar aos poucos e bata até obter uma mistura fofa e leve. Aproximadamente 6 minutos.
  4. Leve a cobertura para a geladeira por no mínimo 20 minutos e depois utilize.

Dicas para montagem do bolo:

Você poderá resolver quais opções quer montar e decorar o bolo:

  •  totalmente coberto, da forma tradicional, com o mesmo creme que utilizou para o recheio ( aí faça duas receitas de recheio);

  •  ou ainda no formato naked cake( bolo pelado) em que o recheio vai entre as camadas e fica à mostra, muitas vezes escorrendo levemente pelas bordas.

Procure colocar  o disco do bolo assado ( depois de frio) em prato com borda excedente.

Divida o disco em dois cortes, ficando com três partes de bolo, que receberão recheios em duas camadas.

Na cobertura  da última camada, pode ser utilizado um pouco de recheio, ou uma geléia vermelha,  e para decorar  frutas frescas ( e até algumas pequenas  flores), como morangos, framboesas, cerejas e mirtilos( ou outra de sua preferência) e para finalizar faça uma “chuva”salpicando com açúcar confeiteiro que você coloca em uma peneira e faz cair sobre as frutas e cobertura. Adereços de papel, como corações vermelhos, rosados, brancos e até metalizados, prata ou dourado, colados em palitinhos, também estão valendo.

Usem de criatividade e muito carinho para as mamães, pois elas merecem!

Gostou deste texto? Então ajude a divulgar!

26 de março – Dia do Cacau ou Dia do Chocolate!

O Dia do Cacau é comemorado em 26 de março.

O cacau é a principal matéria-prima para a produção do chocolate. Por isso, muitas pessoas também consideram o dia 26 de março como o Dia do Chocolate.

O cacau é um fruto típico da América Central e do Sul, mas também é amplamente encontrado em algumas regiões da África e Ásia. Atualmente, o Brasil assume o posto do quinto maior produtor de cacau do planeta, sendo que 95% da produção nacional é da Bahia.

Origem do Dia do Cacau

O Dia do Cacau foi instituído por um projeto de lei do deputado Athayde Armani, considerando o dia 26 de março a data comemorativa para discutir e encontrar soluções para os cacaueiros do Espírito Santo e da Bahia.

Para os apreciadores do produto final, vale lembrar que o dia 26 de março também comemora o Dia do Chocolate, o que pode transformar a data numa festa de sabores.

E como celebrar o Dia do Cacau? Além de comer muito chocolate (como é óbvio!) esta data também pode ser  útil para debater (principalmente nas escolas) o papel econômico que o cacau representou para o país, em especial para a região sul da Bahia.

Origens do Cacau e do Chocolate

Nascido com a bebida preferida dos deuses maias, foi moeda para os astecas e,  na Europa  do século 19, se tornou barra, como conhecemos até hoje.  Já alimentou o exército americano na Segunda Guerra e a ciência descobriu suas capacidades antidepressivas.

Pois nos últimos 3.500 anos, o chocolate,  alimento feito à base de cacau já passou por quase todo tipo de forma, cor e sabor – bombom, oval, branco, amargo. É tanta polivalência que até uma versão inalável surgiu em 2009, e logo foi desaconselhada pelos ottorinolaringologistas brasileiros.

A fabricação dessa delícia começa quando as frutas de cacau são quebradas para a retirada das sementes, a base principal do chocolate. A essa altura, elas ainda são amargas, mas a verdadeira transformação em doce acontece nas indústrias. Por lá, a matéria-prima é decomposta, recebe açúcar e leite, é agitada, passa por várias trocas de temperatura e, no final, é moldada para ganhar a forma das barras vendidas nos supermercados. Apreciado no mundo todo, o chocolate é velho conhecido da humanidade – acredita-se que os astecas foram os primeiros chocólatras da história. No século 16, eles já coletavam sementes de cacau para fazer o xocoatl, um drinque afrodisíaco que só podia ser bebido por imperadores. Ao contrário dos chocolates de hoje, a bebida asteca tinha um sabor amargo e apimentado, pois era preparada com vinho ou purê de milho e pimenta.

Em 1528, os colonizadores espanhóis levaram a novidade para a Europa, adoçando a mistura com canela e baunilha e servindo a bebida quente. Por volta de 1700, ao chegar à França e à Inglaterra, a invenção ganhou leite e se espalhou pelo mundo. Décadas depois, em 1765, começou a fabricação de chocolates em barras, nos Estados Unidos. No Brasil, o cultivo de cacau teve início no século 19, na região de Ilhéus, no sul da Bahia. Atualmente, o país consome cerca de 310 mil toneladas de chocolate por ano, algo em torno de 1,8 quilo por habitante. Além de saboroso, o chocolate é uma excelente fonte de energia, sais minerais, potássio, fósforo e magnésio. O drama é que, apesar de tanto benefício, o excesso traz uns pneuzinhos indesejáveis. Não se deve consumir mais que 100 gramas de chocolate por dia, pois o produto é bem calórico. Um simples tablete contém, em média, 540 calorias, cerca de 20% da necessidade diária de um homem adulto.

A linha do tempo para o chocolate

Entre 1.500 a.C e 200 d.C.

Por meio de análises de DNA, cientistas apontam o norte da América do Sul como o berço do cacau. Viajantes das rotas comerciais carregam as sementes para a América Central.

250-900 d.C.

No México, os maias utilizam cacau como oferenda aos deuses. A semente começa a ser processada. Depois de fermentada, secada, tostada e moída, é obtida uma pasta, que é misturada a água, pimenta e farinha de milho. Surge a primeira forma do chocolate

1400

Astecas dominam a civilização maia. O cacau serve de alimento para o deus Tenochitlán. A bebida só circula entre nobres. Adoçada com mel e especiarias, ganha o nome de cacauhatl (água de cacau) ou xocoatl (água amarga)

1513

O cacau já funcionava como moeda entre maias e astecas e, com o domínio dos espanhois, a partir de 1502, o uso continua. O espanhol Fernando de Oviedo y Valdez comprou um escravo por cem sementes de cacau. Dez sementes pagavam uma prostituta e quatro davam direito a um coelho no jantar

1521

O primeiro navio espanhol carregado de sementes de cacau chega à Europa. Os espanhóis adicionam açúcar à bebida dos astecas.

1600-1799

O chocolate quente vira sensação na Europa. A rainha Anna, da Áustria, vira “chocólatra”. À base do trabalho braçal de escravos africanos, a Espanha e Portugal se tornam principais fornecedores

1828

O holandês Conrad Van Houten inventa uma máquina que extrai a manteiga do cacau. A parte restante é transformada em pó. A produção da bebida é industrializada. Surge o chocolate sólido, feito de manteiga, pó e massa de cacau

1847

A primeira barra comercializada em escala foi produzida pela companhia inglesa J. S. Fry & Sons, localizada em Bristol. Tinha sabor amargo e bruto. Anos depois, a empresa começa a vender a Fry’s Chocolate Cream Bar. Em 1873, inventa o ovo de Páscoa.

1891

Fundada por imigrantes alemães no Rio Grande do Sul, surge a primeira fábrica de chocolates do Brasil, a Neugebauer.

1913

Publicada pela Walter Baker & Company a primeira receita de “tabletes de baunilha”, um doce feito com manteiga de cacau, açúcar, leite e baunilha, depois batizada de “chocolate branco” (que de chocolate só tem o nome: a fórmula não leva cacau, apenas a gordura tirada da semente)

1938

Nasce o Diamante Negro. É batizado em homenagem ao artilheiro da Copa da França, o brasileiro Leônidas da Silva. Lançado o bombom Sonho de Valsa e, quatro anos depois, o Bis

1937

O poder energético e antidepressivo do chocolate é reconhecido pelo exército americano e começa a fazer parte da “ração D”, levada para a guerra pelos soldados

1941

Nos EUA, Forrest Mars lança o M&M’s, pastilhas de chocolate recobertas com uma camada de açúcar colorido. Ele tinha visto soldados espanhóis comerem algo parecido durante a Guerra Civil Espanhola. A Mars torna-se a maior compradora de cacau do mundo

1964

O escritor britânico Roald Dahl cria o menino Charlie e os pequenos Oompa-Loompas com o livro A Fantástica Fábrica de Chocolate. A obra é levada às telas em 1971 por Mel Stuart, estrelada por Gene Wilder. Tim Burton apresentou a sua versão, com Johnny Depp como o doceiro Willie Wonka, em 2005

1970

Começa a fabricação brasileira de chocolate diet, para pessoas com diabetes. O sabor era muito ruim e só melhora a partir da década seguinte, com a combinação de novas substâncias para adoçar o cacau

1985

Chantal Fravre-Bismuth, toxicóloga do Hospital Fernand Vidal, em Paris, investigou as causas da chamada “chocolatemania”. Ela estudou como os compostos químicos do produto que afetam o corpo humano. Segundo ela, a dopamina, a fenietilamina e 17 receptores de anfetaminas são responsáveis pelo desejo de comer chocolate

1997

O artista brasileiro Vik Muniz, radicado em Nova York, lança quadros desenhados com chocolate derretido

2005

Pesquisadores da Universidade Di L’ Aquila, na Itália, comprovam que o consumo de chocolate meio-amargo, com alto teor de flavonóides, tem o poder de reduzir a pressão sanguínea em pessoas com hipertensão

2009

Surge Le Whif, um tipo de chocolate inalável, em uma embalagem parecida com uma carteira de cigarros. Vem em quatro sabores, livres de calorias, um processo de engenharia inventado por David Edwards, professor e engenheiro biomédico de Harvard, somente comercializado pela internet e que não tem aprovação de uso no Brasil.

Gostou deste texto? Então ajude a divulgar!

Carnaval, prepare-se: alimentação, hidratação, alegria e saúde!

Para não perder o pique e manter a saúde em dia, vamos escolhemos alimentos que o folião deve consumir, aqueles que  deve deixar de fora e quais merecem atenção nessa maratona de quatro dias intensos de comemoração.

E dicas para garantir a animação em todo o período. Bom Carnaval!

ALIMENTAÇÃO

Muitas pessoas caem na curtição e acabam comendo qualquer coisa e em horários irregulares, porém isso é um perigo, pois o seu corpo está cansado e você precisa alimentá-lo bem, sendo que muitas vezes a má alimentação pode gerar fraqueza e desnutrição.

Faça o possível para se alimentar em horários regulares e dê preferência a alimentos leves e ricos em vitaminas e proteínas, como frango e saladas bem preparadas.

Uma ótima dica para quem quer curtir o Carnaval sem se descuidar da saúde é caprichar no café da manhã, ele irá te sustentar e te dar todos os nutrientes de que você precisa.

Alimentos ricos em carboidratos como cereais, grãos e massas, mas dê preferência aos integrais. Eles ajudarão a manter a energia do corpo. Os foliões tem um gasto energético elevado, portanto é importante não deixar de repor essa energia. Os alimentos ricos em carboidratos fornecerão a energia para curtir todos os dias, dando maior sensação de saciedade.

– Manga, mamão, pêssego, caqui, maçã, banana, uva, abacaxi, maracujá e melão são ricos em potássio e em vitamina C, essenciais para um com trabalho muscular. O grupo também ajuda a desintoxicar o fígado, afastando a ressaca.

– Couve, brócolis, couve-flor, repolho. São alimentos crucíferos, que auxiliam na desintoxicação do fígado, portanto são boas pedidas na luta contra a ressaca.

– Grelhados, assados e ensopados. Troque a fritura por qualquer um desses tipos de cozimento.

– Melancia. Maior parte dessa fruta é água, por isso, vale a pena apostar nesse alimento que, além de garantir energia, também hidrata.

Cuidado com os frutos do mar

Fique atento na hora de consumir frutos do mar. Se não estiverem conservados de maneira correta, podem estragar e provocar uma intoxicação alimentar séria.

– Cuidado com alimentos vendidos na praia. Preste atenção nas condições de higiene e de conservação.
– Evite ingerir alimentos gordurosos. Além de prejudicar a digestão, eles provocam sono e podem atrapalhar quem quer aproveitar a festa. A digestão fica lenta e causa sensação de estufamento e moleza, prejudicando a mobilidade do corpo.

– Temperos industrializados. O alto teor de sódio presente pode favorecer a retenção de líquidos e aumentar a pressão arterial.

– Cuidado com o sal. Como esse é um período de mais desgaste do corpo e de hidratação mais comprometida, o ideal é reduzir a quantidade de sal na comida.

 

HIDRATE-SE

No Carnaval a temperatura sobe ainda mais em meio aos foliões e por isso, se hidratar é fundamental.  Pular e dançar durante cinco dias no verão do Brasil requer muita água, principalmente quem estiver tomando bebidas alcoólicas, devido ao álcool desidratar ainda mais o corpo, por isso, intercale a bebida com bastante água.

Uma boa pedida para quem vai curtir o carnaval é abusar nos sucos naturais, água de coco e também nas bebidas isotônicas, pois além de hidratar o corpo ele repõe nutrientes e vitaminas, para que você possa curtir ainda mais a festa.

– Beba de 2 a 3 litros de água por dia.

– Isotônicos são ótimos para repor sais mineiras de matéria rápida. Se a pessoa estiver muito desidratada, essa é uma boa indicação. Mas não podem ser indicados a qualquer pessoa: pacientes com insuficiência renal devem evitar essas bebidas.

– Suco de frutas ajudam a refrescar e são repletos de vitaminas. Entretanto, nenhum líquido deve substituir refeições, principalmente se a bebida for ingerida em uma alimentação pré-folia, quando o gasto de energia intenso ainda está por vir.

– Incremente o suco de laranja com couve, que ajuda a desintoxicar o fígado.

– Água de coco é um excelente repositor de líquidos e sais minerais, e é uma opção natural.

– Sentir sede é um sinal de que o seu organismo está desidratado. Nessa hora, beba muito líquido.

 

SE VOCÊ SABE QUE IRÁ BEBER…

– inclua o gengibre na alimentação e bebidas. Sucos que contenham gengibre também são ótimas opções, pois ele combate a náusea e tem ação anti-inflamatória no sistema digestivo;

– comer um ovo depois do excesso de consumo de álcool pode também combater os sintomas da ressaca. O ovo possui uma proteína rica em cisteína, que contém glutationa, capaz de auxiliar o organismo a reverter o processo de intoxicação, provocado pela ingestão de álcool. A grande observação é nunca consumir ovo cru, já que ele possui substâncias antinutricionais – Avidina, que não ajudam a eliminar a ressaca;

– aposte no atum em lata no azeite de oliva. O peixe é rico em ômega 3, fonte de vitaminas e minerais, como ferro, magnésio, fósforo, selênio, e vitaminas do complexo B. Além de ser uma fonte de proteína com baixo teor de gordura – que o corpo perde quando tem contato com o álcool. Com azeite de oliva, o atum diminui o ritmo de absorção do álcool pelo organismo.

– o álcool deve ser consumido com moderação. Para evitar os malefícios da bebida, intercale com refrigerante ou sucos na proporção de dois copos para um. As bebidas alcoólicas em geral podem desidratar, por isso, o ideal é intercalar com não alcoólicos.

Além de se preparar para a festa, os foliões ainda podem contar com uma série de alimentos que ajudam a minimizar os efeitos da ressaca, auxiliando na recuperação. Sucos detox, por exemplo, ajudam a amenizar os efeitos adversos, assim como saladas e chás limpam o fígado. Não existe um remédio que cure todos os efeitos de uma noite de bebedeira. Dessa forma, o importante é sempre manter o corpo hidratado com o consumo de muita água ou água de coco natural.

SE BEBER NÃO DIRIJA

O índice de acidente devido à embriaguez aumenta consideravelmente durante o Carnaval. Muitos foliões abusam na hora da festa e depois voltam para a casa dirigindo, isso é um grande risco e que pode ser evitado facilmente.

Um técnica muito usada e super eficaz para quem quer curtir o Carnaval e voltar para a casa em segurança é a eleição do “Motorista da rodada”, é simples, durante cada dia de festa uma das pessoas não bebe e volta dirigindo, isso faz com que todos se divirtam sem ter o perigo de acidentes. Outra opção são os serviços como Uber e taxis, eles te levam para casa com rapidez e segurança.

 

DICAS

– Não deixe de fazer um café da manhã reforçado antes de sair de casa. Aposte em frutas, leite, pão, cereais, queijo ou ovo.

– Para ter maior saciedade e evitar qualquer problema de ordem digestiva, faça refeições fracionadas.

– Não pule refeições ou fique horas sem comer. Algumas pessoas, no desejo obcecado pelo corpo perfeito, optam por cardápios restritivos, ingerindo apenas frutas ou só proteínas. Essas atitudes podem causar desequilíbrio do organismo ou problemas ainda mais sérios como sobrecarga renal.

– Para os dias de maior desgaste físico, escolha sapatos e roupas leves, preferencialmente de cores claras.

 

Gostou deste texto? Então ajude a divulgar!

Ecológicos e Orgânicos: como, onde e quando encontrá-los!

As Feiras Ecológicas oferecem alimentos dos produtores da área rural de Porto Alegre e do interior do RS para a comercialização direta ao consumidor. Os hortigranjeiros e alimentos agroindustrializados não têm agrotóxicos, pesticidas e substâncias sintéticas.

Os alimentos orgânicos são cultivados sem os agrotóxicos tão prejudiciais a saúde, condizem com o manejo sustentável do solo e da água e, além disso, possuem mais sabor e nutrientes. Cenário perfeito para o consumo se não fosse por um agravante: o preço. Em se tratando das grandes redes de supermercado, a diferença para os produtos convencionais é tão expressiva que torna impossível sua aquisição. Contudo, felizmente, uma alternativa a esse dilema vem se disseminando rapidamente no país: as feiras de orgânicos.

Tradicionais em praças e parques de Porto Alegre, as feiras de produtos coloniais e orgânicos passaram a ter novo endereço, em shoppings da capital, conforme já documentado pela reportagem do Sul 21. Desde outubro de 2016 este movimento acontece, comprovando uma tendência, os orgânicos estão no Shopping Iguatemi, um dos maiores shoppings da cidade. Toda terça-feira, das 10h às 16h, produtores familiares e de assentamentos rurais vendem seus produtos no estacionamento externo do empreendimento comercial – ao lado do Acesso D.

Alimentos da reforma agrária começaram a ser vendidos no Shopping Iguatemi em outubro de 2016
Foto: Felipe Ristow Vodzik Sul 21

Na parte externa do Shopping Total, no bairro Floresta, sempre às quintas-feiras pela manhã, é realizada uma feira orgânica, com cerca de  18 tendas, com 14 feirantes vindos das cidades como Dom Pedro de Alcântara, Eldorado do Sul, Feliz, Garibaldi, Terra de Areia e Montenegro, além de produtores da própria capital, de bairros como Lami. Esta feira se torna mais uma alternativa para o porto-alegrense.

Conforme a Smic, outras sete feiras ecológicas oferecem produtos diretamente dos produtores da área rural da cidade e do interior do Estado. Às terça-feiras, ocorre a feira do bairro Auxiliadora, na Travessa Lanceiros Negros, das das 7h às 13h. Nas quartas-feiras, são duas opções: uma no bairro Menino Deus, na Av. Getúlio Vargas (no pátio da Secretaria Estadual da Agricultura), das 13 às 19h, e no bairro Petrópolis, na Rua General Tibúrcio, junto à praça Ruy Teixeira, das 13 às 18h. Aos sábados, os estandes retornam ao pátio da Secretaria Estadual da Agricultura, no Menino Deus, das 7 às 12h30min. Também no sábado, ocorrem as feiras dos bairros Bom Fim (av. José Bonifácio, talvez a precurssora no comércio de orgânicos em feira de rua),  noTrês Figueiras (Rua Cel. Armando Assis) e Tristeza (av. Otto Niemeyer).

A Feira do Bom Fim, aos sábados, foi criada há 24 anos, já é parte da tradição da cidade de Porto Alegre. Organizados em cooperativas ou individualmente, os agricultores se dividem em cerca de 150 bancas, distribuídas em duas quadras. Pelo espaço circulam centenas de pessoas todas as semanas à procura de uma variedade de alimentos como: cereais, frutas, legumes, verduras, mel e derivados, sucos, laticínios, massas, pães, entre outros.

Os agricultores que trabalham nessas feiras agora estão sendo qualificados também para atender as exigências da legislação sanitária vigente. Os produtos beneficiados precisam seguir as normas do Serviço de Inspeção Municipal de produtos de origem vegetal, o SIM Vegetal.  A SMIC está divulgando que as Feiras Ecológicas também estão sendo regulamentadas e em breve os produtos orgânicos de Porto Alegre receberão um selo de origem controlada.

Nem precisa pensar muito. Leia abaixo e descubra as vantagens de consumir produtos orgânicos!

  1. Evita problemas de saúde causados pela ingestão de substâncias químicas tóxicas. Pesquisas e estudos tem demonstrado que os agrotóxicos são prejudiciais ao nosso organismo e os resíduos que permanecem nos alimentos podem provocar reações alérgicas, respiratórias, distúrbios hormonais, problemas neurológicos e até câncer.
  2. Alimentos orgânicos são mais nutritivos. Solos ricos e balanceados com adubos naturais produzem alimentos com maior valor nutritivo.
  3. Alimentos orgânicos são mais saborosos. Sabor e aroma são mais intensos – em sua produção não há agrotóxicos ou produtos químicos que possam alterá-los.
  4. Protege futuras gerações de contaminação química. A intensa utilização de produtos químicos na produção de alimentos afeta o ar, o solo, a água, os animais e as pessoas. A agricultura orgânica exclui o uso de fertilizantes, agrotóxicos ou qualquer produto químico; e tem como base de seu trabalho a preservação dos recursos naturais.
  5. Evita a erosão do solo. Através das técnicas orgânicas tais como rotação de culturas, plantio consorciado, compostagem, etc., o solo se mantém fértil e permanece produtivo ano após ano.
  6. Protege a qualidade da água. Os agrotóxicos utilizados nas plantações atravessam o solo, alcançam os lençóis d’água e poluem rios e lagos.
  7. Restaura a biodiversidade, protegendo a vida animal e vegetal. A agricultura orgânica respeita o equilíbrio da natureza, criando ecossistemas saudáveis. A vida silvestre, parte essencial do estabelecimento agrícola é preservada e áreas naturais são conservadas.
  8. Ajuda os pequenos agricultores. Em sua maioria, a produção orgânica provém de pequenos núcleos familiares que tem na terra a sua única forma de sustento. Mantendo o solo fértil por muitos anos, o cultivo orgânico prende o homem à terra e revitaliza as comunidades rurais.
  9. Economiza energia. O cultivo orgânico dispensa os agrotóxicos e adubos químicos, utilizando intensamente a cobertura morta, a incorporação de matéria orgânica ao solo e o trato manual dos canteiros. É o procedimento contrário da agricultura convencional que se apoia no petróleo como insumo de agrotóxicos e fertilizantes e é a base para a intensa mecanização que a caracteriza.
  10. O produto orgânico é certificado. A qualidade do produto orgânico é assegurada por um Selo de Certificação. Este Selo é fornecido pelas associações de agricultura orgânica ou por órgãos certificadores independentes, que verificam e fiscalizam a produção de alimentos orgânicos desde a sua produção até a comercialização. O Selo de Certificação é a garantia do consumidor de estar adquirindo produtos mais saudáveis e isentos de qualquer resíduo tóxico.

Informação e tecnologia a serviço dos consumidores: site e aplicativo

O Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (IDEC) lançou um  site que aponta onde estão as feiras que comercializam produtos orgânicos em todo o país. A ideia da  iniciativa é facilitar e estimular a alimentação saudável dos brasileiros.

O Waze é um dos aplicativos mais usados por quem se desloca por grandes cidades do Brasil e do mundo. De forma colaborativa, ele centraliza os mais diversos tipos de informações sobre o trânsito e os estabelecimentos de uma região. Agora, através de uma iniciativa do Instituto Kairós e da Cooperativa Eita, foi lançada uma versão do aplicativo destinada exclusivamente ao consumo responsável: o Responsa.

Ele é uma ferramenta que reúne em um só mapa: restaurantes (que usam ingredientes orgânicos), feiras (de produtos justos, orgânicos e veganos), hortas comunitárias, grupos de consumo responsável e outras experiências de agroecologia e economia solidária.

Criado e desenvolvido em parceria entre o Instituto Kairós e a Cooperativa EITA, o Responsa é totalmente gratuito e permite que consumidores e produtores possam encontrar produtos, serviços e experiências educativas pelo GPS, marcar encontros e indicar novos pontos que ainda não estejam mapeados.

Com interface amigável, disponível para celulares Android, o Responsa funciona em todo o Brasil e permite filtro por tipo de local (restaurante, feira etc) ou município, e unifica um extenso banco de dados que inclui, já no seu lançamento, mais de três mil iniciativas ligadas ao consumo responsável em todo o país.

Com o GPS ligado, o aplicativo ainda alerta ao usuário sobre as iniciativas mais próximas de onde ele estiver.

As iniciativas mapeadas pelo Responsa são:

– Feiras orgânicas e da agricultura familiar
– Lojas e feiras da economia solidária e do comércio justo
– Grupos de produtores da economia solidária
– Grupos de consumo responsável
– Experiências de educação alimentar e nutricional
– Experiências e pesquisas em agroecologia
– Hortas comunitárias
– Restaurantes que utilizam ingredientes orgânicos em seus cardápios

O Responsa possui ainda um espaço em que as pessoas podem facilmente compartilhar, com outros usuários do aplicativo, suas dúvidas e dicas sobre como consumir de maneira responsável. Nele, é possível trocar receitas para limpeza ecológica, formas de cozinhar com menos desperdício, dicas para economizar água ao fazer faxina ou para substituir refrigerante por sucos naturais para os filhos, entre outras possibilidades.

Para quem não tem smartphone com Android, é possível acessar o mapa no site (clique aqui).

Endereços Úteis

– Feira Ecológica do Bom Fim
Av. José Bonifácio (em frente ao parquinho infantil da Redenção)
Porto Alegre |RS
Somente aos sábados, das 7h às 12h30.

– Feira Ecológica do Bairro Menino Deus
Av. Getúlio Vargas (no pátio da Secretaria Estadual da Agricultura)
Quarta-feira das 13h às 19h.
Sábados das 7h30min às 13h.

– Feira Ecológica Tristeza
Av. Otto Niemeyer esquina com a Av. Wenceslau Escobar (perto do Zaffari, em frente à igreja)
Sábados das 7h às 12h30min.

– Feira Mulheres da Terra
Campus Central – Av. Paulo Gama, 110 – Bairro Farroupilha – Porto Alegre – Rio Grande do Sul
Terças-feiras das 15h às 18h30min e Quarta-feira no Campus do Vale.

– Feira Ecológica em Ipanema / Porto Alegre
Todos os sábados das 8h ás 13h
Avenida Guaíba 10410 – Esquina com a Dea Coufal
Espaço Integral

– Coletivo Terra Viva Produção de Alimentos Orgânicos e Coloniais

Feira quinzenal na Escadaria da Av. Borges de Medeiros ( Centro de PoA), no Utopia e Luta. Cestas de orgânicos entregue em casa em Porto Alegre, Charqueadas e Eldorado.

51 99660 0661     facebook https://www.facebook.com/Coletivo-Terra-Viva

Obs.: entreposto no Bistrô do CaminhoR. Mal. Floriano Peixoto, 766,  aberto para almoço, e para jantar 51 3286.37.93  e  http://www.facebook.com/bistrodocaminho

-Viverde Orgânico
Cestas de orgânicos entregue em casa
(51) 98223.7124
viverdeorganico@hotmail.com
www.facebook.com/viverde.organico

– Orgânicos do Porto
https://www.facebook.com/organicosdoporto2013
Entrega de cestas orgânicas: (51) 998483786

– Loja Seleção Natural
Venâncio Aires, 531  – Porto Alegre
Fone/Tele-entrega: 3026.7070
E-mail: selecaonatural@terra.com.br
Seg. a Sexta. Das 9hs às 19h30min
Sábados das 9hs às 18hs.

– Restaurante Nova Vida
Rua Demétrio Ribeiro, 1182 – Centro Histórico – Porto Alegre / RS
Telefones: (51) 3226-8876
Horário de atendimento: De segunda a sexta, das 8h às 19h.
Sábado, das 8h às 15h.

– Viver Bem Alimentos Macrobióticos
Rua Doutor Armando Barbedo, 269 – Tristeza – Porto Alegre / RS
Telefones: (51) 3012-3020
De segunda a sexta, das 9h às 19h. Sábado, das 9h30 às 18h.

– Mercado Público de Porto Alegre
Banca da Reforma Agrária

– Mesa Natural – Alimentos Orgânicos Certificados
Avenida Caçapava, 551 – Bairro Petrópolis – Porto Alegre
Telefone: 51 99813.9913 / 3388-5400

– Casa Natural – Porto Alegre
http://www.casanatural.com.br/
Rua Sapé, 800 – Cristo Redentor / Porto Alegre
(51) 3337-7663
(51) 99103.8310
De segunda à sexta, das 8h30min às 19h e sábados, das 9h às 15h.

Gostou deste texto? Então ajude a divulgar!

Tendências, Gastronomia 2017

Estamos em um planeta em constantes mudanças, muda o meio ambiente, a política, a economia, a sociedade, mudam os hábitos, estas mudanças influenciam completamente a população, e por conseqüência o consumo.

São mudanças ou ajustes? São os dois, e tem influenciado também a gastronomia, no formato dos novos estabelecimentos, na tendência de consumo, no estilo de vida, são novos alimentos para substituir os que estão muito caros, em tempo de crise econômica, ou ainda os que não são assim tão saudáveis, são as tendências que integram um cenário que busca soluções mais sustentáveis e que prioriza a “volta às origens”, tudo no caminho do combate ao desperdício, da busca da sustentabilidade, pois  continuamos a ver que a produção de alimentos em escala para atender ao crescimento populacional, causa muito problema (ambiental e na saúde).

A cozinha orgânica, o respeito às safras dos temperos e ingredientes, o cuidado com a origem e a qualidade dos alimentos, sejam eles animais ou vegetais, são tendências que vão tomar conta da gastronomia.

Termos como  desgourmetizar, snacks saudáveis, gastromautas, sour beers, mesa para compartir, vinho de consumo rápido, horta urbana, valorização regional, bowls ou cuencos, comida em pote, jaca em vez de carne,  serão incorporados no cotidiano de quem acompanha a evolução da gastronomia, sejam os chefs, os cozinheiros, ou os comensais (consumidores).

Vamos então conhecer um pouco mais sobre estes termos e os conceitos que os norteiam:

Alimentos mais saudáveis, mais próximos, uma volta às origens

Sabemos que já há um comportamento no Brasil e em alguns países, pela busca de alimentos mais saudáveis, de origem não industrial. Hoje o consumidor prefere cada vez mais alimentos produzidos, feitos por pessoas com histórias, comprometidas com uma filosofia que promove uma alimentação mais saudável. Dessa forma, frutas, verduras e legumes, produtos embutidos, queijos artesanais, sempre dando prioridade para o que é feito na região, vão ser cada vez mais valorizados. Escolher produtos produzidos no local onde mora é uma valorização dos ingredientes, passa por questões econômicas e ambientais – itens que não precisam ‘viajar’ têm menor emissão de carbono, por exemplo.

 

Orgânicos, os queridinhos da vez

Tudo, tudo, desde verduras, legumes, ovos, vinhos, carnes, frutas, e até sorvete de cultivo ecológico, o mais naturalmente possível. Produtos livres de pesticidas, sem transgênicos e sem antibióticos. De cultivos locais, bem pertinho de nós. De tanto que se fala nisso, pode até parecer clichê, mas os alimentos orgânicos e de temporada são realmente especiais, seja pelo sabor, cor, frescor, pelos aromas autênticos que na hora de cozinhar fazem toda a diferença. Temos que cuidar também a origem desses produtos, dê preferência para os pequenos produtores, para as feiras ecológicas e para as cooperativas, geralmente os preços são menores e os produtos são melhores.

 

Eu plantei, colhi e preparei = eu que fiz

Em meio a tantas opções de produtos prontos, nas prateleiras dos supermercados, até mesmo alguns com apelo de caseiros, oferecer aos convidados algo que foi feito por você irá além da sua melhor receita. Plantar legumes ou ervas para temperos em casa é um hábito que ganhará mais adeptos. Em espaços pequenos, em vasos, em canteiros verticais, muitos apartamentos tem espaço para uma pequena horta, garantindo que além de temperos e ervas aromáticas, também vale investir em um pé, que pode ser de qualquer fruta que se adapte em espaços pequenos, como limão ou maracujá.

Seguindo as tendências de grandes chefs espanhóis, cada vez mais surgem nomes e novos restaurantes onde já não se busca a tecnologia por de trás dos alimentos,  e sim caminhos de volta a cozinha das nossas avós. Conceitos como “da horta a mesa”, “cozinha e emoção”, “paixão e experiência”,  nos fazem refletir sobre as novas tendências gastronômicas para os próximos anos. Cansamos de muitas “espumas“, mudanças na estrutura e na textura dos alimentos,  cada vez mais vamos voltar às nossas raízes, e voltar a entender que o alimento é amor, é servir a quem se ama, é doar felicidade e prazer através de uma refeição.

 

Hortas Urbanas

É uma tendência também, principalmente em outros países, o cultivo de hortas em cima dos prédios de grandes cidades. O cultivo em áreas urbanas. A filosofia é usar áreas de baixo custo em grandes cidades (os telhados de edifícios ou fábricas), e assim evitar o transporte de alimentos em grandes distâncias

(mais poluição), principalmente alimentos que contém muita água, como verduras e legumes, que ficam prejudicados, que estragam com facilidade.

 Comida perfumada e pesquisa de sabores

O uso de ervas aromáticas avança, chegando mesmo até a moda de perfumar a comida com ingredientes que antes eram usados apenas na perfumaria. Um exemplo é a lavanda, que pode ser colocada fresca ou seca sobre risotos, massas, saladas com frutas, para quem gosta de sabores mais exóticos. Continuam em alta os sabores cítricos das raspas de limão, laranja, lima,  as ervas como mangericão, hortelã, tomilho.

O Pinterest pesquisou os sabores que são tendência no mundo e realizou um evento em Nova York para jornalistas e influenciadores para divulgar os resultados. Segundo a rede social, quatro sabores são tendências mundiais: abacaxi, coco, açafrão e cúrcuma, embora tenham sido também citados no ranking ingredientes alternativos para quem tem restrições alimentares, como leite de amêndoas, farinha de tapioca e xarope de agave (em substituição ao açúcar). No Brasil, os destaques foram o capim-limão, coentro e damasco.

Açafrão da terra, ou curcuma

Outras publicações e reportagens incluem entre as tendências a culinária Ayurveda e o chocolate amargo(uma pesquisa da universidade americana Syracuse revelou benefícios desse alimento, como melhorar a capacidade de raciocínio e a memória).

Entre as previsões para a gastronomia do próximo ano estão o aumento de consumo de “carnes vegetais” (grão-de-bico, milho, leguminosas e cogumelos) e também o crescimento do vegetarianismo e do veganismo. A carne continuará sendo consumida, mas em menor quantidade.

A sardinha irá reinar no ano que vem: é rica em ômega-3 e em proteína e é barata. Em Portugal, o peixe é incensado e uma espécie de símbolo nacional. Agora a influência alcançará outros continentes. Outra que terá mais prestígio e procura será a carne de cabra, apontam os estudos. As vantagens: a carne de cabra tem menos gordura do que as demais, até mesmo do que a de frango, é rica em proteínas e é leve.

Desgourmetizar

A questão da gourmetização na gastronomia cansou, irritou, deu o que tinha que dar. Vamos nos voltar para pratos mais simples, com menos conceitos, mais afetivos. O desgourmetizado.

Com a popularização das cozinhas gourmet, pode ter acontecido um crescimento da preocupação em relação a técnicas usadas na alta gastronomia, como se o corte ideal de alimentos seria julienne ou brunoise, por exemplo. Pois esqueça.

A moda é servir os alimentos inteiros, para que o ato de fatiar faça parte do ritual da refeição. Tipo servir tomates e rabanetes vindos do próprio pé, ainda com o talinho, acompanhados de vários tipos de molhos e cada um corta o seu, ou ainda a batata-doce, temperada com sal grosso, servida como entrada, ou beterrabas assadas, acompanhando um salada de folhas verdes.

Restaurantes pequenos, aconchegantes

Restaurantes com tendências rústicas na cozinha, porém muito eficazes na produção dos alimentos. Cafés ou bistrôs, lugar onde você se sente em casa literalmente. Nas paredes ou nas portas, quadros com o menu escrito manualmente, decoração com bicicletas (estilo francês), livros, sofás, pequenos objetos e muito afeto.

Pequenos pratos para compartir

É a hora dos pequenos pratos, das entradas, das “tapas”, dos aperitivos e de mesas com amigos. É a hora de mesas compartilhadas, hora de quebrar o gelo. Este formato de restaurante e gastronomia é cada vez mais comum mundo afora e começou a se difundir em São Paulo, depois se espalhou pelo Brasil. O consumidor quer compartilhar e ter a oportunidades de degustar diversos pratos.

 Gastronautas

Atualmente temos um novo tipo de gastrônomo: Os gourmets 2.0 ou os gastronautas, como foram batizados pela imprensa britânica.

Jovens obcecados por gastronomia e por rede sociais, uma combinação mais do que perfeita. Uma nova geração de influentes gastronômicos, que olham mais além das estrelas Michelin, ou dos renomados rankings de restaurantes. Eles compartilham tudo sobre gastronomia através do twitter, instagram, e grupos fechados no facebook. Através das mídias sociais, trocam receitas, trocam dicas de restaurantes, trocam informações sobre restaurantes “secretos” que não são divulgados na mídia, mas por incrível que pareça disputados por muitos na hora de chegar. Enfim tudo sobre gastronomia, a nova gastronomia! Ah, e claro muitas fotos! Se não tem foto não vale.

Bowls saudáveis,  ou comer en cuencos

Depois das saladas no pote, a tendência da vez para 2017 são as saladas na tigela, ou bowls (inglês) saudáveis ou cuencos (espanhol), nada mais são do que tigelas, pequenas bacias, ou ainda taças. As saladas são tão completas que trazem uma refeição inteira, com todos os nutrientes necessários para repor as energias. A ideia também é boa para levar de marmitinha saudável.

Além de tudo, é bem mais prático, amigável, permite mistura de sabores, integrar ingredientes, mergulhar a fatia do pão, muitos cozinheiros tem feito uso como o espaço perfeito para servir seus pratos, e às vezes, mesmo, não é necessária nem colher, usa-se as mãos e o pão. O  exemplo se espalha e cada vez mais vamos encontrar bacias, bowls e taças nas mesas. É um costume dos povos orientais que se espalha pelo mundo.

Sour beers  = Cervejas ácidas

Tradição na Bélgica, as ‘sour beers’, ou cervejas ácidas, estão ganhando espaço por aqui e prometem ser a aposta cervejeira para 2017. Aliás, é possível encontrar marcas nacionais que investem no sabor, como cervejarias mineiras e paranaenses. O sabor ácido provém de frutas cítricas, como cupuaçu, graviola, jabuticaba, maracujá, por exemplo. O resultado é um sabor extremamente ácido, refrescante, com aroma frutado, de coloração dourada e nada de amargor.

 

Vinhos orgânicos e em embalagem sustentável

Depois da popularização dos alimentos orgânicos, será a vez dos vinhos seguirem essa linha. Os vinhos orgânicos e biodinâmicos vêm crescendo no Brasil, inicialmente com os consumidores mais especializados. Deve crescer também a oferta de vinhos em caixas, chamados de Bag in Box, uma alternativa para reduzir o preço dos vinhos mais simples, e os lacrados com rosca. É utilizado na grande maioria em vinhos que devem ser consumidos ainda jovens. E considerando o aumento do consumo, a escassez da árvore que gera a rolha ou cortiça (Sobreiro), as tampas de rosca e as rolhas sintéticas serão cada vez mais utilizadas.

Vinhos para consumo rápido

Devido ao aumento do consumo mundial de vinhos, as vinícolas estão cada vez mais produzindo vinhos para o consumo mais rápido. Os vinhos mais encorpados e de estilo, que precisam de muito tempo de guarda para serem degustados, estão diminuindo. Por isso os vinhos estão cada vez mais fáceis de beber, frutados, com influência de madeira, o que, de certa forma, os deixa muito parecidos, o que desagrada aos enófilos mais exigentes. Os  sommeliers explicam que essa tendência mudou hábitos em países tradicionais no mundo do vinho, como França e Itália, que têm se “flexibilizado”. Na França a maioria das vinícolas já está começando a indicar o nome das uvas nos rótulos, o que não era necessário, pois o que importava era o produtor, a região e o terroir. Na Itália, onde se produz vinhos tradicionais com uvas regionais, começaram a utilizar cada vez mais no corte (assemblage) uvas de outros países, como França e Espanha. Em ambos os casos o objetivo é tornar o vinho mais fácil e acessível à maioria dos consumidores.

 

Novidades, novos hábitos

Snacks saudáveis

Já faz um tempinho que os lanches saudáveis estão fazendo sucesso, mas agora vieram para ficar mesmo. Além de serem uma boa opção para a hora da fome, a maioria deles são muito fáceis de serem executados, como os chips de frutas e legumes. Inhame, mandioquinha, beterraba, batata doce, maçã, pêra, banana, são alguns exemplos.

 Banana Verde

Linhaça, chia, óleo de coco sempre aparecem em ingredientes que saltam aos olhos dos preocupados com a saúde e boa forma. Segundo a nutricionistas, a banana verde, que já é bastante indicada por profissionais de nutrição, deve ganhar ainda mais espaço. Pode ser utilizada no preparo de diversas receitas, já que a farinha ou a biomassa podem ser incorporadas a bolos, mousses, entre outros. Grande quantidade de fibras (que ajudam a alcançar sensação de saciedade), numa versão facilmente digerível pelo corpo, e minerais se destacam entre os benefícios do alimento, cujo consumo também está associado ao controle dos índices de glicose no sangue e, portanto, da diabetes, e à redução dos níveis de colesterol e triglicérides.

Jaca, novo substituto da carne vermelha

Nas feirinhas gastronômicas pelo Brasil, a coxinha de jaca foi sucesso total no ano que passou. Mas não só no famoso salgado, a tendência é usar  a jaca como uma grande substituta da carne. Se antes a jaca era vista com preconceito e como uma fruta não muito agradável, agora ela virou a melhor amiga dos vegetarianos e até de quem quer reduzir a quantidade de carne na alimentação. Além de ser rica em vitaminas, seu sucesso deve-se ao fato de sua textura lembrar frango ou carne desfiada, e pelo sabor neutro e não-adocicado.

Sobremesas de vegetais

A combinação de sabores doces e salgados é bastante explorada na culinária, principalmente na oriental, bem popular no Brasil. Pois agora essa brincadeira vai além, com sobremesas feitas com legumes e verduras. Cenoura e abóbora, por exemplo, são bastante usados em bolos e tortas, mas novos ingredientes estão sendo misturados a receitas tradicionais, resultando em: cheesecake de couve-flor, brownie de feijão preto ou crostata de berinjela com cobertura de chocolate. Parece exótico, mas vai ser uma realidade cada vez mais frequente.

Inove, ouse, experimente e viva mais saudável,

ganhe mais saúde neste 2017!

Gostou deste texto? Então ajude a divulgar!

Ceia de Final de Ano – Receitas Especiais

As receitas abaixo  podem fazer parte de um cardápio para a Ceia de Final de Ano, estão divididas em Entradas, Pratos Principais e Sobremesas.

Use a criatividade e surpreenda seus convidados!

ENTRADAS

SURPRESA DE VERÃO– CAMARÃO E MELANCIA

Esta salada vai realmente surpreender os convidados, sabores frescos e aparência linda, fácil de fazer e um resultado inesquecível!melancia-camaroes

Ingredientes:
1/2 Kg de camarões tamanho médio, limpos

Folhas de mini rúculas e/ou mini agrião, lavadas e escorridas

1 colher de sopa de suco de  limão  e raspas de limão

Azeite ou óleo de oliva  o quanto baste para temperar, sal e pimenta preta  moída, colorau

4 a 6 Fatias retangulares de melancia, sem sementes ( cortadas como uma fatia de pão de forma)

 Preparo:
Lave os camarões, escorra bem e  reserve.

Aqueça água em uma panela, em quantidade suficiente para cozinhar os camarões

Assim que ferver a água, baixe o fogo e coloque os camarões na panela, mexendo rapidamente e apenas espere que fiquem rosados, não deixe ferver para não endurecerem, escorra rapidamente e coloque-os em uma vasilha para serem temperados.

Tempere os camarões com óleo, colorau, sal e pimenta preta  moída e com as raspas de limão. Reserve.

A partir de uma melancia, tirando a casca e obtendo a polpa, procure formar um bloco retangular e corte fatias grossas, assim como um pão de forma. Tire as sementes para não ficarem na sua salada. Tempere levemente as fatias de melancia salpicando pimenta preta moída e sal, só para dar um toque .

Monte em pratos individuais para cada convidado,  a fatia de melancia, adornada por folhinhas de mini rúculas e/ou mini agrião, e sobre as fatias, uma porção dos camarões temperados, finalize com respingos de suco de limão e um fio fino de óleo.

Sirva a seguir.

 SALADA TROPICAL

Ingredientes: 1 pé de alface pequeno, 1 peito de frango sem osso, 1 colher (sopa) de azeite, sal a gosto, pimenta do reino a gosto, 1 lata de creme de leite, 1 colher (sopa) de suco de limão, 1 xícara (chá ) de uvas itália sem pele, 2 xícaras (chá) de manga em cubos, 1 colher (sopa) de hortelã picadinha.

 Preparo:Lave e escorra bem a alface. Corte o peito de frango em cubos pequenos. Aqueça o azeite e refogue muito bem os cubos de frango, pingando água, se necessário. Tempere com sal e pimenta do reino. Reserve até esfriar. Em uma tigela, misture o creme de leite, o suco de limão, o sal e pimenta do reino. Junte as uvas verdes, os cubos de manga e de frango, a hortelã e misture tudo muito bem. Arrume a salada sobre as folhas de alface e sirva gelada, decore com ramos ou folhas de hortelã.

Dica: para quem tem intolerância a lactose, pode usar o creme de leite de soja, acrescentando um pouco de mostarda, gotas de limão, pimenta do reino e corrigindo o sal, para amenizar o sabor de baunilha que geralmente estes cremes trazem.

 

SALADA DE LENTILHA

 Ingredientes para a salada:
250 g de lentilha

1 cebola, grande

2/3 de xícara (chá) de amêndoas, laminadas

3 colheres (sopa) de hortelã, picada

1 colher (café) de cominho em pó

 Preparo:

1. Cozinhe a lentilha em bastante água (como se fosse macarrão) por 15 minutos.

  1. Verifique se ela está al dente e coloque numa bacia com água e gelo para encerrar o cozimento. Em seguida, coloque num escorredor para que fique bem sequinha.
  2. Pique a cebola em pedaços não muito pequenos. Leve ao fogo bem baixo numa panela com uma colher de água por tempo suficiente para que os açúcares e sucos da cebola já tenham dourado. Reserve.
  3. Se você não encontrar amêndoas laminadas, use picadas. Se estiverem cruas, coloque no forno para torrar um pouco. Em seguida, misture todos os ingredientes da salada.

Ingredientes para a vinagrete:

1 colher (sopa) de mostarda, tipo Dijon

1/3 de xícara (chá) de vinagre, balsâmico

1 xícara (chá) de azeite de oliva

sal e pimenta do reino, a gosto

Preparo:
1. Para fazer a vinagrete, comece colocando numa tigela a mostarda, o vinagre, sal e pimenta-do-reino, de preferência moída na hora.

  1. Com o auxílio de um fuet (ou batedor de maionese como também é chamado) misture bem os ingredientes e, sem parar de bater, vá adicionando o azeite de forma a emulsionar o molho. Se, ao final, não estiver um líquido homogêneo, coloque uma colherinha de água e bata mais um pouco.
  2. Verifique o sal e a pimenta. Tempere a salada com este vinagrete e leve à geladeira por, no mínimo, duas horas.

ENDÍVIAS COM  ERVILHAS E LENTILHAS

 Ingredientes:
1/3 xícara (chá) de lentilhas

1/3 xícara (chá) de ervilhas

½ pimentão vermelho

½ pimentão amarelo

suco de ½ limão

1 maçã verde

200gr presunto magro fatiado

Cebolinha verde picada

20 folhas de endívia

Azeite o quanto baste para temperar, sal e pimenta moída

Tomatinhos cereja para decorar

 endivias-lentilhaPreparo:
Lave as lentilhas e as ervilhas em  água corrente.

Coloque as lentilhas numa panela e cubra com água. Coloque as ervilhas numa panela e cubra com água.  Leve ao fogo alto e espere ferver. Deixe cozinhar somente até que fiquem macias. Este cozimento deve ser separado para conservar as cores dos grãos.

Retire as lentilhas do fogo e escorra a água. Coloque as lentilhas num recipiente. Reserve.

Apóie os pimentões numa tábua e corte uma tampa de cada lado, com uma faca afiada. Retire as sementes e despreze.

Corte os pimentões ao meio, no sentido do comprimento e depois no sentido da largura. Apóie as metades na tábua, com a parte da pele voltada para baixo, e corte em tiras finas(1 cm). Reserve.

Descasque a maçã e corte em rodelas (1 cm); corte as rodelas em tiras (1 cm) e as tiras em cubos. Coloque os cubos de maçã num recipiente e acrescente o suco de limão. Misture bem.

Corte em cubinhos pequenos o presunto fatiado.

Em uma tigela, acrescente as lentilhas, as ervilhas, o presunto,  os pimentões, as maçãs e a cebolinha picada e misture bem.

Tempere com o sal, pimenta do reino e azeite. Misture novamente.
Lave as folhas de endívia cuidadosamente sob água corrente. Escorra bem, com cuidado, sem amassar. Coloque as folhas num prato e acrescente o recheio dentro. Decore com rodelinhas de tomate cereja.

Sirva a seguir.

 

PRATOS PRINCIPAIS

 LENTILHADA DA  SORTE!

Esta lentilhada, contendo a batata e a moranga, fica saborosa e simboliza a fartura e a sorte!

Ingredientes:

500 gr lentilha

250 gr de lingüiça calabresa fininha

1 cebola média, 2 folhas de louro, 1 dente de  alho, um pouco de colorau

3 xícaras de batatas inglesas em cubos

2 xícaras de moranga em cubos

Água para cozer, óleo para refogar.

  • Colocar a lentilha de molho na água umas horas antes.
  • A receita deve ser preparada em duas panelas separadas
  • Em uma refogar a lingüiça cortada em fatias finas até dourar, colocar a cebola e o alho,mexer, juntar o louro, um pouco de colorau, colocar as batatas, a moranga e cobrir com água deixar cozinhar uns 10 minutos.
  • Deixar cozinhar até que as batatas e morangas fiquem macias, mas, al dente.
  • Enquanto isso em outra panela, escorrer a lentilha e colocar na panela com água até a cobrir e um pouquinho de sal, deixar cozinhar até ficar mole, mas não deixar passar do ponto.
  • Depois que a batata estiver pronta e a lentilha também, com uma concha colocar aos poucos a lentilha na panela em que estão a batata, moranga e a linguiça, assim você pode controlar a quantidade que quer misturar
  • Se sobrar lentilha, pode congelar para fazer outro dia, ou deixar na geladeira
  • Colocar sal e pimenta a gosto

 

ARROZ COM AMÊNDOAS E  ALHO PORRÓ

 Ingredientes: óleo de oliva, , 2 xícaras (chá) de arroz lavado e escorrido, , 4 xícaras (chá) de água fervente, 1 xícara (chá) de amêndoas em lascas torradas, 1 molho  de alho poro, colorau, páprica, sal, ervas fias secas, 1 colher de sopa de pesto.
Preparo: Lave bem o alho poró, tirando bem a terra que poderá ter entre suas folhas. Descarte as raízes. Refogue, em pouco óleo de oliva, o talo branco de alho poró, que foi cortado em rodelas finas, refogue a seguir, as partes verdes do alho poró, que foram cortadas em tirinhas bem fininhas, este refogado não pode passar do ponto, não deve dourar demais, pois queremos ter as cores verdes no arroz,  coloque um pouco de colorau, as ervas, a colher de pesto, coloque mais um pouco do oléo de oliva e o arroz, refogue rapidamente, acrescente sal à gosto. Acrescente quatro xícaras (chá) de água fervente e misture bem. Deixe cozinhar em fogo baixo, em panela parcialmente tampada, por 15 minutos ou até que o arroz fique al dente.  Em separado, em frigideira, só um fio de óleo de oliva, refogue, buscando dar cor, torrando rapidamente as amêndoas. Retire do fogo, tampe a panela e deixe descansar por 10 minutos. Junte as amêndoas picadas, misturando com um garfo, para deixar bem soltinho o arroz e sirva a seguir.

  

ARROZ COM ESPINAFRE

Ingredientes:3 tabletes de caldo de galinha, 6 xícaras (chá) de água fervente, 2 xícaras (chá) de arroz lavado e escorrido, óleo para fritar o arroz,  1 maço (só as folhas) de espinafre picado, 2 colheres (sopa) de manteiga, 3 colheres (sopa) de queijo parmesão ralado.

 Preparo: Frite o arroz no óleo, junte os cubos de caldo de galinha e um pouquinho só de água, misture bem para desmanchar os cubos.  Acrescente as seis xícaras (chá) de água fervente, mexa bem e cozinhe em fogo baixo durante 20 minutos, com a panela parcialmente tampada. Quase ao final do cozimento, acrescente o espinafre picado, a manteiga e o queijo ralado. Depois de cozido, apague o fogo e deixe descansar 10 minutos com a panela tampada.

 

LOMBO COM RODELAS DE LARANJA

Ingredientes: 2kg de lombo de porco, 1 cebola ralada, 1 colher (sopa) de manteiga, 1 e 1/2 colher (sopa) de maisena, 1/2 colher (chá) de gengibre em pó, 1 copo de suco de laranja, 1 tablete de caldo de carne.

 Preparo:Coloque o lombo em assadeira com a parte gordurosa para cima e asse durante 1h30min, mais ou menos, em forno brando. Frite a cebola na manteiga até que fique macia. Junte os ingredientes mexendo sempre. Cozinhe até engrossar um pouco e pincele o lombo com essa mistura, assando-o por mais 1 hora, aproximadamente. Sirva com fatias (rodelas) de laranja.

lombo_laranja1

 

 

 

 

 

 

 

 

BACALHAU AO BACON ( unindo o peixe e o porco)

Uma opção para começar o ano mais leve. Comer peixe no ano novo, além de ser uma refeição saudável, adiciona  leveza para nosso organismo.

Ingredientes:

  • ½ kilo de bacalhau (pode ser já desfiado ou em lascas)
  • 2 kg de batatas em rodelas
  • 3 ovos cozidos picados
  • 1 alho poró cortado em rodelas
  • 2 cebolas cortadas em rodelas
  • 1 pimentão vermelho cortado em cubos
  • 4 dentes de alho em fatias finas
  • Aproximadamente 100 gramas de bacon em pequenas tiras
  • azeitonas pretas
  • azeite  de oliva,  para o toque especial!
  • Salsinha picada, sal (cuide na quantidade)e pimenta a gosto

bacalhau-e-baconPreparo:

  1. Retire o sal do bacalhau da seguinte forma: aqueça uma panela com muita água até ferver, mergulhe o bacalhau e reserve por algumas 3 horas. Depois escora  bem o bacalhau e não descarte a água.
  2. Com a água do bacalhau, cozinhe as batatas.
  3. Em uma frigideira, frite o bacon e o pimentão.
  4. Tempere o bacalhau com cebola, alho, pimenta e sal a gosto
  5. Monte o prato com um refratário e coloque bastante azeite para forrar e uma camada com alho poró. Coloque o bacalhau, as batatas e os demais ingredientes.
  6. Cubra com  azeite e leve ao forno. Retire assim que dourar.
  7. Você pode incrementar o ovo e a azeitona preta, polvilhar com salsinha picada para deixar o prato ainda mais bonito e apetitoso.

 

SOBREMESAS

MELÃO  FESTIVOmelon-frutas

 Ingredientes:3 melões grandes e bem maduros, 1 porção de morangos, 12 bananas, 1 lata de pêssegos em calda, 1/2kg de uvas tipo Itália  sem sementes, 1 maçã vermelha, 1 maçã verde, 1 porção de cerejas ( em calda), 1 copo de vinho doce, 1 copo de suco de laranja, 1 cálice pequeno de licor de frutas ao seu gosto, 1 limão

 Preparo:Lave e enxugue os melões. Você vai usá-los como recipiente para todas as frutas picadas.  Corte uma fatia fina ( tipo uma tampa) junto ao cabo, sem furar, só para que ele possa ficar de pé na bandeja. Corte uma fatia mais grossa na parte de cima. Retire por essa abertura as sementes (descarte as sementes) e boa parte da polpa dos melões. Depois de colocar na bandeja,  leve-os à geladeira.  Corte em pedacinhos e leve à geladeira a polpa dos melões, colocando em uma vasilha que comporte todas as frutas. Lave bem todas as frutas, mantenha a casca das maçãs, para colorir a salada de frutas festiva,  corte em cubos ou fatias, junte com a  polpa dos melões, polvilhe um pouco de açúcar, junte todas as bebidas. Retire os melões da geladeira e recheie com a s frutas, escorrendo-as antes de colocar dentro dos melões, ao final divida em partes iguais o caldo, regando as frutas dentro de cada melão. Passe suco de limão nas bordas dos melões e polvilhe com açúcar, podendo usar as tampas para cobrir. Volte à geladeira até a hora de servir. Leve à mesa em bandeja e sirva em taças.

Obs.: Pode substituir os melões por uma melancia, fazendo com que ela seja o receptáculo para a salada de frutas, porém antes de usar a polpa você terá que remover todas as sementes que estão incrustadas na carne da fruta.melancia-saladeira

BOLO DE MEL ESPECIAL

Ingredientes

a) 4 ovos

b) 1 copo de açúcar

c) 3/4 de copo de mel

d) 1/2 copo de café forte (4 colheres – sopa – de café solúvel em pó em 1 copo  de água)

e) 1/2 copo de óleo de milho

f) 1 1/2 colher (chá) de bicarbonato em pó (dissolvido no café)

g) 400 g de farinha de trigo

h) 1 colher (chá) de essência de baunilha

i) 1 xícara (chá) de uvas passas brancas, sem sementes, polvilhadas com farinha de trigo

j) 1 xícara (chá) de nozes picadas na faca

k) 1 1/2 colher (sopa) de fermento em pó

    • Óleo para untar e farinha de trigo para polvilhar a forma (assadeira tamanho grande)
    • Açúcar de confeiteiro e canela em pó, para polvilhar

Observação: a medida utilizada, o copo é do tamanho do tipo  copo de requeijão.bolo-de-mel

Modo de preparo:
Bater na batedeira, juntando na seqüência os ingredientes de a até f. Após, juntar aos poucos a farinha, misturar bem, acrescentar a essência de baunilha, e os itens i e j.  Mexer com delicadeza para misturar. Aquecer o forno em calor médio, para assar bolo. Preparar a forma, untar a forma e polvilhar. Após, voltar á mistura e acrescentar o fermento,  misturar bem, mas mexer suavemente. Colocar na forma e assar,  deixando que o bolo cresça e doure, sem abrir o forno nesta primeira etapa, quando já estiver dourado, verificando com o palito para ver se está pronto, espetando o palito e vendo se sai sequinho.  Deixe esfriar e corte em pedaços quadrados, retirando da forma, polvilhe com a mistura de açúcar de confeiteiro e canela em pó. Este bolo pode ser guardado em latas ou potes fechados, ao abrigo da luz, durando durante as festas de Natal e final de ano.

TORTA DE FIGOS E MAÇÃS

Feita também com uvas passas, esta torta de figos com maçãs é a cara das festas de final de ano!

Ingredientes

3 gemas

2 ovos

1 lata de creme de leite

1 lata de leite (use a mesma lata do creme de leite)

2 colheres (sopa) de açúcar

2 colheres (sopa) de farinha de trigo

200 g de doce de figo em calda

2 maçãs cortadas em pedaços graúdos

1/2 xícara (chá) de uvas passas

Canela em pó e açúcar a gosto

torta-figoModo de preparo

Ponha no liquidificador as gemas, os ovos, o creme de leite, o leite, o açúcar e a farinha de trigo. Bata até ficar homogêneo. Em um refratário untado espalhe a maçã polvilhada com açúcar e canela e as uvas passas.

Entre os pedaços de maçãs, ponha os figos escorridos e cortados em cubos e despeje o creme batido. Leve ao forno médio pré-aquecido até dourar ligeiramente.

Dica: experimente substituir e usar pêssego em calda, banana fresca e sobras de frutas secas com esse creme para fazer a torta. Fica uma delícia!

 

MOUSSE COM CALDA DE ROMÃ

Em festa de fim de ano não pode faltar sobremesa com romã. Esta mousse é muito simples de preparar. Acompanhe a receita!mousse-roma-2

Ingredientes

3 claras
3 colheres (sopa) de açúcar
250 g de chocolate branco
1 lata de creme de leite
1/2 xícara (chá) de água
1/4 de xícara (chá) de groselha
Sementes de 3 romãs
1 colher (sobremesa) de suco de limão

 Modo de preparo

Bata as claras em neve, junte o açúcar e continue batendo até obter picos firmes. Derreta o chocolate em banho-maria, retire do fogo e adicione o creme de leite. Misture delicadamente as claras com o creme de chocolate. Distribua em taças individuais e leve-as à geladeira. Em uma panela, coloque a água, a groselha e leve ao fogo até ferver, deixe reduzir um pouco, para engrossar, mas sem escurecer. Acrescente as sementes de romã, desligue o fogo e misture o suco de limão. Deixe esfriar e distribua sobre as taças de momousse-romausses, se você escorrer de forma que não fique muito líquido, aparecendo bem os grãos de romã, ficará como a foto ao lado, se deixar com calda, ficará como a foto acima. Rende cerca de 6 porções.

 

 

Boa Ceia de Final de Ano e um ótimo 2017!

 

Gostou deste texto? Então ajude a divulgar!

Alimentos na Ceia de Ano Novo – tradição, simbologias, simpatias, sortilégios!

Qual o significado dos alimentos de ano novo, o que significam as comidas de Reveillon, suas tradições e simbologia, que são passadas de pais para filhos, que são trazidas de outros países e  culturas, e sua perfeita integração com a riqueza da culinária brasileira?

Arroz, grãos, aves, peixes, frutas, vinhos, espumantes e champanhe, quantas delicias existem numa ceia de Ano Novo, comumente chamada de Ceia de  Reveillon?

Na maior parte das civilizações, o marco da passagem dos anos é uma data sempre a ser celebrada, mesmo que estas possam ser comemoradas em datas diferentes e em caráter cíclico: um novo ano, com novas oportunidades e novos acontecimentos.

No caso do Ano Novo ocidental, a festa também é conhecida pelo nome de Réveillon.

O termo é originado do verbo réveiller e que, traduzido do francês tem o significado de despertar. O evento acontece em 1º de janeiro, mas sua comemoração começa na véspera e segue diferentes ritos, que variam de acordo com as culturas.

No Brasil, há o hábito de vestir-se de branco e adotar simpatias para garantir sorte e prosperidade para o novo ano.

O que comer na ceia de Ano Novo?

O Ano Novo representa uma época de finalizações e de renovação de esperanças. Sendo data de comemoração, quando os alimentos sempre estão presentes, nas tradicionais ceias. Nessas ocasiões, alguns desses alimentos costumam ser consumidos para a sorte, proteção e para o amor. Entenda melhor sobre eles e saiba escolher o seu cardápio durante as festas.

A começar pela fartura, pela imensa quantidade de comida que geralmente encontramos à mesa nessa ceia, que reflete não só um momento de abundância e felicidade, mas o desejo de que as mesmas se repitam em todo o ano que está por vir.

Os pratos servidos também têm seus significados e tradições. Eles variam de acordo com o país e cultura. A ceia de Ano Novo traz, em sua comida e sua forma de servir, muitos significados, vamos explicar o que consumir e o que não comer na noite de ano novo, na tradicional Ceia de Reveillon realizada na noite da virada do dia 31 de dezembro para o dia 1º de janeiro.

Abaixo, uma lista de comidas de ano novo, os alimentos que são servidos na ceias, ou que carregam alguma significação na passagem do ano:

  • ARROZ

O arroz é um alimento praticamente mundial. Sua cor representa a divindade. O consumo desse alimento ainda simboliza riqueza, abundância e fertilidade. Vem daí o costume de jogar arroz nas noivas

Na Coréia, no Japão, no Líbano e na Dinamarca acreditam que esse é um alimento que traz muita sorte. O Líbano tem ainda uma outra curiosidade, é costume desse povo comer apenas alimentos brancos na noite da passagem do ano.

  • CHAMPANHE, ESPUMANTES, VINHOS FRISANTES

Essas bebidas também são feitas com uvas, são bebidas que não podem faltar na ceia e no brinde de Ano Novo.

Como é feito a partir da uva, atrai sorte. Além disso, é a bebida da celebração da vida, da alegria e por isso atrai felicidade. Existe o costume de tomar 3 goles de champanhe e para cada um fazer um pedido.

Saúde!
Saúde!

 

O champanhe “verdadeiro” é originário de uma região da França, e sua pureza e qualidade são reconhecidas no mundo todo. O único problema é que essa é uma bebida cara, mas você pode substituí-la por espumantes nacionais ou importados, de quase igual qualidade e mais baratos.

 

 

  • CORDEIRO

O cordeiro é um animal muito tradicional das ceias de Natal e Ano Novo, consumido há milhares de anos, é um animal muito apreciado no Oriente e aos poucos vem conquistando seu espaço na mesa dos brasileiros, se você não gosta é por que não experimentou, ou se já comeu e não gostou é por que não foi bem preparado, sendo assim, neste fim de ano inove sua ceia e coloque o cordeiro no cardápio e surpreenda seus convidados.

  • FIGO: Atrai saúde, paz e harmonia.

Existem registros de que a fruta era enaltecida por gregos e romanos, que atribuíam ao deus Dionísio ou Baco a introdução do figo e da uva “para a alegria e riqueza da humanidade”. Também no Antigo e no Novo Testamento existem várias passagens alusivas à figueira, considerada um símbolo de paz e de harmonia.

Com tantas referências históricas, sabe-se também que há muito tempo atrás a figueira já era cultivada nas regiões semi-áridas do sudoeste da Ásia, pelos povos do deserto, tendo sido introduzida no Egito, na Grécia e na Itália quase mil anos antes de Cristo.

Com a expansão do mundo árabe, a figueira foi também levada para a Península Ibérica, estabelecendo-se na Espanha e em Portugal.

Foi assim, com toda a sua história e mistérios, que as primeiras figueiras chegaram às terras brasileiras já no século 16.figos

O figo, aquele conjunto carnoso avermelhado e completamente comestível, é erroneamente identificado como o “fruto da figueira”. No entanto, todo esse conjunto não passa de uma inflorescência denominada “sícone”. Ou seja, o figo propriamente dito nada mais é do que o receptáculo carnoso em cujo interior encontram-se os verdadeiros frutos: as minúsculas sementinhas que permanecem envolvidas pelos restos das flores da figueira, que formam a polpa carnuda.

  • LENTILHAS

A lentilha é sinal de boa sorte, principalmente para os italianos.

É utilizada para trazer fartura à mesa. A origem desta superstição é italiana e foi trazida para o Brasil pelos imigrantes. Dizem que 1 colher de sopa é suficiente para assegurar um ano inteiro de muita fartura.

No Brasil e no Chile, algumas pessoas acreditam que a lentilha deve ser a primeira coisa a ser consumida na ceia, logo após a meia-noite, para que não falte dinheiro durante o ano que está chegando. Grãos, como por exemplo a a lentilha, se assemelham a moedas.

lentilhaQuem quer atrair riqueza não pode deixar de consumir lentilha, essa preciosa leguminosa (diferente de “legumes”, as leguminosas são feijões, lentilha, soja e grão de bico). Acredita-se que as pequenas sementes, circulares e achatadas são como moedas e atraem boa sorte no âmbito financeiro. .Aliás, a lentilha é tão rica em fibras solúveis, que devia ser mais consumida no ano inteiro e não somente agora.

  • LOURO

Espalhar folhas de louro pela mesa é um costume antigo vindo da tradição greco-romana por simbolizar sucesso e vitória. Guardar 3 folhas de louro na carteira é garantia de sucesso e reconhecimento!

O Louro, proveniente do Mediterrâneo, era símbolo de vitória para atletas e heróis nacionais durante a Roma Antiga. Este hábito perdura até hoje, quando levamos as folhas de louro na carteira, como símbolo de boa sorte!

  • MAÇÃ

À meia-noite, dê uma mordida numa maça bem vermelha, que simboliza sucesso e longevidade..maca

A maçã é tão antiga quanto a história da humanidade. Nas regiões temperadas, a macieira é cultivada há muitos milênios. Segundo alguns pesquisadores, as primeiras macieiras surgiram há 25 mil anos, em algum ponto entre o Cáucaso e o leste da China. Outras investigações indicam que as espécies atuais existem desde o término da era glacial, há 20 mil anos. Na Antiguidade, a participação da maçã na vida do homem pode ser verificada por inúmeras histórias, lendas e em mitos provenientes de distintas civilizações de locais muito distantes. Até os dias de hoje não se sabe ao certo quando e onde se originou a macieira, e qual ou quais foram as espécies silvestres que deram origem à maçã contemporânea, cujas variedades são atualmente conhecidas.

A macieira é talvez a primeira árvore a ser cultivada pelo ser humano, e seu fruto tem sido melhorado por seleção natural ao longo dos anos. Atribui-se a Alexandre, o Grande o crédito de encontrar maçãs anãs na Ásia Menor em 300 A.C., e de levá-las para a Macedônia. Maçãs de inverno, colhidas no final do outono e estocadas no frio foram uma importante fonte alimentar na Ásia e na Europa durante milênios.

Segundo o pesquisador Dehais, a maçã é considerada nativa da região limitada ao norte pelas montanhas do Cáucaso meridional, ao sul pela parte norte do Irã, ao leste pelo mar Cáspio e a oeste pela região de Trevisonda, na Turquia, sobre o mar Negro. Nesses limites, atualmente estão os países Geórgia, Azerbaijão e Armênia, o norte do Irã e o leste da Turquia. As maçãs se difundiram pela Europa com facilidade por causa de sua adaptabilidade a diferentes climas, adotando, em sua viagem pelo planeta, diferentes cores, formas, sabores e histórias, pois essa fruta tem um valor simbólico grande.

Egito, China, índia, Grécia, Israel e Roma revelam a presença da maçã em diferentes fontes documentais. A arqueologia mostra que na Idade da Pedra, na Europa Central, consumiam-se maçãs frescas e secas ao sol. Nos primeiros registros escritos egípcios e chineses, a fruta aparece mencionada. É sabido que há 8.500 anos maçãs já cresciam e eram consumidas em Jerico, cidade próxima do rio Jordão, na Palestina, considerada a cidade mais antiga do mundo (partes da cidade datam de 11 mil anos), o que indica que a presença da maçã é quase tão antiga quanto os primeiros assentamentos humanos.

Em algumas regiões, na Antiguidade, as maçãs eram destinadas à nobreza, e eram sobremesa já há 4.500 anos. A maçã já era cultivada em 300 A.C. pelos fenícios e cartagineses. Os hititas, sabidamente, consumiam maçãs, assim como os acádios, já que uma múmia encontrada no cemitério real de Ur havia sido sepultada com diversos itens, dentre eles um prato com fatias de maçã. Na bíblia, no código de Manu (século V a.C), na história das plantas do grego Teophrastus (300 A.C.) e em obras de botânica feitas por romanos (Marco Terencio e Plínio Caio) também há referência à maçã, mostrando a difusão da fruta por essas regiões.

Na Idade Média, a maçã, notadamente a silvestre, era cultivada e consumida pelas classes sociais mais altas. O cultivo era reservado para monastérios e para a nobreza, feito em lugares isolados como pântanos drenados ou ladeiras de colinas. Já no século XVI, os médicos indicavam consumir maçãs cozidas e temperadas, por considerarem-na uma fruta muito úmida e fria. Durante o século XVII, foi utilizada pelos camponeses europeus para fazer sidra, uma bebida. Chegou ao Novo Mundo pelos colonizadores europeus, mas há informações de se haver encontrado evidências dessa fruta em ruínas de colônias vikings na Groenlândia e no Canadá, datadas de mais de 400 anos antes do descobrimento da América por Colombo. A maçã foi uma importante fonte alimentícia em todos os tipos de climas frios. E a espécie de fruto, com exceção dos cítricos, que pode ser conservada durante mais tempo sem perda de suas propriedades nutritivas.

  • MELANCIA

Atrai prosperidade, devido a sua grande quantidade de água e sementes, e a capacidade de muitos frutos, acredita-se que a melancia é símbolo de vida, fartura  e renovação.melancia

A melancia é originária das regiões secas da África tropical e do Sul da Ásia, embora seja encontrada na Índia uma grande diversidade dessa espécie, o que acabou gerando uma controvérsia sobre sua real origem. A domesticação ocorreu na África Central onde a melancia é cultivada há mais de 5000 anos. No Egito e no Médio Oriente é cultivada há mais de 4000 anos. A cultura foi introduzida na China no séc. X. Por volta do séc. X o seu cultivo era documentado na Córdoba árabe e no séc. XIII já era cultivada em diversas regiões da Europa. A cultura foi introduzida na América no séc XVI e no Brasil foi trazida por negros de origem Banto e Sudanês,  no processo de escravidão. Por ser adaptável, é tão resistente que se dispersou sem problemas por quase todo o mundo, é hoje, a segunda fruta mais produzida no planeta, depois da banana.

Considerada uma fruta que funciona como sobremesa refrescante, nas regiões áridas de África são utilizados como fonte de água desde tempos imemoriais. As sementes são muito consumidas em diversas regiões da Ásia. Na Índia faz-se pão de farinha de semente de melancia; no Médio Oriente comem-se as sementes assadas; na China selecionaram-se cultivos com sementes grandes.

Tem propriedades hidratantes (contém cerca de 90% de água). Além disso, possui também açúcar, vitaminas do Complexo B e sais minerais, como cálcio, fósforo e ferro.

Pode ser consumida in natura, ou ainda elaborada em pratos doces (sorvetes, sucos, mousses, saladas de frutas, doce em calda) ou salgados (saladas, contrastando com sabores do camarão, temperada com hortelã, mangericão, ou então harmonizando sabores com seus primos melão, abóbora e pepino).

  • NOZES, AVELÃS, CASTANHAS E TÂMARAS

Elas foram trazidas pelos imigrantes de origem árabe e são recomendadas para garantir fartura.

As “nuts” (nozes,castanhas em geral e, ate frutas secas,em inglês) atualmente estão sendo utilizadas como petisco saudável, como uma pequena porção antes das duas  principais refeições, e veja  se a  fome não vai diminuir na hora de “atacar” o prato principal.frutas-oleaginosas

A arte de secar  frutas para consumi-las durante o inverno surgiu na Europa , durante o Império Romano. Ricas em açúcares, na época , eram utilizadas  por viajantes e soldados para repor as energias.

As frutas  desidratadas são submetidas a  processos de secagem natural, exposição ao Sol ou artificial, câmaras de ar,vapor ,estufas ou fornos, sendo que não perdem muitas  de suas propriedades nutricionais.    As fibras, minerais e açúcares permanecem preservados e ficam muito  mais  concentrados, daí o forte sabor adocicado e aroma.

  • PEIXES

É a única carne obrigatória ( porque é muito saudável) que devemos comer na ceia de ano novo, também porque o peixe é o simbolo dos milagres de Cristo. Na verdade, peixe em grego é ICHTUS, que é também a junção das iniciais de Iesus Christus Theos Uios Soter, que em português significa Jesus Cristo, filho de Deus, o Salvador. Come-se peixe, portanto, para pedir a proteção do Cristo durante o ano que está chegando. E por que é bom para a saúde! Muitas culturas acreditam que os peixes trazem boas vibrações. Os japoneses acreditam que eles são um símbolo de fertilidade por conta de sua capacidade de produzir toneladas de ovos. Os suecos também comemoram a virada do ano com uma abundância de frutos do mar, incluindo pratos em conserva.

  • PORCO –  LEITÃO

O porco está sempre andando e fuçando para frente e, por isso, é visto como um animal de prosperidade.

Além disso, seu alto teor de gordura nos remete à fartura e à riqueza. No interior existe um velho ditado que diz que todo animal que faz xixi para trás empurra o dono para frente, sendo assim o porco é a melhor opção, ou o tender assado.

  • ROMÃ

A romã é símbolo de fartura e fertilidade, é uma planta mágica cultuada em antigas tradições do oriente por ter poderes de atrair riquezas para quem a cultiva.

Ela é uma fruta que tem muitas sementes, que simbolizam o nascimento e a abundância.roma

A romã está associada às paixões e à fecundidade. A árvore era consagrada à Afrodite, deusa da fertilidade. Para os judeus, a romã é um símbolo religioso com profundo significado: no ritual do ano novo, acreditam que o ano que chega sempre será melhor do que aquele que vai embora. Sugiro como uma linda decoração e para ser apreciada, pois é rica em vitamina C, fortalecendo a defesa natural do corpo.

No Brasil, a tradição manda que se segure três sementes dessa fruta nos dentes à meia-noite, pedindo dinheiro para o ano seguinte.

Serve para atrair dinheiro. Coma a fruta, guardando sete sementes na carteira.

As sementes devem ser guardadas durante todo o ano, dentro da carteira e envolto em papel branco. Se você tem um quintal ou um espaço disponível plante uma romanzeira, cuide dela e ela trará fortuna para sua casa.

  • TRIGO (RAMOS): O trigo simboliza a fartura, a abundância e o desabrochar de todas as possibilidades, devendo estar presente na mesa de ano novo e durante todo o ano. Para comer, tenha um tipo de pão com trigo na mesa de ano novo, divida o pão com as mãos e ofereça a cada convidado, desejando que nunca falte o alimento para todos, com fartura e abundância.trigo
  • UVAS

A uva é a fruta mais conhecida por trazer boa sorte no Ano Novo. A uva garante prosperidade e fartura de alimentos, para isso é necessário comer 12 uvas, ou seja, uma para cada mês do ano. Aproveite e faça um pedido para cada uma que comer.Elas também podem garantir dinheiro: guarde as sementes na carteira ou na bolsa, até a troca do próximo Ano-Novo.

Na Espanha, as pessoas têm costume de comer 12 uvas à meia-noite, uma para cada batida do relógio. O objetivo é comê-las antes do início do novo ano. Alguns acreditam que a doçura de cada uva prevê como cada mês será. Por exemplo, se a terceira uva é amarga, março pode ser um mês difícil. A tradição começou em 1909, quando houve uma grande produção da fruta no país. Acredite ou não nessa superstição, coma do mesmo jeito, pois uvas fornecem glicose, fibras e água, além de matar bem a vontade de comer um doce…

  • VINHO

O vinho é feito de uvas, que por si só já carregam uma significação positiva e otimista. Na passagem do ano, faça um brinde ao ano que nasce e beba o vinho em copos de cristal.

Observações:

AVES

Passe longe de frango, peru, faisão ou qualquer tipo de ave se quer ter algum sucesso no ano que vem! As aves ciscam para trás e, para os supersticiosos, isso indica retrocessos e atraso de vida, na dúvida, opte por outros tipos de carnes.

FRUTAS COM ESPINHOS

Não tenha na mesa frutas com espinhos, segundo a crença os espinhos significam sofrimento, dificuldades e entraves.

Gostou deste texto? Então ajude a divulgar!

Drinks de Espumantes – Verão e Festas

O espumante é uma ótima bebida para ser utilizada como base de drinks refrescantes e leves. Seu teor alcoólico, em comparação aos destilados, tão tradicionalmente utilizados para esse fim, tornam a bebida muito mais leve e agradável, além de mais saudável.

Certamente que o gelo (e as frutas) irão alterar as características do produto. Mas o momento de consumo e apreciação de um espumante deve ser livre de compromissos e formalidades, sempre.

Seguem aqui algumas boas receitas de drinks e coquetéis que levam espumante como ingrediente.

Inicio pelas tradicionais Bellini, Rossini, Kir Royal e Mimosa, e na sequência teremos as receitas diferenciadas. Todas as receitas são para doses individuais.  Façam bom proveiro!

drinks-trio

BELLINI

Ingredientes:

1 parte de suco de pêssego

3 partes de espumante

Modo de Preparo:

Coloque o suco de pêssego na taça de espumante e complete com espumante prosecco.

 

ROSSINI

Ingredientes:

1 morango médio

açúcar (opcional)

100ml de espumante/prosecco

 

Modo de preparo:

Triture ou amasse bem o morango num recipiente separado.

Uma pitada de açúcar é opcional.

Misture gentilmente com o espumante.

Mergulhe um morango se quiser enfeitar e aproveite.

Sirva em seguida.

 

KIR ROYAL

Ingredientes:

15 ml de Creme de Cassis por copo

150-180 ml de vinho espumante branco (cava)

Uma pitada de raspas de laranja

Um cacho de miniuvas ou de outra fruta para guarnição

Modo de preparo:

Resfrie previamente as taças de espumante com pedras de gelo. Jogue fora o gelo antes de colocar o coquetel.

Retire uma lasca de casca de laranja (evitando o sumo), esprema para permitir que o óleo venha à superfície e passe ao redor da borda da taça. Em seguida, deixe-a no fundo.

Coloque o creme de cassis na taça e preencha com o espumante (até encher ¾ da taça). Acrescente frutas frescas.

 

ROSSINI SPRITZ

Ingredientes:

10 morangos médios

10 folhas de hortelã

50ml de calda de açúcar (ou 1 colher de sopa açúcar comum)

50ml de vodca

350ml de espumante  prosecco

100ml de club soda (ou água com gás)

5 rodelas de limão

gelo (a gosto)

Modo de preparo:

Pique os morangos grosseiramente e coloque em uma tigela junto com a hortelã.

Amasse tudo com um pilão para caipirinha ou um amassador de batata e passe para uma jarra de cerca de 1 litro.

Adicione todos os outros ingredientes e o suficiente de gelo para completar a jarra.

Misture levemente, mas não mexa demais para que o drink não perca o gás, nem fique aguado.

Sirva imediatamente em copos de vinho, sempre deixando cair em cada copo um pouco de gelo e uma rodela de limão.

Como fazer calda de açúcar

Ingredientes:

Mesma quantidade de água e de açúcar. Por exemplo, 100g de açúcar e 100ml de água

Modo de preparo:

Leve a água e o açúcar ao fogo e deixe ferver somente até que os dois se misturem. Deixe esfriar antes de colocar no drinque.

 

MIMOSA

Ingredientes

300 ml de suco de laranja

1 garrafa (750 ml) de espumante

 

Modo de preparo

Em uma jarra ou garrafa, misture o suco de laranja com o espumante. Sirva a seguir em taças de espumante.

Rendimento: 6-12 doses

 

AGRIPINO

Ingredientes

10 ml de vodca cítrica

1 bola de sorvete de limão-siciliano (ou de tangerina)

40 ml de espumante brut

1 tira de casca de limão-siciliano para decorar (ou de laranja se usar de tangerina)

Modo de fazer

No liquidificador, bata ligeiramente a vodca e o sorvete. Em uma taça, despeje a mistura e complete com o espumante. Decore com a casca de limão e sirva.

 

FRISCO

Ingredientes

10 ml de xarope de hortelã

75 ml de espumante brut

1 folha de hortelã para decorar

Modo de fazer

Em uma taça, despeje o xarope e complete com o espumante. Decore a borda da taça com a hortelã e sirva.

 

BIG APPLE

Ingredientes

1 colher (sobremesa) de açúcar

1 colher (café) de canela em pó

1 fatia fina de maçã verde em meia-lua

90 ml de espumantebrut

Modo de fazer

Em uma tigela, misture bem o açúcar e a canela em pó. Envolva a lâmina da maçã com a mistura, formando uma crosta. Reserve. Em uma taça, despeje o espumante. Junte a maçã em crosta e sirva.

 

BERRY BUBBLES

Ingredientes

6 fatias finas de morango fresco

10 ml de licor de framboesa

10 ml de licor de amora

75 ml de espumante em uma taça

Modo de fazer

Junte as lâminas de morango e os licores. Complete com o espumante e sirva.

 

MORANGO REFRESCANTEdrink-morango

Ingredientes

5 unidades de morangos maduros

1 colher de chá de açúcar ou adoçante

1 copo de espumante brut gelado (1 copo  drink)

1 unidade de morango para decorar (fazer um pequeno corte no centro do morango, e encaixá-lo na borda do copo.)

gelo a gosto

Modo de preparo

Bater os morangos picados, o açúcar e o gelo em uma coqueteleira.

Adicionar o espumante delicadamente, inclinando o copo em 45 graus para manter todo o gás da bebida.

Decoração

Fazer um pequeno corte no centro do morango, e encaixá-lo na borda do copo.

Usar copo long drink para dar um aspecto de frescor.

Dicas: caso não tenha coqueteleira, esmague os morangos no mesmo copo onde o drink será montado. Logo após, prossiga a receita normalmente. O que confere frescor ao drink é a acidez do espumante gelado, portanto, atenção para não desperdiçar o gás.

 

FRUIT

Ingredientes:

Abacaxi (3 pedaços pequenos)

Hortelã (2 raminhos de hortelã)

1 colher de sopa de suco de tangerina

2 morangos

espumante

Modo de preparo:

Amasse tudo, acrescente gelo e complete com espumante. Utilize copo longo.

 

SOUR ESPUMANTE

Ingredientes:

2 colheres de sopa de suco de limão

4 colheres de sopa de suco de manga

3 colheres de suco de morango

Açúcar a gosto

espumante

Modo de preparo:

Coloque os ingredientes em uma taça e adicione o espumante. Uma dica é misturar, separadamente, mais açúcar no suco da fruta que desejar que fique na parte de baixo da taça e mais espumante na que desejar que fique na parte de cima.

 

ESPUMANTE SUNRISE

Ingredientes:

4 colheres de sopa de suco de laranja

2 colheres de sopa de groselha

espumante

Modo de preparo:

Coloque os ingredientes em uma taça e complete com espumante.

Ingredientes:

2 colheres de sopa de calda de tangerina

espumante

Modo de preparo:

Apenas jogue a calda na taça com espumante e misture.

 

PEACH ESPUMANTE

Ingredientes:drink-sour

4 colheres de sopa de pêssego picado

espumante

Modo de preparo:

Bata o pêssego no liquidificador até virar um creme, coloque em um copo e adicione espumante até completar.

 

STOP LOSS DRINK

Ingredientes:

4 colheres de sopa de suco de cranberry

2 colheres de sopa de licor de amora

espumante brut

Modo de preparo:

Coloque os ingredientes nas medidas corretas em uma taça flute e complete com espumante brut.

 

NOEL BEAR

Ingredientes:

2 colheres de sopa de licor de morango

1 colher de sopa de xarope de maçã verde

espumante brut

Modo de preparo:

Coloque os ingredientes nas medidas corretas em uma taça flute e complete com espumante brut.

 

BULL CAMP

Ingredientes:

1 colher de sopa de xarope de tangerina

3 colheres de sopa de schweppes citrus

espumante brut

Modo de preparo:

Coloque os ingredientes nas medidas corretas em uma taça flute e complete com espumante brut.

 

drinks-coloridos-para-festas
Drinks coloridos e refrescantes!

 

FRESH

Ingredientes:

1 colher de sopa de xarope de folhas hortelã

1 colher de sopa de suco de limão siciliano

4 colheres de sopa de suco maçã verde

espumante

Modo de preparo:

Coloque os ingredientes em uma taça e complete com espumante.

 

SORBET

Ingredientes:

1 1/5 colher de sopa de suco de limão siciliano

1 colher de sopa de xarope de tangerina

espumante

gelo

Modo de preparo:

Bata gelo no liquidificador na quantidade suficiente para adquirir a consistência de frozen. Encha metade do copo com frozen e adicione o limão siciliano e o xarope de tangerina. Complete com espumante até a boca do copo.

 

BON JOUR

Ingredientes:

4 colheres de sopa de suco de melancia

1 colher de sopa de xarope de menta

xarope de canela a gosto

espumante brut

Modo de preparo:

Coloque em uma taça os ingredientes e complete com espumante.

 

JOSEPHINE 

Ingredientes:

2 pedaços de morango

2 pedaços de framboesa

2 pedaços de manga

3 colheres de sopa de vinho moscatel

espumante

Modo de preparo:

Coloque em uma taça as frutas cortadas e adicione o vinho. Complete com espumante.

 

SOUPE DE ESPUMANTE

Ingredientes:

2 colheres de sopa de iogurte de amora

1 1/5 de suco de lichia

espumante

Modo de preparo:

Coloque em uma taça o iogurte de amora e a lichia e complete com espumante.

 

drink-colorido

 

SWAP DRINK

Ingredientes:

1 colher de sopa de licor de banana

1/2 colher de sopa de limão siciliano

1 1/2 colher de sopa de licor de pêssego

espumante

Modo de preparo:

Coloque os ingredientes nas medidas corretas em uma taça flute e complete com espumante brut.

 

APPLE SOUR

Ingredientes:

1 colher de sopa de maçã verde sirop

1 colher de sopa de gotas de pastis

2 colheres de sopa de vodca de vanille

espumante

Modo de preparo:

Coloque os ingredientes nas medidas corretas em uma taça e complete com espumante.

Se você tem interesse por espumantes, se aprecia esta bebida, veja mais sobre o assunto nos posts  já publicados ABC do Espumante  e  Diferenças entre champagne, espumante, frisante, prosecco.

Bebidas alcoólicas são proibidas para menores. Se beber, não dirija.

 

Gostou deste texto? Então ajude a divulgar!

ABC do Espumante

Verão e Festas – época de espumantes!espumantes

O verão começa agora e  chegou com toda força…

E com ele o calor, os dias mais longos, as festas de final de ano e as férias, muitas vezes em praias deste imenso e variado  litoral brasileiro. Nesta época, o consumo de espumantes aumenta em todo o país. Embora seja cada vez mais consumido ao logo do ano, o vinho borbulhante tem a cara do verão. É uma bebida alegre, refrescante, e que acompanha bem qualquer tipo de comida.

Atualmente os espumantes brasileiros estão entre os melhores do mundo, com ótima relação custo-benefício. Mais um bom motivo para saudar a chegada do verão com uma taça de espumante.

Do aperitivo à sobremesa, os espumantes têm brindado cada vez mais as refeições dos brasileiros. É o que mostram as pesquisas do Ibravin, Instituto Brasileiro do Vinho, pois a bebida deixou de ser exclusividade das festas de fim de ano. Anteriormente, 70% das garrafas eram vendidas no último trimestre, agora essa proporção caiu para 40%. Ou seja, estamos bebendo espumantes de forma mais contínua, com goles bem distribuídos ao longo do ano.

Mesmo com o consumo em alta, sobretudo no verão, ainda existem algumas dúvidas. Por exemplo: é certo ou errado colocar a garrafa no congelador para refrescar antes de servir? Ou ainda: é correto chamar todo tipo de vinho espumante de champanhe? Mais: para beber, por que não se usam aquelas taças largas tão comuns nos filmes da era do rádio, e sim os copos mais longos e finos?

Verifique abaixo informações e respostas para algumas questões a respeito desse tipo de bebida.

O que é um espumante

É um vinho que passa por duas fermentações. Na primeira, comum a todas as bebidas do gênero, o açúcar contido no próprio suco das uvas é transformado em álcool. Para que a segunda fermentação ocorra são adicionados açúcares e leveduras. Juntos, eles produzem mais álcool e também o gás carbônico, responsável pelas características borbulhas (perlage).

As principais uvas

Espumantes são feitos em várias regiões do mundo, mas as uvas podem mudar de um país para outro. De modo geral, a chardonnay (branca) e a pinot noir (tinta) são empregadas na produção. Na França, essas duas uvas, mais a pinot meunier, compõem a fórmula de muitos champanhes, produzidos exclusivamente na região de Champanhe. Na Itália, se fabricam bons espumantes a partir de uvas prosecco, enquanto na Espanha, são famosas as uvas macabeo e parrellada. No Brasil, além da chardonnay e da pinot noir, destacam-se também a riesling itálica e a moscato, que serve de base para espumantes doces.

Tipos de espumante

Diante da prateleira do supermercado é comum encontrarmos quatro tipos de rótulos: brut (seco), demi-sec (meio seco ou ligeiramente adocicado), doce (bem açucarado, bom para acompanhar sobremesas). A diferença entre eles está na quantidade de açúcar adicionada na segunda fermentação. Existem ainda os rosé (feitos a partir de uvas tintas).

Métodos de produção

Existem duas maneiras de fabricar espumantes. O método mais tradicional é chamado champenoise e foi criado na França, na região de Champanhe. Nele, a segunda fermentação ocorre dentro da própria garrafa. O trabalho é minucioso. Os açúcares e leveduras responsáveis pela segunda fermentação vão se depositando nos gargalos das garrafas, que são colocadas de cabeça para baixo e giradas periodicamente. Ao final da maturação, o gargalo é congelado e, na abertura, os resíduos são expulsos pela pressão interna provocada pelo gás carbônico. Já no método charmat, a segunda fermentação é feita em grandes recipientes, geralmente de aço inoxidável, projetados para suportar grandes pressões. Nesse caso, é mais fácil extrair os resíduos de leveduras.

 Todo champanhe é um espumante, mas nem todo espumante é champanhe
Parece confuso, mas a explicação é simples. A região francesa de Champanhe é a única que pode utilizar oficialmente a designação de champanhe para espumantes feitos pelo método champenoise. Em outras regiões, esse tipo de vinho recebe outros nomes.

Na Espanha, espumante é cava. Na Itália, prosecco
A região da Catalunha, no nordeste da Espanha, é a principal produtora de vinhos cava, espumante típico do país produzido pelo método champenoise. Na Itália, o espumante mais conhecido vem do Vêneto. É chamado de prosecco, que é o nome da uva que o origina.

Como deve ser servido

Espumantes pedem taças flute, em forma de tulipa alongada. Ela conserva melhor o gás e mantém as borbulhas por mais tempo. Segure a taça pela haste, o que evita sujá-la e também que o calor da mão esquente a bebida. A temperatura média recomendada para servir um espumante é entre seis e oito graus Celsius.

Uma anotação importante: temperaturas muito baixas podem acentuar a acidez e diminuir os aromas da bebida.

Posso colocar o espumante no congelador?

rolha-espumanteAtire a primeira rolha quem nunca colocou um espumante no congelador para ganhar tempo. Para vinhos tintos e brancos normais a medida é até aceitável. Mas no caso dos espumantes isso é perigoso. A pressão contida na garrafa pode fazer com que ela exploda. A forma correta e segura de servir é colocar a garrafa de espumante em um balde de gelo com água, para melhor distribuir a temperatura, de 25- 30 minutos antes do brinde.

Espumantes combinam com…

Peixes e frutos do mar são quase sempre bons parceiros dos espumantes. Pratos com alto teor de gordura, como as frituras, também casam bem com esse tipo de bebida. No caso das carnes vermelhas, a harmonização com espumante é perigosa (melhor não arriscar). Para acompanhar a sobremesa, aposte em exemplares doces como os espumantes feitos a partir da uva moscatel.

COMO RESFRIAR O ESPUMANTE

Parece bobo, mas todo o ano, algumas pessoas perdem a visão por “rolhas assassinas” como a sua.

O que as pessoas não sabem, é que não se deve resfriar o espumante no freezer. Em primeiro lugar, porque demora mais do que no balde de gelo, em segundo, porque a rolha perde a elasticidade e pode causar acidentes coespumante-baldemo o descrito acima. Além disso, alguns enólogos consideram que o choque, a -20ºC, pode alterar as características do espumante.

A forma correta e segura de servir um espumante é colocar a garrafa em um balde de gelo com água, de 25-30 minutos antes de consumir

A melhor maneira de resfriar o espumante é coloca-lo em um balde de água com gelo (na proporção meio-a-meio), mantendo a rolha para fora do balde. Em 25-30 minutos, ele estará gelado. É importante lembrar que, antes dele ficar gelado, deve-se incliná-lo algumas vezes, para que o líquido próximo ao gargalo seja misturado com o do fundo da garrafa, permitindo um resfriamento por igual.

Truques aceleradores

Se quiser resfriar um pouco mais rápido, pode colocar um pouco de sal no balde. Isso altera o ponto de fusão da água e permite que você tenha água mais gelada, sem que ela vire gelo.

Adicionar um pouco de álcool é importante. Ele é dissipador de calor da bebida, pois evapora e leva o calor embora, similar a sensação de frio que ocorre quando passamos um pouco de álcool na pele, onde o frio que se sente é exatamente em função do calor ter sido dissipado rapidamente com álcool. O sal aumenta o ponto de fusão do gelo, fazendo com que ele demore mais para derreter, aumentando então a eficiência, “autonomia” da “carga” de gelo, além também de servir para aumentar a condutividade (a eficiência na troca de calor).

O álcool é uma substância volátil, ou seja evapora com facilidade, à medida que evaporar, ele “rouba” calor da mistura, então ajuda a gelar mais rápido.

Economicamente, o sal é mais viável que o álcool, caso queira optar por um dos dois apenas, pois é necessário mais álcool do que sal para obter o mesmo efeito. O fato de usar os 2 ao mesmo tempo, faz potencializar a ação de gelar a bebida mais rápido.

Com tudo isso, será possível ter um espumante mais gelado e mais rápido, além de diminuir a chance de acidentes, desde que a rolha seja aberta da maneira correta.

espumante-lona1

Em taças ou em pratos, diversas formas de consumir espumantes:

 DRINKS: alguns drinks com espumante podem ser elaborados sem o uso de muitos ingredientes e utensílios. O Bellini, que mistura suco de pêssego e espumante em partes iguais, cai super bem em happy hours. As Mimosas, que combinam o espumante com suco de laranja, harmonizam bem com brunchs e cafés da manhã em clima de festa, veja muitas receitas neste outro post, Drinks de Espumantes;

  1. PARA FAZER A MARINADA: além dos temperos tradicionais de sua preferência, adicione meia garrafa de espumante ao deixar a ave do Natal de molho, preferencialmente um dia antes de assá-la. O espumante não só realça o sabor dos temperos, mas também ajuda a penetrá-los na carne;
  2. PARA REGAR O ASSADO: passada uma hora com a ave no forno, recomenda-se regá-la de hora em hora para que a carne não resseque. A dica aqui é regá-la adivinhe com o quê? Espumante. Separe 1/2 taça para cada vez que for regar o assado;
  3. PARA DAR SABOR AO ARROZ FESTIVO: o arroz à grega também pode entrar no clima festivo, adicionando uma taça de espumante logo depois de fritá-lo. Aliás, as famosas passas de final de ano podem ser hidratadas no espumante também. Para os que não são fãs de arroz à grega, que tal um arroz com espumante e amêndoas torradas?
  4. NA SALADA: atenção que essa dica é ouro! O espumante serve como base de molho para saladas ao usá-lo ao invés de vinagre, com um fio generoso de azeite, sal, pimenta e uma folha de limoeiro, que fica em infusão por alguns minutos antes de regar folhas e legumes;
  5. NA SOBREMESA: o espumante pode ser utilizado nas receitas de sobremesa, tanto para umedecer biscoitos em pavês ou como ingrediente principal numa mousse, batido no liquidificador com uma lata de leite condensado e uma lata de creme de leite sem soro. A medida do espumante é a mesma da lata e o Moscatel é o mais indicado para esse preparo.

Seja nas taças ou nos pratos, use a criatividade e aproveite os espumantes brasileiros nas festas de final de ano.

Veja aqui mais informações sobre este tipo de bebida.

Bebidas alcoólicas são proibidas para menores.
Se beber, não dirija.

Gostou deste texto? Então ajude a divulgar!