Série Sopas 1: BAMBÁ DE COUVE, de Minas Gerais para o mundo.

O bambá é um prato tipicamente mineiro.
Em Minas você o encontra com uma variação muito grande de temperos e recheios, deliciosa receita da culinária mineira, ótima dica de prato, ainda mais para os dias frios e o melhor de tudo, é uma refeição super criativa!
Muito fácil de preparar, é perfeito para quem quer provar algo delicioso, pode ser servido com um bom vinho, fica perfeita a combinação! Ideal para esquentar o corpo nas noites frias.

O “bambá-de-couve” cuja receita, muito rica, teve origem em Ouro Preto, além da lingüiça, requer costelinha, toucinho magro (defumado ou não), tudo previamente bem frito, podendo-se ou não adicionar o ovo ao mingau. E a couve tem de ser RASGADA. Couve picada no “bambá” é o sacrilégio dos sacrilégios!
Nascido na senzala, como muitos outros itens da culinária brasileira, em Ouro Preto o prato ganhou o nome “bambá-de-couve”, enriqueceu-se com carnes e caiu no gosto do mineiro. Há não muitos anos, só no distrito sede, a cidade de Ouro Preto, o prato era conhecido por esse nome; nos demais distritos, chamavam-no “mingau-de-couve”. Posteriormente, com a maior divulgação das coisas de Ouro Preto, a receita do “bambá-de-couve” transpôs fronteiras, dizem que chegou até a Europa.
Veja como é fácil, como preparar um delicioso bambá de couve para o inverno, mais conhecido como caldo verde mineiro.

bambá

Ingredientes

Para o bambá
250 g de fubá
500 g de costelinha em pedaços
5 folhas de couve rasgadas
1 litro de água
3 colheres (de sopa) de óleo
1 tablete de caldo de carne
Alho, sal e outros temperos ( pimenta preta, salsinha e cebolinha verde) a gosto
1 ovo
Fritar à parte 200 grs de linguiça em rodelas e 150 grs. de bacon picados. Reservar.

Modo de fazer o bambá

Lavar, rasgar e reservar a couve. Temperar a carne com alho e sal. Reservar.
Numa panela com o óleo, uma pitada de tempero e o caldo de carne, refogar a costelinha.
Quando estiver dourada, acrescentar água fervente e deixar por dez minutos, com a panela tampada.
Numa panela à parte, em fogo brando, misturar aos poucos o fubá com 400 ml de água e mexer, até engrossar.
Em seguida, adicionar o angu à costelinha. Deixar por mais 15 minutos, sempre mexendo com a colher de pau.
Adicionar o ovo bem batido ao caldo, provar o sal, colocar a salsinha e a cebolinha picadas.
Adicionar a couve crua para cozinhar no calor do caldo, já com o fogo desligado.
Coloque os bolinhos de ovo na sopa. (opcional)
Colocar por cima a linguiça e bacon fritos para decorar.

Para os bolinhos
3 ovos
2 colheres de sopa de farinha de trigo
100 g de queijo minas em fatias finas
½ maço de cheiro verde picado
óleo para fritura
sal a gosto
Modo de preparo

Modo de fazer os bolinhos

Bata os ovos.
Acrescente a cebola, a salsinha, a pimenta-do-reino, o queijo e o sal.
Vá adicionando a farinha aos poucos, até obter uma massa consistente.
Em uma frigideira, coloque óleo e deixe bem quente. Com a ajuda de duas colheres de sopa, pegue colheradas e faça bolinhas.
Frite no óleo quente e deixe escorrer no papel-toalha.
Depois, é só juntar ao bambá.

Sopas, cremes e caldos

Refeição completasopa no pão

A sopa, junto com o pão, foi a primeira refeição completa da história da humanidade. Conhecida como “sop” no latim arcaico, que significava o pão despejado sobre o caldo quente, ela surgiu na pré-história, quando homem percebeu que as carnes duras que caçava ao serem aquecidas na água quente com ervas ganhavam melhor sabor e ficavam macias.
Durante milhares de anos os camponeses tiveram na sopa seu prato principal.
Na Arte, grandes pintores expunham exuberantes pratos, onde personagens saciavam sua fome com uma tigela de sopa. Na Bíblia a sopa aparece como “suculentos caldos” preparados pelos Hebreus no Egito. Na Idade Média, a medicina reconheceu o valor nutricional da sopa, tornou-se um prato requintado da nobreza, e para os pobres, fonte de energia e saúde.
A partir daí a sopa incorporou ao cardápio da civilização, ganhando forma e criatividade no decorrer dos séculos e rodando o mundo. Uma refeição nutritiva e energética que ao longo do tempo tornou-se indispensável para todos os povos. Cada um deles colocou na sopa um pouco de sua cultura e costumes, virando tradição em diversos países. sopa sopeira

Porque são associadas ao inverno ?
As sopas são associadas ao tempo frio (inverno) pois quando consumidas quentes podem ajudar no conforto térmico. Muitas sopas já estão sendo bastante utilizadas no verão como sopas frias, que servem como entradas de muitos pratos.
São ricas em água, permitindo melhor hidratação, portanto devem ser consumidas sempre, qualquer que seja o clima.
Elas podem substituir qualquer refeição, tudo vai depender da composição. É possível se aquecer nas noites frias saboreando uma bela e saborosa sopa!

Vai dar caldo
Além do alto valor nutricional, as sopas feitas com legumes e verduras cozidas saciam rapidamente. O caldo final, resultante do cozimento dos legumes e verduras, estimula a liberação de colecistoquinina (CCK), hormônio gastrointestinal sintetizado por neurônios do sistema nervoso central, responsável por emitir a mensagem de satisfação ao cérebro.

Santo remédiosopa prato
Uma sopa saudável e nutritiva pode auxiliar em algumas doenças, principalmente em casos de gripes e resfriados. Para que o alimento ganhe status de remedinho caseiro, é fundamental selecionar bem os ingredientes. O uso do alho, por ser um excelente antitérmico e expectorante natural, pode ser utilizado em casos de bronquite e asma. A inclusão de gengibre para tratar sintomas de gota, artrite, dores de cabeça e na coluna, diminuir a congestão nasal e cólicas menstruais. A cebola, além de rica em vitamina C, tem ação antimicrobiana e auxilia no alívio de gripes e resfriados. A vantagem da sopa é a utilização do caldo, que na maioria das preparações é desprezado. É nele, entretanto, que estão concentrados todos os nutrientes obtidos pelo cozimento de carnes, verduras e legumes.

Cuidado!
– O queijo ralado aumenta o valor calórico da sopa, além de ser rico em sal/sódio, que aumenta a pressão arterial e a retenção de líquidos. Opção: polvilhe sobre a sopa gergelim, linhaça triturada, salsinha, cebolinha, alho desidratado.
– As sopas industrializadas, além de possuir alto valor de calorias e de sal, são pobres em vitaminas e minerais, portanto evite esse tipo de alimento.
– Não é ilegal, tampouco imoral, mas sim, engorda. As sopas saborosas e encorpadas do inverno são um conforto para o estômago. Fartar-se delas, porém, pode ser bastante calórico. Saladas e sopas são falsos magros: quem vê a cara do prato pronto, não enxerga calorias contidas nele. Uma sopa de feijão com macarrão, por exemplo, contém aproximadamente 400 calorias. Quando ingerida na companhia de pãezinhos, ou servida no pão italiano, o prejuízo pode ser dobrado.
– Sopas que levam queijos e creme de leite devem ser consumidas, preferencialmente, durante o almoço. No almoço deve ser completa, com todos os nutrientes necessários (massas ou tubérculos, carnes, folhas, e legumes). No jantar, o recomendado é optar por pratos mais leves, com pouco ou nenhum carboidrato. A orientação ajuda a perder medidas, ou, ao menos, manter peso. À noite, é bom investir em sopas mais leves, sem carnes, massas, queijos. O ideal é que sejam à base de legumes e grãos

Sopas calóricas: com massas, creme de palmito, ervilha com bacon, feijão com macarrão e as demais que incluem creme de leite e queijos.sopa pão

Sopas leves: legumes como cenoura, chuchu, beterraba, couve, cebola, alho, ervas e especiarias naturais, arroz ou macarrão (de preferência na versão integral) ou sopa de caldo verde, que geralmente é feita de chuchu e couve.

Observação:
– Não cozinhe demais os legumes, pois o teor de fibras diminui quando muito cozidos.
– Quanto mais colorida for sua sopa, maior quantidade de vitaminas e minerais você estará ingerindo.
– Para aumentar a quantidade de proteína da sua sopa você pode acrescentar uma carne magra (gado, frango, peixe) ou picar ovo cozido sobre a sopa quando pronta.

 

Sopas típicas!

Confira as sopas típicas de alguns países

Brasil – Bambá de Couve (farinha de milho e couve), Caldo de Mocotó, Caldo de Feijão.
China – Sopa de Ninhos de Andorinha, Won Ton (caldo com bolinhos recheados de hortaliças e carne).
Cuba – Sopa de Frijoles com Calabaza, (de feijões com abóbora).
Egito – Melokhia (a base de uma erva egípcia que dá nome à sopa e carne de cordeiro ou frango).

Espanha – Gazpacho (com tomate, pepino, alho, pão e azeite, servida fria).

Estados Unidos – Vichyssoise (de batata e alho porro, servida fria); Clam Chowder (creme encorpado, quase em mingau a base de moluscos, batatas e leite).

França – Soupe à l’Oignon (a base de cebola), Bouillabaisse (a base de legumes com frutos do mar frescos), Bisque (cremosa, a base de frutos do mar).

Bouillabaisse
Bouillabaisse

Haiti – Consommé a l’Orange (de caldo de frango, suco de laranja e cravo da índia).
Inglaterra – Oxtail (sopa de rabo de boi).
Israel- Pumpkin Soup (abóbora e caldo de frango).
Itália – Minestrone (com feijão, massas e legumes,comumente feita com lingüiça).
Japão – Missoshiro (caldo de peixe com missô)

México – Posole (com carne de porco ou frango, caldo e canjica).
Polônia- Kapusta(repolho com carne de porco, cebola, chucrute)
Portugal – Canja (que, segundo alguns especialistas, terá vindo da Índia) e Caldo Verde.
Rússia – Bortsch (de beterraba frescas, servida quente ou fria).

Borsch
Borsch

Tailândia – Tom Kha Gai (de leite de coco com frango, muito coentro e outros aromas).
Vietnã – Canh Chua (caldo aromatizado com hortelã e tamarindo com pedaços de peixe).

 

 

Na medida do possível, vamos disponibilizar receitas,  bom proveito!