Receitas com flores!

RECEITAS

Acompanhando o clima da primavera/verão, trazemos aqui algumas receitas com flores comestíveis para você ousar na cozinha.

Alcachofras à romana

Ingredientes

  • 6 alcachofras

Para o Molho:

  • 1 e 1/2 dente de alho para cada alcachofra
  • 2 folhas de hortelã para cada alcachofra
  • 1 ramo de salsinha para cada alcachofra (só folha)
  • 1 copo de vinho branco seco para 6 alcachofras
  • 1/2 copo de azeite de oliva para 6 alcachofras
  • Pimenta síria a gosto ou pimenta-do-reino
  • 2 colheres de café de molho de pimenta vermelha
  • Sal a gosto, ½ limão

Preparo das alcachofras: Limpe as alcachofras, retirando a paina e descartando as folhas. Desfie os talos, aproveitando os mais tenros.Deixe os talos e coração das alcachofras submerso em água e limão.  Prepare o molho. Escorra, leve-as à uma panela, acrescente o molho por cima, deixe cozinhar em fogo baixo até amaciar. Deixe esfriar, acondicione-as em um recipiente que possa ser fechado e leve à geladeira até a hora de servir. Depois de pronto, sirva como aperitivo gelado, com pão italiano.

Preparo do molho: Bata todos os ingredientes do molho no liquidificador. Despeje por cima dos talos e alcachofras. Lave o liquidificador com um pouco de água e jogue por cima das alcachofras.

Sugestão extra: prepare uma massa (espaguete, linguini, talharini ou outra da preferência). Depois de cozida al dente, aqueça manteiga, adicione na massa e junte a alcachofra cortada em quatro pedaços mais o molho. Polvilhe o queijo ralado e bom apetite!

Salada florida com vinagrete

Ingredientes

    • 1 colher (café) de aceto balsâmico
    • colher (sobremesa) de azeite de oliva
    • alface crespa roxa
    • alface orgânica
    • endívia roxa
    • fatias de manga
    • soja em flocos
    • amor-perfeito
    • sal a gosto

Modo de preparo

Monte buquês com as alfaces, a endívia e as fatias de manga e coloque-os sobre cada cumbuca ou prato. Polvilhe com os flocos de soja e distribua por entre as folhas as flores do amor-perfeito.
Misture em pequenos bowls individuais o vinagre, o azeite e o sal para que os convidados temperem suas saladas no momento de consumirem.

Risoto de capuchinha

Ingredientes:

      • 1 xícara de arroz carnaroli (ou arbóreo)
      • 1 l de caldo de legumes
      • ½ cebola grande picada
      • 1 dente de alho picado
      • 1 cálice (de licor) de vinho branco
      • 10 flores de capuchinha
      • 10 folhas grandes de capuchinha
      • 2 colheres (sopa) de queijo gorgonzola picado
      • 1 colher (sopa) de manteiga
      • Sal e pimenta-do-reino a gosto

Modo de preparo:em uma frigideira grande, refogue no azeite a cebola e o alho, deixe dourar e acrescente o arroz. Frite por alguns segundos e adicione o vinho, espere o álcool evaporar e acrescente 2 conchas de caldo de legumes. Conforme o arroz for secando vá colocando mais uma concha de caldo, repita o processo até obter um arroz levemente al dente. Após 20 minutos de preparo, adicione as folhas de capuchinha. Desligue o fogo, adicione a manteiga e tampe por alguns poucos minutos. Destampe, mexa para misturar a manteiga derretida ao arroz, acrescente as flores levemente picadas e o queijo gorgonzola, misture delicadamente e sirva imediatamente. Decore com mais flores de capuchinha.

 

Sopa creme de couve-flor

Ingredientes

      • 2 colheres (de sopa) de azeite
      • 1 xícara (de chá) de cebola picada (1 grande)
      • 3 dentes alho picados
      • 1 batata bem picada (1 xícara ou 100g)
        600g de couve-flor separada em buquês (1 média)
      • 4 xícaras (de chá) de caldo de legumes(960ml)
      • 1 folha de louro
      • Sal a gosto (uso cerca de 1 colher de chá)
      • Pimenta moída a gosto
      • Noz moscada, Cominho, Salsinha e Cebolinha a gosto

Modo de preparo: Em uma panela grande em fogo médio, coloque o azeite e refogue a cebola e o alho até ficarem levemente dourados. Adicione a batata picada e refogue por 1 minuto. Acrescente a couve-flor separada em buquês, tempere com sal a gosto e refogue por mais 2 minutos. Coloque a folha de louro, o caldo de legumes (ou água), tampe e deixe os ingredientes cozinharem por cerca de 20 minutos, ou até que fiquem bem macios. Corrija o sal, se necessário, e adicione uma pitada de noz moscada e pimenta moída a gosto.

Espere esfriar um pouco antes de bater por causa do vapor quente. Retire o louro e bata até obter um creme uniforme. Esta sopa pode ser servida quente ou geladinha.

Dica: Se quiser, use algum tipo de leite, tanto de origem animal (vaca ou cabra), quanto leite vegetal, como de amêndoas,de coco ou de castanha,no lugar de parte do caldo de legumes. O creme ficará ainda mais cremoso.

Merengue com frutas vermelhas e mini rosas

Ingredientes

      • 1 lata de leite condensado
      • 1 lata de creme de leite
      • 1 e ½ limão-siciliano
      • 6 amoras firmes
      • 6 morangos firmes
      • 6 framboesas firmes
      • 1 colher (sopa) de geleia de framboesa(bem cheia)
      • ½ copo de água
      • flores comestíveis (mini rosas) vermelhas ou rosa
      • 1 pote de chantilly
      • suspiros, ou merenguinhos

Modo de preparo

Bata no liquidificador o leite condensado, o creme de leite e o suco dos limões até chegar a um ponto de creme espesso. Em uma panela, junte as frutas, a geleia e a água e deixe por 10 minutos em fogo médio (170 ºC a 190 ºC). Para montagem individual, cubra o fundo de uma cumbuca ou xícara com uma base de creme de limão. Em seguida, coloque uma camada de suspiro, outra de chantili e finalize com a calda das frutas vermelhas. Enfeite a superfície com as mini rosas.

Primavera para mais sabor e cor

O horário de verão está para chegar, os ares da primavera de outubro sopram mornos convidando todo mundo para sair de casa, as caminhadas, os esportes, a alimentação fica mais leve, os pratos têm como requisitos sabores delicados, aromas frescos e cores abundantes.

Saladas, sanduíches, drinks, sucos, massas leves, peixe, frango, verduras e legumes, frutas como maçã, kiwi, manga, abacaxi e ingredientes frescos, do tipo hortelã e menta, compõem molhos e recheios leves e também viram hits da estação.

 

Caipira de frutas e hortelã

Ingredientes

6 cubo(s) de abacaxi, 1 colher de sopa de framboesa ou morango

6 folhas de hortelã

60 ml de destilado e 2 colheres de açúcar ou  adoçante a gosto

Modo de preparo

Num copo alto, para caipirinha, macere todas as frutas. Na sequência, complete com gelo e acrescente o destilado e o açúcar (ou adoçante). Decore com folhas de hortelã e sirva.

 

 

Smootie de morango, abacaxi, gengibre e hortelã

Ingredientes

4 rodelas de abacaxi;

100 ml de água;

1/2 xícara de morangos;

folhas de hortelã a gosto.

1 colher de sopa de gengibre ralado

Modo de preparo

Separe as fatias do abacaxi e leve para bater no liquidificador  com os morangos já limpos, as folhas de hortelã lavadas, o gengibre e a água (de preferência filtrada), acrescente cubos de gelo e bata novamente. Sirva sem adoçar.

 Sanduíche exótico

Ingredientes

1/2 colher de sopa de café solúvel

1 colher de sopa de água

4 colheres de sopa de cream cheese

8 fatias de pão de aveia light

200 g de queijo prato fatiado

200 g de lombo condimentado fatiado

8 folhas de alface romana picadas

1 beterraba média ralada

Modo de preparo

Dissolva o café na água e misture o cream cheese. Espalhe a mistura de cream cheese e café em metade das fatias de pão. Depois, distribua em camadas nas fatias o queijo, o lombo, a alface e a beterraba. Feche os sanduíches com as outras quatro fatias e sirva a seguir.

Sanduíche Ciabata

Ingredientes

1 pão ciabata médio

1 colher de sopa de azeite

4 colheres de sopa de queijo cottage

1 cenoura pequena ralada

1 xícara de chá de folhas de rúcula

100 g de presunto cozido

folhas de manjericão a gosto

8 rodelas de palmito em conserva

Modo de preparo

Corte o pão ao meio no sentido do comprimento. Passe um pouco de azeite nas duas fatias e leve ao forno pré-aquecido a 250ºC por dez minutos aproximadamente.

Enquanto o pão estiver no forno, misture o queijo cottage com a cenoura. Retire o pão do forno, forre com rúcula, cubra com a mistura de queijo com cenoura e coloque as fatias de presunto dobradas ao meio por cima de cada metade do pão. Decore com o manjericão e as rodelas de palmito e sirva.

Molho de Mostarda e Mel

Ingredientes

1 colher (sopa) de mostarda de Dijon

1 colher (sopa) de mel

3 colheres (sopa) de vinagre de vinho tinto

½ xícara (chá) de azeite

1 pitada de sal

pimenta-do-reino em grãos moída na hora a gosto

 Modo de preparo

Num pote de vidro com tampa, junte a mostarda, o mel, o vinagre e o azeite. Tampe e agite bem até formar um molho liso. Prove (veja que algumas mostardas são mais picantes e salgadas que outras), e então tempere com sal e pimenta. Tampe novamente e agite apenas para misturar. Utilize a seguir ou mantenha na geladeira por até 5 dias.

Molho de menta

Ingredientes

1 copo de iogurte natural desnatado

1 maço de hortelã

1 colher de sopa de suco de limão

Modo de Preparo

Bata metade do copo com as folhas de hortelã no processador.

Junte com o resto do iogurte e batendo sem parar, acrescente o suco de limão até que dê consistência.

Sirva gelado em saladas ou acompanha em frutas.

Sugestão: Faça espetinhos de frutas variadas ou legumes crus, como cenoura, pepino tomate cereja e sirva com o molho. É uma excelente pedida em dias quentes.

Insalata Primavera

 Ingredientes (4 porções)

2 xícaras (de chá) de farfalle (macarrão gravatinha)

1 xícara (de chá) de tomate cereja picado

1 xícara (de chá) de pepino picado

1 xícara (de chá) de queijo coalho picado

1/2 xícara (de chá) de azeitona preta e verde sem caroço, picada

1/2 xícara (de chá) de cebola roxa picada

1 xícara (de chá) frango cozido em sal e desfiado

½ xícara (de chá) de peito de chester fatiado e picado

1/2 xícara (de chá) de folhas frescas de manjericão

1 colher (de sobremesa) de gergelim preto

Molho

1/2 xícara (de chá) de azeite de oliva extra virgem

Suco de 1/2 limão

1 colher (de chá) de sal

Modo de Preparo

Cozinhe o macarrão conforme instruções da embalagem, ponto al dente. Escorra e passe pela água fria (para cortar o cozimento), até o macarrão esfriar. Coloque em uma travessa e acrescente todos os ingredientes, exceto os do molho. Misture bem, mas delicadamente. Em um outro recipiente misture os ingredientes do molho e despeje sobre a salada, misture cuidadosamente, tampe e leve à geladeira por mais ou menos 30 minutos.

Sugestão: se gostarem de frutas junto com a salada, basta acrescentar, ½ xícara de chá de maçã vermelha (com a casca) e kiwi (descascado) picados, traz um sabor e colorido tropical para a salada.

Tomates recheados Primavera

 Ingredientes

500 g de camarão

6 tomates grandes

300 g de seleta de legumes (ervilha em conserva, cenoura cozida picada, vagem cozida e picada)

100 g de pimentão verde em cubinhos

Sal e pimenta-do-reino a gosto

azeite de oliva

50 ml de conhaque

150 g de requeijão cremoso

1 dente de alho bem amassado

Tempero verde a gosto

Modo de Preparo

Em uma frigideira coloque um fio de azeite e deixe aquecer bem, coloque o dente de alho e os camarões, refogue até os camarões ficarem rosados. Adicione o conhaque e flambe. Separe alguns camarões maiores para decorar, reserve.

Na mesma frigideira adicione a seleta de legumes já cozida e os pimentões crus, refogue rapidamente, tempere com sal e pimenta. Retire do fogo e deixe esfriar.

Lave bem os tomates e corte a parte de cima formando uma tampa. Com o auxílio de uma colher de café retire a polpa e as sementes. Passe sal e pimenta internamente.

Misture o refogado de legumes com os camarões, adicione cheiro-verde e acerte o sal e a pimenta.

Com o auxílio de uma colher coloque o recheio até a metade do tomate acrescente uma colherada de requeijão e termine de encher com o refogado. Repita o processo com todos os tomates. Tomando cuidado para não romper a tampa do tomate.

Decore com os camarões reservados. Sirva gelado.

Gastronomia Gaúcha na Semana Farroupilha

O estado mais ao sul do Brasil, Rio Grande do Sul,  tem uma gastronomia riquíssima de origem na culinária indígena, portuguesa e espanhola que sofreu influência, ao longo do tempo, das imigrações italiana e alemã, no século XIX. Do estilo de vida campestre, nos Pampas, surge a chamada cozinha de campanha e do lado mais urbano da população, a culinária missioneira.

Os bovinos

O gado bovino foi introduzido no Rio Grande do Sul, na região das Missões Jesuíticas, em 1634, pelo padre Cristóvão de Mendonza, de origem espanhola, mas nascido em Santa Cruz de la Sierra, hoje pertencente a Bolívia, mas que na época pertencia ao Vice Reino do Peru. Eram tão fartos os pastos que esta gadaria criada solta multiplicou-se espontaneamente e modificou os campos e gentes para sempre. Segundo Simões Lopes Netos os índios foram os primeiros a usufruir dos novos animais, o que mudou completamente seu modo de viver: “o índio fez-se carnívoro por necessidade e cavaleiro por imitação”. Saíram então das sombras das matas para os descampados, da agricultura para a pecuária.

Antigamente, o atual território do Rio Grande do Sul era habitado pelos índios, os “guaranis”, que viviam da caça e da pesca. Ocupavam as margens da lagoa dos Patos, o litoral norte e as bacias dos rios Jacuí e Ibicuí incluindo a região noroeste; os “pampeanos”, que ocupavam a região sul e sudoeste e os “jês”, talvez os mais antigos habitantes no lado oriental do rio Uruguai. Como tentativa de retirar os indígenas da mata para poder catequizá-los, os jesuítas introduziram no Estado o gado. Os índios passaram então a tomar conta do rebanho, que era criado solto, e comer sua carne, tendo sempre farta comida a sua disposição e em troca aprendiam com os jesuítas a cultura européia e construíam casas, surgiram assim as missões.

Com a entrada dos tropeiros de São Paulo e Minas Gerais no Sul, os índios foram caçados e levados como escravos e os jesuítas voltaram para a Europa. O gado, como era criado solto, continuou a se reproduzir e se espalhar pelo sul do continente, pois não havia um predador para caçá-lo.

Quando os tropeiros voltaram para o Rio Grande do Sul havia milhares desses animais, o gado selvagem. Começaram, então, a matá-los para lhes extrair o couro cru, que era levado e vendido nos outros Estados. Para conservarem a carne que sobrava e a usarem como alimento em suas longas viagens, os tropeiros começaram a conservá-la rolando-a em sal grosso para desidratá-la surgindo assim o charque.

Um dos pratos mais difundidos e conhecidos é o arroz carreteiro. Fácil de preparar e muito saboroso, ele é composto por pedaços de charque misturados ao arroz, com temperos variados. O nome vem dos carreteiros, transportadores de cargas, que atravessavam o sul do Brasil em carretas puxadas por bois. O arroz com o charque era fácil de preparar por um viajante solitário e a carne salgada conservava a refeição por mais tempo. Hoje, há versões mais incrementadas, com bacon e linguiça calabresa.

Os ovinos

Os ovinos chegaram antes ao pampa, em 1628, também trazidos pelos jesuítas, para procriar e abastecer os povos das Missões. Pelo seu menor porte, fecundidade e rapidez crescimento a ovelha foi naturalmente o animal da subsistência.

E na região da nossa campanha, largos pastos, favoreciam as ovelhas. Carne e, principalmente lã, formaram um ciclo de riqueza. Não havia fazenda que não tivesse ovelhas no pasto, que fornecia a carne de consumo diário. Com um capão, macho castrado, abatido a cada dois dias, o fazendeiro garantia o fornecimento de carne fresca para a família e agregados. Da mesma forma que faziam com o gado bovino, tocava aos peões as carnes com osso. Nos galpões primitivos ou à sombra das árvores os gaúchos aprimoravam o gosto pela carne de ovelha. E até hoje, um gaúcho de boa cepa não dispensa um bom pernil, uma paleta, uma costelinha.

Influências de colonizadores espanhóis, portugueses, e dos imigrantes alemães e italianos!

A influência dos descendentes de espanhóis na área da fronteira e de portugueses no litoral trouxeram um pouco de urbanidade àquele povo dos campos. A região fronteiriça mantém até hoje as marcas da influência castelhana (cozidos, pucheros, “matambres”, assados) e a culinária revela isto claramente. E os hábitos dos portugueses se integraram de tal forma que passam quase despercebidos de sua origem (doces em calda, doces com ovos, uso de grãos cozidos como doces). A grande mudança veio com o século XIX que trouxe os imigrantes, alemães e italianos, por primeiro, e junto vieram novas culturas, novos costumes. Os imigrantes encontram a fartura que procuravam quando vinham de uma Europa com excesso de população e pouca produção de alimentos e atingida periodicamente por revoltas e guerras.

Com esta grande mistura surgiu uma das culinárias mais apetitosas do Brasil, pois então, diz o gaúcho, “te aprochega vivente”, reúne os amigos e aproveita as tradições de uma maneira deliciosa, fazendo os pratos representativos de nossa cultura. Veja as receitas de pratos salgados e doces.

SALGADOS

Matambre recheado 

Ingredientes
1kg de polpa de tomate, 1,5kg de matambre, 3 colheres de óleo, 2 dentes de alho amassados, 2 colheres (sopa) de coentro, 4 colheres (chá) de sal grosso, 1 colher (sopa) de pimenta-do-reino moída, 1 maço de tempero verde, 2 cebolas picadas, 100g de bacon picado, 250g de linguiça defumada, 1 colher de cafezinho de açúcar.

Modo de Preparo

Tempere o matambre com alho, coentro, sal e pimenta-do-reino.
Abra com a parte gordurosa para baixo e espalhe o tempero verde, as cebolas, o bacon e a linguiça.
Enrole a carne como rocambole e amarre com barbante bem grosso. Prenda bem o recheio para não vazar.
Em uma panela de pressão grande, coloque o óleo, 1 colherinha de cafezinho de açúcar , aqueça, coloque a carne e doure dos dois lados. Junte a polpa de tomate, coloque um pouco de água, tampe a panela, e leve ao fogo baixo, deixando cozinhar por 1h ou até ficar bem macia.  Abra a panela, retire o matambre e deixe cozinhar o molho, mexendo até encorpar. Corte o matambre em fatias e sirva com o molho.

Espinhaço de ovelha com mandioca

Ingredientes:2,5kg de carne de ovelha,  2kg de (mandioca), 4 cebolas, 4 tomates, 1 pimenta dedo de moça, sem semente e partida ao meio, 6 dentes de alho esmagados,  3 colheres de sopa de banha ( ou 4 colheres de óleo), alecrim e manjerona a gosto, 2 folhas de louro, tempero verde picado.

Modo de preparo
Corte o aipim(mandioca) em pedaços médios e cozinhe na água até ficar al dente. Não é necessário adicionar sal. Enquanto o aipim (mandioca) ferve, corte o espinhaço de ovelha nas juntas, que podem ser pré-cortadas no açougue para facilitar. Aqueça a panela, coloque a banha ou o óleo e acrescente os dentes de alho. Em seguida, distribua os pedaços da carne na panela. Doure os pedaços dos dois lados. Adicione os temperos a gosto. Acrescente a cebola somente depois que a carne já estiver dourada. Frite e misture. Abra espaço na panela e adicione o tomate. Deixe secar. Coloque água quente até cobrir a carne. Vá acrescentando água conforme necessário até que a carne esteja macia.  Junte o aipim  na mesma panela e mexa delicadamente. Aguarde 15-20 minutos até que fique macio. Adicione tempero verde picado a gosto no final.

Paleta de Ovelha Assada
Ingredientes

1 paleta de cordeiro, suco de 1 limão, sal e pimenta a gosto, alecrim e manjerona a gosto

Modo de preparo

Tempere a paleta com sal e pimenta a gosto, alecrim e manjerona,  em uma assadeira. Acrescente o suco de 1 limão. Leve ao forno por aproximadamente 1 hora.  Sirva acompanhada de arroz ou batatas.

Vaca atolada

Ingredientes

1 kg de mandioca descascada e picada, 4 tomates, 3 cebolas, cheiro verde a vontade

1 kg e 1/2 de costela de boi cozida, 2 xícaras de caldo do cozimento da carne, pimenta e sal a gosto, 1 colher de sopa de colorau, óleo para refogar

Modo de preparo

Refogue a mandioca e deixe cozinhar, quando já estiver macia, acrescente o tomate picado, a cebola, o caldo de costela e deixe cozinhar mais um pouco. Acrescente a costela de boi e o colorau, deixe apurar mais um pouco. Cozinhe por aproximadamente 40 minutos, em fogo médio. Salpique o cheiro verde e a pimenta de sua preferência.

Costelinha de porco com mandioca

Ingredientes

1 kg de costelinha de porco limpa, Suco de 1 limão, Sal e pimenta do reino a gosto, 3 colheres (sopa) de óleo, 1 cebola picada, 2 dentes de alho picados, 1 tomate sem sementes e sem pele, cortado em cubos, 3 xícaras (chá) de caldo de carne, 1 kg de mandioca cozida, limpa, em palitos grossos, Cheiro verde picado a gosto

Modo de preparo

Tempere as costelinhas com o suco de 1 limão, sal e pimenta. Aqueça o óleo e doure as costelinhas. Retire-as da panela e reserve, na mesma panela, refogue a cebola, o alho e o tomate. Devolva as costelinhas à panela e adicione o caldo de carne. Cozinhe por 20 minutos aproximadamente e junte a mandioca, cozinhe por mais 10 minutos, mexa delicadamente e polvilhe com cheiro-verde.

Arroz Carreteiro, Arroz de Carreteiro

Ingredientes

1 quilo de charque (atualmente também utiliza-se carne de gado in natura), 2 colheres de sopa de cheiro verde, 1 cebola picada,2 xícaras de chá de arroz,3 colheres de sopa de azeite, 1 dente de alho picado, sal a gosto.

Arroz de Carreteiro – charque picado

Modo de preparo

Na véspera do efetivo preparo do prato, deixe a carne de molho, para dessalgar. Troque a água pelo menos uma vez e cozinhe até que fique macia e pronta para desfiar. Feito isso, frite a carne em uma panela com azeite. Quando ela já estiver dourada, coloque o alho, a cebola e acrescente o arroz. Ponha a água e deixe cozinhar em fogo baixo. Finalize com o cheiro verde e sirva quente. É uma delícia!

Arroz de Carreteiro – charque desfiado

Paçoca de pinhão com carne assada

1kg de pinhão cozinho, 1kg de carne de gado assada, 250g de lombo de porco assado, 200g de salsichão assado, 100g de bacon, cebola a gosto, alho a gosto. Temperos a gosto (como cebolinha e salsa)

Modo de preparo

Triture o pinhão cozinho ainda quente em um liquidificador, misture  junto com a carne, lombo e o salsichão assados, todos bem picados ou desfiados. Refogue em uma panela com óleo, a cebola, o alho, o bacon e os temperos. Quando começar dourar, junte os ingredientes triturados  e desfiadose deixe fritar até dourar. De preferência a carne deve ser assada (sobra de churrasco), mas também pode ser frita.

Observação: a paçoca de pinhão é um dos pratos típicos gaudérios que fogem um pouco da culinária convencional, mas sem perder a praticidade do preparo. A receita agora modernizada,  originalmente era feita pelos índios do sul que caminhavam longas distâncias e precisavam de energia.

Charque com milho

Ingredientes:

500 g de carne seca, 250 g de batatas médias, 3 espigas de milho verde, 1 tomate, 1 cebola, 1 pimentão, cheiro-verde a gosto, 2 dentes de alho, azeite e sal a gosto

Modo de Preparo

Tire o sal colocando de molho a carne, em água morna, por algumas horas, corte em pedaços pequenos e refogue com o alho, cebola, pimentões e tomates picados. Cozinhe a carne até ficar bem macia. Descasque as batatas e corte em cubos, retire os grãos de milho da espiga. Acrescente à carne, deixando ferver até que cozinhe a batata e o milho, ficando um molho bem encorpado. Desligue e sirva com arroz branco temperado com alho e óleo.

Feijão campeiro

Ingredientes

1 kg de feijão preto, 1 /2kg de charque gordo, 100 gramas de toicinho, 1/2kg de lingüiça fina, 2 folhas de louro, 1 pimentão sem sementes, 1 cebola, 2 dentes de alho, 3 pedaços de osso com tutano (caracu)

Modo de preparar

Deixe dormir de molho em água, o feijão já escolhido e o charque, em recipientes separados. Ponha cozinhar o feijão com água 5 dedos acima. Dê uma refogada leve no charque e na lingüiça, cortados em tabletes e rodelas miúdas. Quando o feijão estiver a meio caminho de cozimento, ponha o charque, a lingüiça, os ossos, o pimentão sem sementes e a folha de louro. Corte bem miúdos a cebola e o alho e frite à parte. Quando o feijão estiver cozido, esmague um pouco os grãos, para engrossar o caldo e junte a cebola, o alho e a gordura em que foram fritas. Salgue a gosto e deixe cozinhar por mais 20 minutos.

Puchero

Ingredientes

3 cebolas em pedaços grandes, 4 dentes de alho picados, 500g de carne de peito bovino sem osso, 500g de carne de peito bovino com osso, 2 batatas médias picadas, 2 batatas doces médias picadas, 1/2 aipim picado,1/2 moranga picada, 1/2 cenoura picada, 2 espigas de milho, 3 chuchus picados, 1/2 repolho picado, 2 maços de couve cortados bem fininho.

Modo de preparo

Num caldeirão com água, coloque a cebola e o alho. Quando começar a ferver, acrescente as carnes cortadas em pedaços, deixando cozinhar por aproximadamente 1h ou até formar um caldo consistente. limpe o caldo, tirando as impurezas com uma escumadeira ou coador.

Adicione aos poucos os vegetais, daqueles que necessitam mais tempo para cozinhar até os que cozinham mais rápido. deixando a couve para o fim. Desligue o fogo quando as verduras e os legumes estiverem cozidos. Sirva bem quente.

Quibebe Gaúcho

Ingredientes:

1 quilo de abóbora, 2 colheres (sopa) de manteiga, açúcar, sal a gosto

Modo de preparo:

Cortar a abóbora em cubos e cozinhar em fogo médio, com água suficiente para cobrir os pedaços. Aguarde cozinhar até desmanchar, adicionando então a manteiga e mexendo bem, para virar um creme. Adicionar o açúcar, o sal e servir quente.

Rabada

Ingredientes

rabada cortada pelas juntas, sem gordura e temperada com: vinho tinto, azeite de oliva, alho, salsinha, pimenta-do-reino e sal, 1 xícara de agrião grosseiramente picado, 4 tomates maduros s/pele e sementes, em cubinhos, cebolinha verde em aneis finos, 50 ml de azeite de oliva, 50 gramas de bacon picado, 2 dentes de alho picado, 1 cebola picada, 1 folha de louro, sal e pimenta, salsinha picada

Modo de preparo

Dourar a rabada no azeite, acrescentar água fervente e a folha de louro e cozinhar até que a carne comece a desprender do osso. Retirar do fogo e reservar. Deixar o caldo esfriar e desengordurar, tirando com uma escumadeira o excesso. Fritar o bacon em um pouco de azeite, acrescentar a cebola e o alho e dourar. Juntar o caldo reservado e cozinhar para apurar. Acrescentar a rabada e o tomate e cozinhar. Temperar com sal, pimenta, salsinha e cebolinha e deixar em fogo brando para apurar e mesclar os sabores. Na hora de servir juntar o agrião e aquecer bem. Servir com arroz branco ou polenta grelhada.

Pastel de Carreira

Ingredientes

Para a massa: 1kg de farinha de trigo, 3 ovos, 2 colheres de manteiga, 1 colher de sopa de fermento, 1/2 colher de sal, 2 colheres de açúcar, 1 colher de sopa de aguardente ( cachaça, segredo para ficar crocante).

Para o recheio: 800g de carne cortada à faca (sobra de churrasco, vazio ou carne de paleta sem osso), 300g de bacon picado bem miudinho, 300g de linguicinha calabresa, 1 cebola de tamanho médio, 1 dente de alho, 1 molho de tempero verde. Óleo para a fritura.

Modo de preparo

Massa: Colocar os ingredientes em uma bacia, e tanto faz a ordem dos produtos,  para fazer a massa o fundamental é ir colocando e misturando bem a farinha. Além dos ingredientes já citados, é possível acrescentar um 1/2 copo de leite e ½  copo de água morna. Sovar bem, estirara a massa, cortar em formato redondo ou quadrado

Recheio: refogar em pouquinho óleo a cebola, o alho, o bacon, a linguicinha e a carne, deixar esfriar.

Rechear e fechar os pastéis e depois, fritar os pastéis em óleo quente até dourar. Escorrer bem para servir sequinhos.

DOCES

Broa de fubá

Igredientes

2 xíc. farinha de milho, 2 xíc. farinha de trigo, 1 xíc.leite, 1 xíc.queijo ralado, 1 ovo, 1/2 colher chá de sal, 1 colher açúcar.

Modo de Preparo

Juntar os ingredientes e amassar bem. Se a massa ficar muito mole, juntar mais farinha de milho. Fazer bolinhas e assar em forno quente.

Canjica Gaudéria

Ingredientes

500g de canjica, 100g de coco ralado grosso, 200g de amendoim torrado ligeiramente triturado, 2 e ½  xícaras de açúcar, 500ml de leite, 2 ramas de canela, 5 unidades de cravo da índia, canela em pó a gosto

Modo de preparo

Cozinhe a canjica com água na panela de pressão, por 20 minutos. Depois de cozida, acrescente o leite, , o cravo, a canela em rama e o açúcar e deixar ferver por 10-15 minutos, mexendo bem para não grudar. Finalize com o amendoim e o coco e polvilhe com canela em pó a gosto.

Arroz de leite

Igredientes

500 gramas de arroz, 1 litro de água, 2 litros de leite, 1 e ½  xícara de açúcar, 2 ovos, cravo-da-índia e canela (a gosto)

Modo de Preparo

Lavar o arroz e depois colocá-lo para cozinhar na água. Enquanto vai esquentando, acrescente 1 litro de leite e, se desejar, cravo-da-índia e canela. Não deixe secar totalmente e coloque o outro litro de leite. Em fogo bem baixo, quando estiver quase cozido o arroz, acrescente uma xícara de açúcar. Quando achar que está no ponto, desligue e bata separadamente duas claras em neve e duas gemas(estas com ½  xícara de açúcar. Depois, mexa a gemada e a clara em neve com o arroz para que ele fique cremoso. Pode servir mormo ou gelado, com canela em pó por cima.

Doce de Abóbora

Ingredientes

1 abóbora de pescoço, de aproximadamente 1 kg, 4 colheres (sopa) de cal virgem, 2 kg de açúcar cristal, 1 litro de água, 1/2 colher (sopa) de cravo-da-índia

1 colher (sopa) de canela em pau

Modo de Preparo

Corte a abóbora em cubos de 3 cm. Coloque-os em uma vasilha de vidro, cubra com água e adicione o cal. Misture bem e deixe de molho de um dia para o outro.

No dia seguinte, lave bem a abóbora até tirar toda a cal. Coloque em uma panela grande com a água. Junte o restante dos ingredientes e cozinhe lentamente por 2 horas ou até os pedaços ficarem macios.

Doce de Banana

Ingredientes

10 bananas-nanicas maduras cortadas em rodelas (1 kg), 2 colheres (sopa) de suco de limão (30 ml), 3 xícaras (chá) de açúcar cristal (570 g), 3 xícaras (chá) de água (300 ml), 1 pedaço pequeno de canela em pau

Modo de Preparo

Em uma tigela, coloque a banana-nanica e misture o suco de limão. Reserve.

Em uma panela, em fogo médio adicione o açúcar cristal com 1 xícara (chá) de água e cozinhe até obter uma calda de caramelo claro. Junte a banana reservada, o restante da água e a canela em pau. Abaixe o fogo e cozinhe, mexendo sempre, por 50 minutos ou até que a banana adquira um tom avermelhado escuro e os pedaços se dissolvam e o doce fique cremoso. Desligue o fogo, retire a canela em pau e sirva frio ou gelado.

Papos de Anjo

Ingredientes

1 colher (chá) de essência de baunilha, 1 colher (chá) de fermento em pó, 24 gemas, 40 forminhas de (empada) de 5 cm de diâmetro e 2 cm de altura, 6 xícaras de açúcar, 4 xícaras de água

Modo de preparo

Primeiro unte as forminhas com manteiga e reserve.

Coloque o açúcar, a água e a baunilha, em uma panela e leve ao fogo alto e cozinhe, mexendo, até dissolver o açúcar. Abaixe o fogo e pare de mexer e deixe ferver até formar uma calda rala (cerca de 20 minutos). Reserve.

Bata as gemas com o fermento em uma batedeira até obter uma mistura cremosa e leve (cerca de 20-30 minutos).

Aqueça o forno em temperatura média. Distribua a mistura de gemas entre as forminhas enchendo até a borda. Asse até dobrarem de volume (não deixe dourar demais). Retire do forno. Desenforme os papos-de-anjo e fure com um palito. Aqueça a calda, coloque os papos de anjo, um a um na calda fervente, deixe cozinhar por cerda de 5-10 minutos. Deixe esfriar e coloque delicadamente numa compoteira. Deixe na geladeira até o momento de servir.

Mogango Caramelado

Ingredientes: um mogango de 1 kg cortado em 10 gomos com casca, 500g de açúcar, suco de 1/2 limão, água para cozimento e para o caramelo.

Modo de Preparo

Cozinhe os gomos de mogango (variedade de moranga/abóbora com a casca verde e rígida) até ficarem macios. Retire-os da água e reserve. Com o açúcar e água suficiente para dissolvê-lo e o suco de limão, faça um caramelo escuro. Derrame esse caramelo sobre o mogango. Sirva frio.

Fontes:

Clássicos da Culinária Gaúcha, por Leon Hernandes Dziekaniak; https://pt.wikipedia.org/wiki/Culinária_do_Rio_Grande_do_Sulhttps://www.estadosecapitaisdobrasil.com › Rio Grande do Su
Livro "Cozinha gaúcha - uma mistura muito bem feita",SENAC RS. 1991.

 

Dia Nacional da Pizza!!!

ORIGEM DA PIZZA

A pizza é um tipo de comida que é preparada com massa fermentada de farinha de trigo, molho de tomate e outros diferentes ingredientes, variando de acordo com o sabor escolhido.

Segundo histórias, a pizza começou a ser fabricada pelos egípcios, através da mistura de farinha e água. Mas existem outros que acreditam que os gregos foram os primeiros a fazer a pizza,m pois eles faziam massas a base de farinha de trigo, arroz, ou grão-de-bico, e as assavam em tijolos quentes. Também creditam  alguns que  a pizza já existe desde a época romana, pois os nobres comiam o chamado pão de Abraão, uma massa de farinha, água e sal. Com o passar do tempo, a ela eram acrescidos ervas e alho. Essa mistura era chamada de Piscea. A variação de coberturas foi sendo aperfeiçoado até que o tomate chegou à Europa. Muitas vezes o prato era vendido por ambulantes e servido no café da manhã.

Essa prática chegou na Itália por causa das cruzadas, e foi lá que ela foi incrementada e se tornou a pizza que conhecemos hoje.

Don Rafaelle Espósito, primeiro pizzaiolo da história, cozinhou uma pizza para a rainha Margherita de Sabóia. Esta gostou tanto que batizou a pizza após o seu nome.

Atualmente a pizza é encontrada na maioria das cidades brasileiras, e foi por meio dos imigrantes italianos que ela chegou no país.

Uma forma de falar que aos poucos foi se tornando parte do cotidiano dos brasileiros e que hoje já se encontra dicionarizada.

Para quem não sabe, essa expressão foi criada por um jornalista esportivo chamado Milton Peruzzi, que trabalhava na Gazeta Esportiva. Tudo começou na década de 1960, quando uma série de conturbações gerou uma grave crise entre os dirigentes da Sociedade Esportiva Palmeiras. O caso era tão grave que uma reunião de mais de quatorze horas foi realizada para que as questões do time de futebol fossem resolvidas de uma vez por todas. Em uma reunião tão longa assim era normal que a fome acabasse incomodando aquele bando de cartolas nervosos. Foi então que, pela praticidade e a própria descendência italiana dos dirigentes, eles fizeram um pedido de dezoito pizzas gigantes, muito chope e vinho para sustentar aquela jornada de debates. Ao fim do bate-boca e da comilança, parece que tudo chegou a um acordo. Dado o desfecho, Milton Peruzzi publicou uma notícia com o seguinte título: “Crise do Palmeiras termina em pizza”.

Então, dizem que a expressão surgiu com o radialista esportivo paulistano Milton Peruzzi, um palmeirense que, entre os anos 1950 e 60, não se cansava de falar em “terminar em pizza” ou “assar uma pizza”. O radialista sempre utilizava a expressão quando queria informar a seus ouvintes que depois de algum conflito, nos bastidores do clube, tudo acabará bem.

Ainda de acordo com o site, num primeiro momento a expressão de Peruzzi ficou restrita à São Paulo e ficou equivalente à expressão carioca “acabar em samba”.

Nesse tempo “acabar em pizza” ainda estava associado a um problema ou denúncia que não deu em nada, ao contrário, a expressão fazia referência ao talento brasileiro para os desfechos festivos e a amizade peculiar do jeitinho brasileiro.

Ressignificação

Somente durante a crise da deposição de Fernando Collor, quando os “caras pintadas” tomaram às ruas, foi que a expressão se transformou no que é hoje: um dura crítica ao vício nacional da acomodação e da impunidade nos momentos em que a guerra política ameaça de fato ferir os poderosos. O atual sentido da expressão tem até dia de nascimento: 31 de julho de 1992.

Sandra Fernandes de Oliveira, paulista de Araraquara, depôs na CPI do PC Farias e desmontou sozinha a chamada “Operação Uruguai”, bolada pela turma de Collor para vender à nação a mentira de que a fortuna pessoal do presidente não provinha da corrupção, mas de um empréstimo feito no país vizinho.

“Se isso realmente acabar em pizza, como querem alguns, acho que é o fim do país”, disse a secretária ao microfone da CPI. Sem Sandra, talvez Collor tivesse cumprido seu mandato até o fim e o “acabar em pizza” não fosse uma das expressões mais utilizadas no Brasil.

Na nossa atualidade, não faltam exemplos para o qual se aplicam a expressão…no fim das contas há quem diga que “tudo acabou ou acabará em pizza”.

Expressões à parte, melhor mesmo é saborear uma pizza bem quentinha, dividindo a massa crocante, coberta de queijo derretido e tomates frescos, com aqueles que mais gostamos.

CURIOSIDADES SOBRE A PIZZA


 

 

 

 

 

 

 

 

– Nápoles, na Itália, é chamada de capital mundial da redonda porque foi lá que surgiu a primeira pizzaria, em 1830, chamada Antica PortAlba. A cidade também tem o mérito de criar a famosa margherita. A delícia surgiu para bajular o rei Umberto I e a rainha Margherita durante uma visita à região. A ideia era fazer uma opção patriota e, por isso, utilizaram molho de tomate, queijo de mussarela e folhas de manjericão, ingredientes com as cores da bandeira do país. A rainha adorou o mimo, que leva seu nome até hoje;

– A redonda chegou ao Brasil pelas mãos dos imigrantes italianos. A iguaria deu seu ar da graça em terras tupiniquins provavelmente no bairro do Brás, em São Paulo, no início do século 20;

– Além da lista de sabores tradicionais, alguns exóticos incrementam a iguaria. Na Austrália, uma possível cobertura é crocodilo. A pizzaria americana Ah Badabing, em Shelton, Washington, oferece a redonda com escorpião, focinho de porco, pênis de touro, lesmas. Que tal?

– Quando for esquentar sua pizza no microondas, coloque um copo de água junto, assim você evita que a casca fique molenga e borrachuda;

– A pizza mais cara do mundo é a Bellissima Luxury Pizza, do restaurante Nino’s, em Nova York. Ela é coberta com lagosta fresca, caviar, wasabi e creme fresco. Preço: 1.000 dólares. Dá para engolir este valor?

– Uma das maiores pizzas do mundo, com 37,4 metros de diâmetro, foi preparada em 1990 pelo supermercado Norwood Picknpay Hypermarket, em Johannesburg, África do Sul. Foram utilizados 500 quilos de farinha, 800 quilos de queijo e 900 quilos de molho de tomate;

– O Dia da Pizza é celebrado na Itália desde 1889, quando o rei Umberto I e a rainha Margherita provaram a receita pela primeira vez;

– Você acha o Pac-Man igualzinho a uma pizza, só que com uma fatia a menos? Foi exatamente essa a inspiração do designer japonês Toru Iwatani, em 1980.

– O recorde mundial de comer pizza é do romeno Cristian Dumitru. Durante uma semana, ele comeu o seu próprio peso em pizzas: 90,7 kg.

– O Brasil é um dos países que mais inovou na hora de rechear as Pizzas. De sorvete, alface, carne seca, carne moída com queijo, chocolate, banana, romeu e julieta (queijo e goiabada) e até de amendoim. Os sabores de pizzas criados no Brasil são muitos, e boa parte deles só se encontra aqui;

– Você sabia que dividir a Pizza em dois sabores é coisa de brasileiro? Muitos turistas europeus quando entram em uma pizzaria brasileira e descobrem que podem pedir mais de um sabor em uma mesma pizza se surpreendem;

– O rodízio de Pizza também foi criado aqui no Brasil;

-Os maiores consumidores de pizza são os EUA e o Brasil, nomeadamente as cidades de Nova Iorque e São Paulo;

– Aqui no Brasil, a Pizza mais pedida é a de Calabresa! E é aqui que mais se come Pizza no mundo todo!

DIA NACIONAL DA PIZZA

O “Dia da Pizza” é comemorado em 10 de julho no Brasil, desde 1985, quando se realizou em São Paulo o 1° Festival da Pizza da Cidade de São Paulo,  um concurso de pizza escolhendo-se as melhores 10. O concurso terminou no dia 10 de julho e assim esta data foi escolhida.

Já pensou em como celebrar o Dia Internacional da Pizza?

Este dia é uma boa desculpa para fazer e comer pizza! Prepare em casa com os seus amigos, ou com seu(s) filho(s,) junte vários sabores e aproveite para falar sobre ingredientes saudáveis. Também pode ser adquirida a massa pré-pronta, se você não quiser ou não tiver tempo para fazer a massa. Ou ainda poderá ir até uma das pizzarias da cidade, veja alguns locais abaixo.

 

 

 

 

 

 

QUER FAZER?   Receitas

APERITIVO DE PIZZA –  CROSTATA

Ingredientes

15 gramas de fermento biológico fresco

1/2 colher (chá) de açúcar

1/2 xícara (chá) de cerveja clara

1 colher (sopa) de azeite de oliva

1/2 colher (sopa) de sal

2  xícaras (chá) de farinha de trigo

pimenta moída a gosto, ervas finas secas

queijo parmesão ralado fino

 

Modo de preparo

Em uma tigela, misture bem o fermento com o açúcar.

Junte a cerveja, o azeite e o sal.

Acrescente a farinha, aos poucos, misturando e sovando a massa.

Deixe descansar coberta, em lugar seco, até dobrar o volume.

Abra bem fina com o rolo de massas em superfície enfarinhada, em forma de retângulo.

Corte em triângulos e pincele com mais azeite.

polvilhe com sal e com  queijo ralado, polvilhe com pitadas de orégano.

Coloque em uma assadeira enfarinhada e asse no forno, pré-aquecido, em temperatura média, até dourar.

Sirva quente ou frio e, para conservar.  guarde em recipiente tampado por até 3 dias.

 

PIZZA –  QUEIJOS E TOMATES FRESCOS

Ingredientes

1/2 tablete de fermento biológico

1 colher (chá) de açúcar

1 xícara (chá) de leite morno

2 colheres (sopa) de óleo

3 1/2 xícara (chá) de farinha de trigo

1 ovo

1 xícara (chá) de molho de tomate

400 gramas de queijo mussarela ralado

200 gramas de queijo prato  ralado

200 gramas de tomatinhos cereja ou pera cortados ao meio

coloque a gosto: sal, azeite de oliva, pimenta do reino e orégano

Modo de preparo

Em um recipiente, dissolva o fermento no açúcar, misture o leite, o óleo, a farinha de trigo, o ovo e o sal.

Trabalhe a massa até ficar homogênea, cubra com um pano e deixe descansar até dobrar de tamanho.

Trabalhe novamente a massa e divida em 2 partes.

Abra com um rolo os discos e coloque sobre uma assadeira redonda.

Leve ao forno forte, pré-aquecido, a 200 ºC e asse durante 20 minutos. Deixe esfriar.

Sobre cada disco, distribua o molho, os queijos e os tomates.

Regue com o azeite, polvilhe a pimenta e o orégano.

Volte ao forno até derreter o queijo. Sirva em seguida.

Dica: os discos de massa podem ser  preparados com antecedência e congelados.

PIZZA DE FRIGIDEIRA (Se você não tem muitos dotes culinários, mas quer curtir uma Pizza caseira)

Ingredientes:

Massa
1 colher (café) de fermento em pó
2 ovos
3 xícaras de farinha de trigo
1 colher (sopa) de margarina ou manteiga
Molho
2 tomates
1 alho
½ colher (sopa) de orégano
Salsinha a gosto
½ cebola pequena

Recheio
200 g de queijo mozzarella ralado

Modo de preparo
Massa: misture todos os ingredientes da massa até que soltem das mãos. Deixe descansar por 30 minutos. Abra os discos do tamanho da frigideira.

Molho: bata os ingredientes do molho no liquidificador.

Fritando as pizzas: unte a frigideira com margarina, coloque a massa e deixe dourar. Vire a massa e coloque uma colher do molho e o recheio de sua preferência. Coloque um pouco de orégano, tampe e aguarde o queijo derreter. Sirva logo em seguida.

QUER IR EM UMA PIZZARIA??  PIZZAS ( bem boas) EM POA!

A PIZZA – Praça Doutor Maurício Cardoso, 23 – Moinhos de Vento  Fone (51) 3237-0245
Localizada na Praça Maurício Cardoso, em meio a outros restaurantes, a pizzaria trouxe para a região a clássica receita italiana com tamanho individual e massa

BAZKARIA – Rua Comendador Caminha, 324 – Moinhos de Vento Fone (51) 3061-6262
Uma das pizzarias mais tradicionais de Porto Alegre, a Bazkaria fica ao lado do Parcão, no coração do bairro Moinhos de Vento.

BELLA MORANO – Av. Coronel Lucas de Oliveira, 23, Auxiliadora Fone (51) 3333-9899

Com nome inspirado no vilarejo de Morano Calabro, na Itália, a Bella Morano está em uma casa  com fachada em madeira e tijolos à vista,  e o interessante  é que lá dá para montar o sabor de sua própria pizza escolhendo os ingredientes.

BISTRÔ DA TRAVESSA – Travessa dos Venezianos, 25 – Cidade Baixa Fone (51) 8544-9123
O Bistrô da Travessa fica na Travessa dos Venezianos, uma rua clássica do bairro Cidade Baixa. Um dos grandes sucessos da casa fica por conta da pizza doce, Doce do Triba, de abacaxi, chocolate branco e hortelã.

CIAO PIZZERIA NAPOLETANA Rua Anita Garibaldi, 694 (loja 77) – Mont’ Serrat    Fone (51) 3094-6767

A pizzaria trouxe a Porto Alegre o melhor das famosas pizzas de Nápoles, na Itália. E, para garantir o título de pizzaria napolitana, por lá tudo é importado da região: desde a farinha, até o azeite e o tomate pelado com o qual é feito o molho. No cardápio, apenas oito sabores de pizza,  e como é muito difícil comer uma pizza sem vinho, pode-se é levar sua própria garrafa e suas taças, pois  eles não cobram rolha!

FIORE OFFICINA DI PIZZA – Av. Nilo Peçanha, 3.228 (Viva Open Mall) – Jardim Europa  Fone (51) 3209-1919
Localizada no Viva Open Mall,  a pizzaria é agradável. Se o clima colaborar, tem o deck, com vista para o Parque Germânia. Floriano Spiess, um dos mais premiados chefs da cidade, decidiu apostar em um novo formato de negócio preparando pizzas.

FORNELLONE – Av. Nova York, 93 – Auxiliadora – Fone (51) 3028-7575
A Fornellone trouxe para Porto Alegre o clima da Serra Gaúcha, com uma decoração rústica, mesas de madeira de demolição e luzes que dão um clima intimista.

FRATELLO RESTAURANTE – Av. João Wallig, 1.800 (Shopping Iguatemi) – Jardim Europa Fone (51) 3328-0551
Apesar de estar localizado em um shopping, o Iguatemi, o ambiente é acolhedor, e você facilmente irá se sentir em casa. Logo que entrar no restaurante preste atenção no forno à lenha, que fica visível, assim como a produção das pizzas.

GAETA – Rua Duque de Caxias, 1.548 – Centro Histórico Fone (51) 3224-4444
A Gaeta ficar em um prédio histórico do Centro de Porto Alegre, o ambiente é bem simples, perfeito para reunir a galera, já que o foco é mesmo degustar os vários sabores de pizza. São quatro tamanhos disponíveis, e com  massa bem crocante.

IL POMODORINO – Rua Cel. Fernando Machado, 583 ,Centro Histórico  Fone (51) 3058-4040
Se estiver pelo Centro Histórico, uma excelente parada estratégica é a Il Pomodorino, pizzaria artesanal que serve a pizza clássica italiana.

L’ANTICA PIETRA –  Rua Dr. Timóteo, 150 – Floresta Fone (51) 3395-3000
A L’Antica Pietra existe há mais de 10 anos em Porto Alegre e já se tornou referência em pizza boa.

NELLA PIETRA – Rua Félix da Cunha, 993 , Moinhos de Vento  Fone (51) 3026-6000
A Nella Pietra há algum tempo já conquistou o coração dos porto-alegrenses, uma vez que já era conceituada  em Caxias do Sul.. A pizza não economiza nos ingredientes: se você gosta de bastante queijo, lá é o seu lugar.

POT POURRI  – Rua Pedro Chaves Barcelos, 845, – Bela Vista Fone (51) 3516-3960

Com uma decoração pensada nos mínimos detalhes, a Pot. Pourri é diferente das pizzarias mais tradicionais da cidade.  A pizza é tão fina que parece uma casquinha e vem cortada em xadrez, o que facilita na hora de comer.

Ceia de Final de Ano – Receitas Especiais

As receitas abaixo  podem fazer parte de um cardápio para a Ceia de Final de Ano, estão divididas em Entradas, Pratos Principais e Sobremesas.

Use a criatividade e surpreenda seus convidados!

ENTRADAS

SURPRESA DE VERÃO– CAMARÃO E MELANCIA

Esta salada vai realmente surpreender os convidados, sabores frescos e aparência linda, fácil de fazer e um resultado inesquecível!melancia-camaroes

Ingredientes:
1/2 Kg de camarões tamanho médio, limpos

Folhas de mini rúculas e/ou mini agrião, lavadas e escorridas

1 colher de sopa de suco de  limão  e raspas de limão

Azeite ou óleo de oliva  o quanto baste para temperar, sal e pimenta preta  moída, colorau

4 a 6 Fatias retangulares de melancia, sem sementes ( cortadas como uma fatia de pão de forma)

 Preparo:
Lave os camarões, escorra bem e  reserve.

Aqueça água em uma panela, em quantidade suficiente para cozinhar os camarões

Assim que ferver a água, baixe o fogo e coloque os camarões na panela, mexendo rapidamente e apenas espere que fiquem rosados, não deixe ferver para não endurecerem, escorra rapidamente e coloque-os em uma vasilha para serem temperados.

Tempere os camarões com óleo, colorau, sal e pimenta preta  moída e com as raspas de limão. Reserve.

A partir de uma melancia, tirando a casca e obtendo a polpa, procure formar um bloco retangular e corte fatias grossas, assim como um pão de forma. Tire as sementes para não ficarem na sua salada. Tempere levemente as fatias de melancia salpicando pimenta preta moída e sal, só para dar um toque .

Monte em pratos individuais para cada convidado,  a fatia de melancia, adornada por folhinhas de mini rúculas e/ou mini agrião, e sobre as fatias, uma porção dos camarões temperados, finalize com respingos de suco de limão e um fio fino de óleo.

Sirva a seguir.

 SALADA TROPICAL

Ingredientes: 1 pé de alface pequeno, 1 peito de frango sem osso, 1 colher (sopa) de azeite, sal a gosto, pimenta do reino a gosto, 1 lata de creme de leite, 1 colher (sopa) de suco de limão, 1 xícara (chá ) de uvas itália sem pele, 2 xícaras (chá) de manga em cubos, 1 colher (sopa) de hortelã picadinha.

 Preparo:Lave e escorra bem a alface. Corte o peito de frango em cubos pequenos. Aqueça o azeite e refogue muito bem os cubos de frango, pingando água, se necessário. Tempere com sal e pimenta do reino. Reserve até esfriar. Em uma tigela, misture o creme de leite, o suco de limão, o sal e pimenta do reino. Junte as uvas verdes, os cubos de manga e de frango, a hortelã e misture tudo muito bem. Arrume a salada sobre as folhas de alface e sirva gelada, decore com ramos ou folhas de hortelã.

Dica: para quem tem intolerância a lactose, pode usar o creme de leite de soja, acrescentando um pouco de mostarda, gotas de limão, pimenta do reino e corrigindo o sal, para amenizar o sabor de baunilha que geralmente estes cremes trazem.

 

SALADA DE LENTILHA

 Ingredientes para a salada:
250 g de lentilha

1 cebola, grande

2/3 de xícara (chá) de amêndoas, laminadas

3 colheres (sopa) de hortelã, picada

1 colher (café) de cominho em pó

 Preparo:

1. Cozinhe a lentilha em bastante água (como se fosse macarrão) por 15 minutos.

  1. Verifique se ela está al dente e coloque numa bacia com água e gelo para encerrar o cozimento. Em seguida, coloque num escorredor para que fique bem sequinha.
  2. Pique a cebola em pedaços não muito pequenos. Leve ao fogo bem baixo numa panela com uma colher de água por tempo suficiente para que os açúcares e sucos da cebola já tenham dourado. Reserve.
  3. Se você não encontrar amêndoas laminadas, use picadas. Se estiverem cruas, coloque no forno para torrar um pouco. Em seguida, misture todos os ingredientes da salada.

Ingredientes para a vinagrete:

1 colher (sopa) de mostarda, tipo Dijon

1/3 de xícara (chá) de vinagre, balsâmico

1 xícara (chá) de azeite de oliva

sal e pimenta do reino, a gosto

Preparo:
1. Para fazer a vinagrete, comece colocando numa tigela a mostarda, o vinagre, sal e pimenta-do-reino, de preferência moída na hora.

  1. Com o auxílio de um fuet (ou batedor de maionese como também é chamado) misture bem os ingredientes e, sem parar de bater, vá adicionando o azeite de forma a emulsionar o molho. Se, ao final, não estiver um líquido homogêneo, coloque uma colherinha de água e bata mais um pouco.
  2. Verifique o sal e a pimenta. Tempere a salada com este vinagrete e leve à geladeira por, no mínimo, duas horas.

ENDÍVIAS COM  ERVILHAS E LENTILHAS

 Ingredientes:
1/3 xícara (chá) de lentilhas

1/3 xícara (chá) de ervilhas

½ pimentão vermelho

½ pimentão amarelo

suco de ½ limão

1 maçã verde

200gr presunto magro fatiado

Cebolinha verde picada

20 folhas de endívia

Azeite o quanto baste para temperar, sal e pimenta moída

Tomatinhos cereja para decorar

 endivias-lentilhaPreparo:
Lave as lentilhas e as ervilhas em  água corrente.

Coloque as lentilhas numa panela e cubra com água. Coloque as ervilhas numa panela e cubra com água.  Leve ao fogo alto e espere ferver. Deixe cozinhar somente até que fiquem macias. Este cozimento deve ser separado para conservar as cores dos grãos.

Retire as lentilhas do fogo e escorra a água. Coloque as lentilhas num recipiente. Reserve.

Apóie os pimentões numa tábua e corte uma tampa de cada lado, com uma faca afiada. Retire as sementes e despreze.

Corte os pimentões ao meio, no sentido do comprimento e depois no sentido da largura. Apóie as metades na tábua, com a parte da pele voltada para baixo, e corte em tiras finas(1 cm). Reserve.

Descasque a maçã e corte em rodelas (1 cm); corte as rodelas em tiras (1 cm) e as tiras em cubos. Coloque os cubos de maçã num recipiente e acrescente o suco de limão. Misture bem.

Corte em cubinhos pequenos o presunto fatiado.

Em uma tigela, acrescente as lentilhas, as ervilhas, o presunto,  os pimentões, as maçãs e a cebolinha picada e misture bem.

Tempere com o sal, pimenta do reino e azeite. Misture novamente.
Lave as folhas de endívia cuidadosamente sob água corrente. Escorra bem, com cuidado, sem amassar. Coloque as folhas num prato e acrescente o recheio dentro. Decore com rodelinhas de tomate cereja.

Sirva a seguir.

 

PRATOS PRINCIPAIS

 LENTILHADA DA  SORTE!

Esta lentilhada, contendo a batata e a moranga, fica saborosa e simboliza a fartura e a sorte!

Ingredientes:

500 gr lentilha

250 gr de lingüiça calabresa fininha

1 cebola média, 2 folhas de louro, 1 dente de  alho, um pouco de colorau

3 xícaras de batatas inglesas em cubos

2 xícaras de moranga em cubos

Água para cozer, óleo para refogar.

  • Colocar a lentilha de molho na água umas horas antes.
  • A receita deve ser preparada em duas panelas separadas
  • Em uma refogar a lingüiça cortada em fatias finas até dourar, colocar a cebola e o alho,mexer, juntar o louro, um pouco de colorau, colocar as batatas, a moranga e cobrir com água deixar cozinhar uns 10 minutos.
  • Deixar cozinhar até que as batatas e morangas fiquem macias, mas, al dente.
  • Enquanto isso em outra panela, escorrer a lentilha e colocar na panela com água até a cobrir e um pouquinho de sal, deixar cozinhar até ficar mole, mas não deixar passar do ponto.
  • Depois que a batata estiver pronta e a lentilha também, com uma concha colocar aos poucos a lentilha na panela em que estão a batata, moranga e a linguiça, assim você pode controlar a quantidade que quer misturar
  • Se sobrar lentilha, pode congelar para fazer outro dia, ou deixar na geladeira
  • Colocar sal e pimenta a gosto

 

ARROZ COM AMÊNDOAS E  ALHO PORRÓ

 Ingredientes: óleo de oliva, , 2 xícaras (chá) de arroz lavado e escorrido, , 4 xícaras (chá) de água fervente, 1 xícara (chá) de amêndoas em lascas torradas, 1 molho  de alho poro, colorau, páprica, sal, ervas fias secas, 1 colher de sopa de pesto.
Preparo: Lave bem o alho poró, tirando bem a terra que poderá ter entre suas folhas. Descarte as raízes. Refogue, em pouco óleo de oliva, o talo branco de alho poró, que foi cortado em rodelas finas, refogue a seguir, as partes verdes do alho poró, que foram cortadas em tirinhas bem fininhas, este refogado não pode passar do ponto, não deve dourar demais, pois queremos ter as cores verdes no arroz,  coloque um pouco de colorau, as ervas, a colher de pesto, coloque mais um pouco do oléo de oliva e o arroz, refogue rapidamente, acrescente sal à gosto. Acrescente quatro xícaras (chá) de água fervente e misture bem. Deixe cozinhar em fogo baixo, em panela parcialmente tampada, por 15 minutos ou até que o arroz fique al dente.  Em separado, em frigideira, só um fio de óleo de oliva, refogue, buscando dar cor, torrando rapidamente as amêndoas. Retire do fogo, tampe a panela e deixe descansar por 10 minutos. Junte as amêndoas picadas, misturando com um garfo, para deixar bem soltinho o arroz e sirva a seguir.

  

ARROZ COM ESPINAFRE

Ingredientes:3 tabletes de caldo de galinha, 6 xícaras (chá) de água fervente, 2 xícaras (chá) de arroz lavado e escorrido, óleo para fritar o arroz,  1 maço (só as folhas) de espinafre picado, 2 colheres (sopa) de manteiga, 3 colheres (sopa) de queijo parmesão ralado.

 Preparo: Frite o arroz no óleo, junte os cubos de caldo de galinha e um pouquinho só de água, misture bem para desmanchar os cubos.  Acrescente as seis xícaras (chá) de água fervente, mexa bem e cozinhe em fogo baixo durante 20 minutos, com a panela parcialmente tampada. Quase ao final do cozimento, acrescente o espinafre picado, a manteiga e o queijo ralado. Depois de cozido, apague o fogo e deixe descansar 10 minutos com a panela tampada.

 

LOMBO COM RODELAS DE LARANJA

Ingredientes: 2kg de lombo de porco, 1 cebola ralada, 1 colher (sopa) de manteiga, 1 e 1/2 colher (sopa) de maisena, 1/2 colher (chá) de gengibre em pó, 1 copo de suco de laranja, 1 tablete de caldo de carne.

 Preparo:Coloque o lombo em assadeira com a parte gordurosa para cima e asse durante 1h30min, mais ou menos, em forno brando. Frite a cebola na manteiga até que fique macia. Junte os ingredientes mexendo sempre. Cozinhe até engrossar um pouco e pincele o lombo com essa mistura, assando-o por mais 1 hora, aproximadamente. Sirva com fatias (rodelas) de laranja.

lombo_laranja1

 

 

 

 

 

 

 

 

BACALHAU AO BACON ( unindo o peixe e o porco)

Uma opção para começar o ano mais leve. Comer peixe no ano novo, além de ser uma refeição saudável, adiciona  leveza para nosso organismo.

Ingredientes:

  • ½ kilo de bacalhau (pode ser já desfiado ou em lascas)
  • 2 kg de batatas em rodelas
  • 3 ovos cozidos picados
  • 1 alho poró cortado em rodelas
  • 2 cebolas cortadas em rodelas
  • 1 pimentão vermelho cortado em cubos
  • 4 dentes de alho em fatias finas
  • Aproximadamente 100 gramas de bacon em pequenas tiras
  • azeitonas pretas
  • azeite  de oliva,  para o toque especial!
  • Salsinha picada, sal (cuide na quantidade)e pimenta a gosto

bacalhau-e-baconPreparo:

  1. Retire o sal do bacalhau da seguinte forma: aqueça uma panela com muita água até ferver, mergulhe o bacalhau e reserve por algumas 3 horas. Depois escora  bem o bacalhau e não descarte a água.
  2. Com a água do bacalhau, cozinhe as batatas.
  3. Em uma frigideira, frite o bacon e o pimentão.
  4. Tempere o bacalhau com cebola, alho, pimenta e sal a gosto
  5. Monte o prato com um refratário e coloque bastante azeite para forrar e uma camada com alho poró. Coloque o bacalhau, as batatas e os demais ingredientes.
  6. Cubra com  azeite e leve ao forno. Retire assim que dourar.
  7. Você pode incrementar o ovo e a azeitona preta, polvilhar com salsinha picada para deixar o prato ainda mais bonito e apetitoso.

 

SOBREMESAS

MELÃO  FESTIVOmelon-frutas

 Ingredientes:3 melões grandes e bem maduros, 1 porção de morangos, 12 bananas, 1 lata de pêssegos em calda, 1/2kg de uvas tipo Itália  sem sementes, 1 maçã vermelha, 1 maçã verde, 1 porção de cerejas ( em calda), 1 copo de vinho doce, 1 copo de suco de laranja, 1 cálice pequeno de licor de frutas ao seu gosto, 1 limão

 Preparo:Lave e enxugue os melões. Você vai usá-los como recipiente para todas as frutas picadas.  Corte uma fatia fina ( tipo uma tampa) junto ao cabo, sem furar, só para que ele possa ficar de pé na bandeja. Corte uma fatia mais grossa na parte de cima. Retire por essa abertura as sementes (descarte as sementes) e boa parte da polpa dos melões. Depois de colocar na bandeja,  leve-os à geladeira.  Corte em pedacinhos e leve à geladeira a polpa dos melões, colocando em uma vasilha que comporte todas as frutas. Lave bem todas as frutas, mantenha a casca das maçãs, para colorir a salada de frutas festiva,  corte em cubos ou fatias, junte com a  polpa dos melões, polvilhe um pouco de açúcar, junte todas as bebidas. Retire os melões da geladeira e recheie com a s frutas, escorrendo-as antes de colocar dentro dos melões, ao final divida em partes iguais o caldo, regando as frutas dentro de cada melão. Passe suco de limão nas bordas dos melões e polvilhe com açúcar, podendo usar as tampas para cobrir. Volte à geladeira até a hora de servir. Leve à mesa em bandeja e sirva em taças.

Obs.: Pode substituir os melões por uma melancia, fazendo com que ela seja o receptáculo para a salada de frutas, porém antes de usar a polpa você terá que remover todas as sementes que estão incrustadas na carne da fruta.melancia-saladeira

BOLO DE MEL ESPECIAL

Ingredientes

a) 4 ovos

b) 1 copo de açúcar

c) 3/4 de copo de mel

d) 1/2 copo de café forte (4 colheres – sopa – de café solúvel em pó em 1 copo  de água)

e) 1/2 copo de óleo de milho

f) 1 1/2 colher (chá) de bicarbonato em pó (dissolvido no café)

g) 400 g de farinha de trigo

h) 1 colher (chá) de essência de baunilha

i) 1 xícara (chá) de uvas passas brancas, sem sementes, polvilhadas com farinha de trigo

j) 1 xícara (chá) de nozes picadas na faca

k) 1 1/2 colher (sopa) de fermento em pó

    • Óleo para untar e farinha de trigo para polvilhar a forma (assadeira tamanho grande)
    • Açúcar de confeiteiro e canela em pó, para polvilhar

Observação: a medida utilizada, o copo é do tamanho do tipo  copo de requeijão.bolo-de-mel

Modo de preparo:
Bater na batedeira, juntando na seqüência os ingredientes de a até f. Após, juntar aos poucos a farinha, misturar bem, acrescentar a essência de baunilha, e os itens i e j.  Mexer com delicadeza para misturar. Aquecer o forno em calor médio, para assar bolo. Preparar a forma, untar a forma e polvilhar. Após, voltar á mistura e acrescentar o fermento,  misturar bem, mas mexer suavemente. Colocar na forma e assar,  deixando que o bolo cresça e doure, sem abrir o forno nesta primeira etapa, quando já estiver dourado, verificando com o palito para ver se está pronto, espetando o palito e vendo se sai sequinho.  Deixe esfriar e corte em pedaços quadrados, retirando da forma, polvilhe com a mistura de açúcar de confeiteiro e canela em pó. Este bolo pode ser guardado em latas ou potes fechados, ao abrigo da luz, durando durante as festas de Natal e final de ano.

TORTA DE FIGOS E MAÇÃS

Feita também com uvas passas, esta torta de figos com maçãs é a cara das festas de final de ano!

Ingredientes

3 gemas

2 ovos

1 lata de creme de leite

1 lata de leite (use a mesma lata do creme de leite)

2 colheres (sopa) de açúcar

2 colheres (sopa) de farinha de trigo

200 g de doce de figo em calda

2 maçãs cortadas em pedaços graúdos

1/2 xícara (chá) de uvas passas

Canela em pó e açúcar a gosto

torta-figoModo de preparo

Ponha no liquidificador as gemas, os ovos, o creme de leite, o leite, o açúcar e a farinha de trigo. Bata até ficar homogêneo. Em um refratário untado espalhe a maçã polvilhada com açúcar e canela e as uvas passas.

Entre os pedaços de maçãs, ponha os figos escorridos e cortados em cubos e despeje o creme batido. Leve ao forno médio pré-aquecido até dourar ligeiramente.

Dica: experimente substituir e usar pêssego em calda, banana fresca e sobras de frutas secas com esse creme para fazer a torta. Fica uma delícia!

 

MOUSSE COM CALDA DE ROMÃ

Em festa de fim de ano não pode faltar sobremesa com romã. Esta mousse é muito simples de preparar. Acompanhe a receita!mousse-roma-2

Ingredientes

3 claras
3 colheres (sopa) de açúcar
250 g de chocolate branco
1 lata de creme de leite
1/2 xícara (chá) de água
1/4 de xícara (chá) de groselha
Sementes de 3 romãs
1 colher (sobremesa) de suco de limão

 Modo de preparo

Bata as claras em neve, junte o açúcar e continue batendo até obter picos firmes. Derreta o chocolate em banho-maria, retire do fogo e adicione o creme de leite. Misture delicadamente as claras com o creme de chocolate. Distribua em taças individuais e leve-as à geladeira. Em uma panela, coloque a água, a groselha e leve ao fogo até ferver, deixe reduzir um pouco, para engrossar, mas sem escurecer. Acrescente as sementes de romã, desligue o fogo e misture o suco de limão. Deixe esfriar e distribua sobre as taças de momousse-romausses, se você escorrer de forma que não fique muito líquido, aparecendo bem os grãos de romã, ficará como a foto ao lado, se deixar com calda, ficará como a foto acima. Rende cerca de 6 porções.

 

 

Boa Ceia de Final de Ano e um ótimo 2017!

 

Série Sopas: BAMBÁ DE COUVE, de Minas Gerais para o mundo.

O bambá é um prato tipicamente mineiro.
Em Minas você o encontra com uma variação muito grande de temperos e recheios, deliciosa receita da culinária mineira, ótima dica de prato, ainda mais para os dias frios e o melhor de tudo, é uma refeição super criativa!
Muito fácil de preparar, é perfeito para quem quer provar algo delicioso, pode ser servido com um bom vinho, fica perfeita a combinação! Ideal para esquentar o corpo nas noites frias.

O “bambá-de-couve” cuja receita, muito rica, teve origem em Ouro Preto, além da lingüiça, requer costelinha, toucinho magro (defumado ou não), tudo previamente bem frito, podendo-se ou não adicionar o ovo ao mingau. E a couve tem de ser RASGADA. Couve picada no “bambá” é o sacrilégio dos sacrilégios!
Nascido na senzala, como muitos outros itens da culinária brasileira, em Ouro Preto o prato ganhou o nome “bambá-de-couve”, enriqueceu-se com carnes e caiu no gosto do mineiro. Há não muitos anos, só no distrito sede, a cidade de Ouro Preto, o prato era conhecido por esse nome; nos demais distritos, chamavam-no “mingau-de-couve”. Posteriormente, com a maior divulgação das coisas de Ouro Preto, a receita do “bambá-de-couve” transpôs fronteiras, dizem que chegou até a Europa.
Veja como é fácil, como preparar um delicioso bambá de couve para o inverno, mais conhecido como caldo verde mineiro.

bambá

Ingredientes

Para o bambá
250 g de fubá
500 g de costelinha em pedaços
5 folhas de couve rasgadas
1 litro de água
3 colheres (de sopa) de óleo
1 tablete de caldo de carne
Alho, sal e outros temperos ( pimenta preta, salsinha e cebolinha verde) a gosto
1 ovo
Fritar à parte 200 grs de linguiça em rodelas e 150 grs. de bacon picados. Reservar.

Modo de fazer o bambá

Lavar, rasgar e reservar a couve. Temperar a carne com alho e sal. Reservar.
Numa panela com o óleo, uma pitada de tempero e o caldo de carne, refogar a costelinha.
Quando estiver dourada, acrescentar água fervente e deixar por dez minutos, com a panela tampada.
Numa panela à parte, em fogo brando, misturar aos poucos o fubá com 400 ml de água e mexer, até engrossar.
Em seguida, adicionar o angu à costelinha. Deixar por mais 15 minutos, sempre mexendo com a colher de pau.
Adicionar o ovo bem batido ao caldo, provar o sal, colocar a salsinha e a cebolinha picadas.
Adicionar a couve crua para cozinhar no calor do caldo, já com o fogo desligado.
Coloque os bolinhos de ovo na sopa. (opcional)
Colocar por cima a linguiça e bacon fritos para decorar.

Para os bolinhos
3 ovos
2 colheres de sopa de farinha de trigo
100 g de queijo minas em fatias finas
½ maço de cheiro verde picado
óleo para fritura
sal a gosto
Modo de preparo

Modo de fazer os bolinhos

Bata os ovos.
Acrescente a cebola, a salsinha, a pimenta-do-reino, o queijo e o sal.
Vá adicionando a farinha aos poucos, até obter uma massa consistente.
Em uma frigideira, coloque óleo e deixe bem quente. Com a ajuda de duas colheres de sopa, pegue colheradas e faça bolinhas.
Frite no óleo quente e deixe escorrer no papel-toalha.
Depois, é só juntar ao bambá.

Língua ao molho de tomates e azeitonas verdes perfumada com vermute doce

linguaReceita: Chef Jorge Nascimento

Ingredientes:

2 línguas limpas e cozidas cortadas em fatias não muito finas

700 ml de molho de tomates

2 folhas de louro

3 dentes de alho picados

2 cebolas médias bem picadas

100 gramas de azeitonas

50 ml de vermute doce

4 colheres de sopa de manjerona fresca

sal, pimenta-do-reino

óleo vegetal

Modo de fazer:

Numa panela esquente o óleo vegetal e doure as cebolas, o alho, as folhas de louro e as azeitonas, deixe refogar pôr uns 5 minutos. Adicione a língua e a manjerona, refogue pôr mais 5 minutos e adicione o molho de tomates, deixe ferver. Após a língua ferver coloque o vermute doce. Tempere com o sal e a pimenta-do-reino. Deixe ferver em fogo muito brando pôr uns 50 minutos. Retire do fogo e sirva acompanhado de purê de aipim enriquecido com nata fresca (creme de leite fresco), temperado com folhas de manjerona.

Sugestão de Bebidas para harmonizar

Vinhos: Luar do Pampa Gewürztraminer,  Rosé Routhier & Darricarrère Marie Gabi safra 2013 Espumante Extra Brut Campos de Cima.

Cervejas: Colorado Cauim ou Labareda Coruja.