Série Sopas 3: quentes no inverno e frias no verão!

Como estamos seguindo com o assunto de sopas, vejam as publicações anteriores neste blog,  sobre Sopas, cremes e caldos, e na sequencia na Série Sopas 1 e Série Sopas 2 , quando já  falamos sobre este alimento considerado, junto com o pão, a primeira refeição completa da história da humanidade.

Agora vamos tratar de outro aspecto, a versatilidade, tanto para climas frios quanto quente, deste alimento considerado completo por muitos nutricionistas e profissionais que cuidam da saúde e bem estar.

SOPAS QUENTES PARA CLIMA FRIOS

Consideradas muito aconchegantes para espantar os dias frios, as sopas são pratos fáceis de fazer, nutritivas e acalentam o “corpo e a alma”. Em diversas regiões do Brasil, o inverno é rigoroso. Com suas baixas temperaturas, ainda mais à noite, eventos, jantares e confraternizações ficam mais reconfortantes com pratos bem quentes e saudáveis.

Abaixo algumas receitas para você preparar:

Sopa cremosa de cebola gratinada

Ingredientes:

2 colheres de sopa de azeite

2 colheres de sopa de manteiga

4 cebolas fatiadas

1 litro de água

2-3 colheres de sopa de amido de milho

1 xícara de chá de leite

2 pães italianos redondos

queijo parmesão ralado

sal e noz-moscada ralada, caldo de legumes em pó

Cebolinha picada

 Modo de preparo:

Em uma panela, aqueça o azeite e a manteiga e refogue a cebola até que fique translúcida. Acrescente o caldo de legumes em  pó dissolvido na água e cozinhe.

Junte o amido de milho dissolvido no leite, o sal, a noz-moscada ralada ( ao gosto)e cozinhe até engrossar, mexendo sempre. Corte a tampa dos pães e retire o miolo. Despeje o creme dentro dos pães, coloque um pouco parmesão ralado por cima e leve ao forno até gratinar;

Retire, decore com cebolinha picada e sirva.

Sopa de grão-de-bico com linguiça e legumes

Ingredientes:

2 xícaras de chá de grão-de-bico (deixado de molho por 3 horas)

4 colheres de sopa de azeite de oliva

300 g de linguiça  cortada em meias rodelas

1 cebola picada; 2 dentes de alho picados

1 talo de salsão picado; 1 tomate picado

2 batatas cortadas em cubo; 1 cenoura em rodelas

1 colher de café de cominho; 1 cubo de caldo de carne

2 litros de água

sal a gosto, Cheiro-Verde

páprica picante, noz-moscada em pó

Modo de preparo:

Em uma panela de pressão, aqueça o azeite e frite a linguiça. Reserve esta linguiça para o final do preparo.

Na mesma panela, refogue a cebola, o alho, o salsão e o tomate com o cominho. Acrescente a água com o caldo de carne, o grão-de-bico escorrido e cozinhe em fogo baixo por 15 minutos, depois que a panela começar a chiar desligue e espere a pressão sair antes de abrir.

Coloque metade do grão-de-bico com o caldo em um liquidificador e bata até formar um creme, transfira o creme para a panela, adicione sal, páprica, noz-moscada, as batatas e as cenouras e cozinhe até que estejam macias.

Desligue, junte a linguiça, decore com cheiro-verde e sirva.

 

 

 

Sopa  de brócoli, palmito e bacon

Ingredientes:

3 colheres de sopa de manteiga

1 cebola picada; 2 dentes de alho amassados

4 xícaras de chá de brócolis cozido e picado

300 g de palmito em conserva picado

1 cubo de caldo de legumes

1 litro de leite

2 colheres de sopa de farinha de trigo

200 g de creme de leite

1 xícara de chá de bacon frito cortado em cubos

Sal e pimenta-do-reino à gosto

Modo de preparo:

Em uma panela, derreta a manteiga e refogue a cebola e o alho. Acrescente 3 xícaras do brócolis, 200 g do palmito, o caldo de legumes e cozinhe por cerca de 5 minutos. Transfira para um liquidificador, adicione o leite e a farinha e bata até obter um creme homogêneo.

Volte a mistura para a panela, acrescente o restante do brócoli e do palmito, coloque o creme de leite, sal, pimenta e cozinhe até engrossar. Desligue e decore com o bacon em cubos.

SOPAS FRIAS PARA CLIMA QUENTE

Sempre lembradas como prato para as estações mais frias do ano, como o inverno, a tradicional iguaria gastronômica também se encaixa perfeitamente aos dias quentes. As “sopas frias”, além de bem saborosas, possuem muitos nutrientes importantes e essenciais para a saúde, sobretudo em dietas que exigem poucas calorias.

Para uma sopa fria não basta esperar que uma sopa comum esfrie, pois nem todas as sopas quentes servem para servir dessa forma. Elas são adequadas para o verão justamente por suas composições delicadas e refrescantes. Além desses aspectos interessantes, essas receitas são de fácil digestão, entre outras vantagens:

– Sopas frias são excelentes opções para os dias quentes, pois além de nutritivas, auxiliam na hidratação do corpo e ajudam a refrescar. Elas também podem ser feitas com frutas que acrescentam importantes fontes de fibras, vitaminas e minerais à alimentação.

Sugerimos algumas  receitas para refrescar seu dia e manter a saúde, confira:

Sopa fria de batata e alho poró

Ingredientes:

2 batatas grandes em cubos

1 talo de alho-poró, 1 colher de sopa de azeite, sal e pimenta à gosto, 1 pitada de noz-moscada

1 xícara de chá de creme de leite light

2 xícaras de água quente, cebolinha picada para decorar.

Modo de preparo:

Em uma panela, refogue o alho-poró com o azeite até ficar macio. Acrescente água, sal, pimenta, batatas e cozinhe até que as batatas fiquem macias. Retire do fogo, deixe esfriar e bata no liquidificador. Em uma tigela, coloque a mistura batida, noz-moscada e metade do creme de leite, misturando bem. Leve para geladeira para que fique gelado, retire e coloque o resto do creme de leite. Salpique cebolinha picada e sirva.

Sopa de cenoura e gengibre

Ingredientes:

3 cenouras médias, 1 batata pequena

gengibre ralado à gosto, 1 litro de água, sal à gosto.

Modo de preparo:

Cozinhe a cenoura e a batata na água com sal até ficarem bem macias. Deixe amornar e bata no liquidificador com o gengibre ralado. Leve à geladeira por aproximadamente 2 ou 3 horas. Sirva bem gelada.

Gazpacho de tomate

Ingredientes:

2 dentes de alho médios sem os brotos internos, 1 pepino grande descascado e picado

1/2 pimentão vermelho sem sementes e picado, 1/2 cebola grande, 5 tomates bem maduros

1/2 colher de chá azeite, 1/2 colher de chá de orégano, 4 colheres de sopa de vinagre de maçã

400 ml de água gelada, sal à gosto

Modo de preparo:

Retire os brotos dos dentes de alho cortando-os ao meio no sentido do comprimento. Bata todos os ingredientes no liquidificador, completando com água para que a sopa não fique muito grossa, e sirva gelada.

 

Sopa de bergamota e salsão

Ingredientes:

1/2 tomate italiano em cubos, pimenta dedo-de-moça picada

1 talo salsão picado em cubos (deixe um talo inteiro para decorar)

500 ml de suco de bergamota

Modo de preparo:

Coloque no fogo o suco de bergamota e espere reduzir por 20 minutos, até conseguir uma textura espessa. Misture a pimenta e leve à geladeira por 2 horas.

Corte o tomate e o salsão e coloque numa taça nesta ordem: o tomate, o suco de tangerina e, no final, o salsão em cubos. Decore com o talo de salsão e sirva em seguida.

Tendências na Gastronomia – 2019

O que comemos também é tendência, faz parte de toda uma cadeia de consumo. Foi realizada recentemente a Food & Nutrition Conference & Expo no Distrito de Columbia, organizada pela Academia de Nutrição e Dietética Norte Americana, quando um dos principais objetivos que era identificar novas tendências alimentares. Também aconteceram as publicações, já tradicionais, de sites, blogs e revistas internacionais que trazem novidades para este assunto.  Abaixo relatamos algumas delas:

Abacate

A guacamole nunca foi tão popular. Na verdade, receitas com abacate invadiram café da manhã, almoço e jantar. Na rede social as buscas por “como plantar um abacateiro” tiveram o aumento de 101%. Agora, a moda é fazer tudo sem sair de casa.

Automação

Agora que as refeições automatizadas estão se tornando mais comuns, prepare-se para ver mais bots no próximo ano. Eles não serão daqueles que fazem reconhecimento facial ou com sistemas de delivery para restaurantes de fast food, mas robôs que realmente fazem sua comida, oferecem serviço de quarto em hotéis e, além de acompanhar os clientes até restaurantes específicos, ajudam a encontrar mesas em restaurantes. Com essa nova geração de gadgets entrando na força de trabalho, não é de admirar que, segundo um artigo recente publicado no “New York Times”, funcionários de hotéis em todo o mundo estejam cada vez mais preocupados com seus novos concorrentes.

Bebidas vegetais

A lactose foi colocada de lado em 2018, devido a diversos problemas digestivos que pode causar e à indústria laticínea cruel com animais. A bebida de amêndoa virou queridinha, mas um vasto crescimento das versões com aveia correspondeu a 186% . Diga olá para leites de aveia, semente de gergelim, nozes e leite de caju!

Cafés especiais

Há alguns anos, cafés especiais chegaram às cidades mais cosmopolitas do mundo.  Porém, nem todo mundo consegue preparar um café rico. Por isso que o conceito de barista é ouvido com mais frequência e é cada vez mais solicitado em cafés gourmet.

O profissional especializado em café de alta qualidade é chamado de barista. Ele é responsável por criar novas e diferentes bebidas à base de café usando diferentes tipos de leite, essências, licores e ingredientes. Adicionalmente, baristas geralmente são especialistas em apresentar café de maneira criativa e artística.

A tendência atual é encontrar novas misturas e adicionar novos ingredientes ao café.  Exemplo disto são misturas com açafrão, espirulina, sementes, entre outros. O objetivo destes mixes é diferenciar o sabor e obter cafés mais nutritivos e energéticos.

Caso recente e que vai ditar tendência para 2019 é a utilização de bebidas vegetais na preparação de opções quentes ou geladas com café.

Carne cultivada em laboratório

Dietas vegetarianas também serão tendências em 2019, mas de uma maneira diferente. Em vez de comer carne no estilo tradicional, haverá mais carnes e proteínas cultivadas em laboratório, que mudarão o modo como você (e muitos dos carnívoros) enxergam a comida. Aqui está uma maneira muito simplificada de descrever o conceito: é arrancada uma ou duas células de um animal, em vez de matá-lo. A partir delas, produz-se o alimento em grande escala. Embora isso não agrade a todos, vegetarianos e veganos vão adorar a novidade, que vai contribuir para a eliminação de matadouros, redução de gases de efeito estufa e consumo de energia. Previsivelmente, haverá resistência. Pecuaristas estão lançando campanhas para evitar com que essas proteínas geneticamente modificadas sejam chamadas de “carne”. Além disso, as proteínas à base de plantas, como a proteína de ervilha, assim como outras leguminosas, nozes e sementes, aparecem em preparos quentes, exemplo dos hambúrgueres vegetarianos.

Chuchu, chuchuzinho!

O chuchu complementa várias receitas e, devido a seu sabor curinga, ele pode ser feito com vários temperos. Por isso, não torça o nariz para o vegetal que teve um pico de busca de 76%.

Cogumelos

Suculentos e macios, os cogumelos saíram do rodízio de comida japonesa e dos molhos italianos para adentrar inúmeras receitas. Essa alta representou um crescimento de 64% nas pesquisas no Pinterest, por exemplo..

Comer mais em casa

Por que almoçar ou jantar fora quando é possível comer bem em casa? Dado o aumento dos preços nos restaurantes, ainda mais pessoas podem optar pela alimentação caseira em 2019. Segundo a NPD, empresa especializada em análise e consultoria do setor varejista que identifica tendências de mercado, 82% das refeições são preparadas em casa. Salários, finanças apertadas e altos impostos também são fatores notáveis. Uma outra razão é que os millennials, um segmento de mercado de US$ 75 milhões só nos EUA, gostam e não tem medo de cozinhar. Isso sem esquecer da popularidade das marmitas, que contribuem para essa nova tendência.

Comida de verdade

Comida de verdade é uma das tendências que vai invadir as redes sociais em 2019. Como resultado, o lema “mais mercado e menos supermercado”, estará em consonância com a compra de alimentos “mais real”, consumindo alimentos em seu estado mais natural possível.

Dieta Pegan

Caso você não esteja familiarizado, esse tipo de alimentação mistura o vegano e o paleolítico, pois que os alimentos passam a ser valorizados em sua forma original. O termo “eating pegan” foi procurado  no Pinterest em 337% a mais do que no ano passado.

Frutas tropicais

Cansada de açaí? Você pode estar com sorte. A Whole Foods está prevendo que frutas tropicais como goiaba, pitaya, carambola e maracujá serão o centro das atenções em 2019.

Se você está cansado da sua maçã, troque por uma dessas frutas tropicais de vez em quando. Frutas diferentes têm perfis nutricionais ligeiramente diferentes, mas todas são ricas em fibras, vitaminas e carboidratos saudáveis.

Geléia de panela

Compotas e geleias são muito mais saborosas quando caseiras. O preparo pode ser muito fácil, basta escolher o seu sabor favorito.

Grab and go

Como os consumidores e suas famílias vivem estilos de vida mais ocupados, eles estão exigindo mais conveniência, especialmente quando se trata de obter refeições. O “grab and go” é bastante comum mundo afora, mas aqui no Brasil, tem muito mercado para avançar.

O segmento “grab and go” é um nicho de alto valor. Aqueles que capitalizarem em 2019 os gostos, os hábitos e os interesses dos jovens consumidores estarão em boa posição para conquistar sua lealdade.

Portanto, disponibilizar opções “grab and go” em restaurantes é uma maneira de atender o público que não quer gastar muito tempo comendo em restaurantes. A essência do “grab and go” é ofertar alimentos mais saudáveis e frescos embalados de forma prática que valorize o alimento.

Massas de leguminosas

Macarrão feito de grão de bico e lentilhas vermelhas e verdes! Esta é uma categoria que definitivamente decolou; até mesmo as tradicionais empresas de massas nos Estados Unidos aderiram. a tendência apenas dá ao consumidor amante de massas outra opção saudável.

Probióticos

Os probióticos, ou microrganismos vivos que podem beneficiar a saúde digestiva, não são novidade, mas os produtos em que aparecem não estão mais limitados aos iogurtes. Este ano, i água com gás probiótico, bebidas sem leite e farinha de aveia. Apenas tenham  atenção que existem muitas cepas diferentes de probióticos e nem todas as cepas terão o mesmo efeito para todos os consumidores.

Sabores azedos

Em termos de sabor da moda, no próximo ano, a tendência da gastronomia é o gosto mais azedo. Graças à popularidade e influência das cozinhas coreana, filipina e persa, mais e mais elementos azedos estarão presentes no prato. Para se ter uma ideia, existem tacos kimchee, quesadillas, mac-and-cheese e até mesmo sorvete nos “novos” pratos de inspiração coreana, além de receitas à base de vinagre, com molhos típicos de cardápios filipinos, e muita acidez de calamansi, ruibarbo, kunzite (laranja azeda), tamarindo e romã, característicos de restaurantes persas.

Shots e águas saborizadas

Os benefícios dos shots de limão, gengibre e cúrcuma vieram com tudo, para melhorar o funcionamento do organismo e aproveitar das características antioxidantes dos alimentos.

Bazares e Feiras – Natal 2018

Para quem gosta de ir a uma feira, fica a dica: adquirir mimos natalinos, uma lembrança de Natal, frequentar espaços onde estão presentes muita criatividade e espírito de colaboração, participando centenas de expositores. São artesãos, artistas plásticos, confeiteiros e quituteiros, com produtos da mais alta qualidade e incontável diversidade.

Aqui em Porto Alegre, vários clubes e instituições reúnem confeiteiras, doceiras e artesões que expõe seus produtos para um público variado, apresentando produtos bonitos, com linda apresentação e muito sabor. Opções mais alternativas, para enfrentar com bom gosto e criatividade os tempos de crise econômica e de impacto nos diversos setores da economia, e também nas finanças das pessoas.

Nestes eventos podemos encontrar desde biscoitos, bolinhos, panetones, cupcakes, produzidos e decorados artesanalmente, até outras peças de diversos tipos de  artigos de decoração e artesanato  que servem para presentear na época das festas de final de ano.

Então fica a dica dos seguintes eventos:

OQUE QUANDO ONDE OBSERVAÇÕES
Bazar da CoragemInstituto do Câncer Infantil

Sociedade Libanesa

28 e 29/11

das 11 às 20h

Rua Barão do Rio Grande, 10, Boa Vista

Informações no

ICC fone 3331 8704

10% das vendas revertidas para o Instituto do Câncer Infantil

nos dias 28 e 29 de novembro, quem for até a Sociedade Libanesa vai poder aliar a sua compra à solidariedade em ajudar o ICI, mais de 50 expositores estarão vendendo seus produtos na edição de Natal do Bazar da Coragem, diversas técnicas e trabalhos artesanais, além de uma área de alimentação. A novidade deste ano é que haverá a presença de expositores com marcas próprias.

 

 

Bazar de Natal da Sogipa 30/11, 1º e 02/12

das 14 às 20h

Salões Hannover e Turner

Rua Barão de Cotegipe, 415 – São João

Geléias, bolos, biscoitos, panetones, crochê, bijuterias, acessórios, decoração
Bazar de Natal do Clube 25 de Julho 30/11 das 14 às 20h

1º e 02/12 das 13 às 20h

 Rua Germano Petersen Jr, 250 – Auxiliadora Geléias, bolos, biscoitos, panetones, crochê, bijuterias, acessórios, decoração
Bazar de Natal Sociedade Germânia 05 e 06 /12

das 10 às 21 horas

Av. Independência, 1299

6º e 7º andar

fone 3311- 9194

muitos produtos, desde artesanato, decoração, gastronomia e culinária.

Um dos melhores bazares de natal de PoA.

Bazar de Natal Lindóia Tênis Clube 04 a 07/12 das 15h às 20h

08/12 das 10h às 26h

 

 

(no estacionamento do clube)

Trav. Comandante Gustavo Cramer, 90 – Jardim Lindóia fone  3017- 4422

São comercializados artesanatos em crochê, chinelos bordados, panos de prato, acessórios em patchwork, além de bolachinhas natalinas, panetones caseiros, semi jóias, produtos apícolas, mel, etc. entre muitos outros produtos.
Feira de Natal do Bom Fim De 2 ª a 6ª feira

Dezembro

das 15h às 21h

Canteiro central da Rua José Bonifácio

 

Organizada pela Associação  de Artesãos do Brique da Redenção, com apoio da Prefeitura Municipal de Porto Alegre, por meio da Smic, cerca de 300 expositores.

Receitas com flores!

RECEITAS

Acompanhando o clima da primavera/verão, trazemos aqui algumas receitas com flores comestíveis para você ousar na cozinha.

Alcachofras à romana

Ingredientes

  • 6 alcachofras

Para o Molho:

  • 1 e 1/2 dente de alho para cada alcachofra
  • 2 folhas de hortelã para cada alcachofra
  • 1 ramo de salsinha para cada alcachofra (só folha)
  • 1 copo de vinho branco seco para 6 alcachofras
  • 1/2 copo de azeite de oliva para 6 alcachofras
  • Pimenta síria a gosto ou pimenta-do-reino
  • 2 colheres de café de molho de pimenta vermelha
  • Sal a gosto, ½ limão

Preparo das alcachofras: Limpe as alcachofras, retirando a paina e descartando as folhas. Desfie os talos, aproveitando os mais tenros.Deixe os talos e coração das alcachofras submerso em água e limão.  Prepare o molho. Escorra, leve-as à uma panela, acrescente o molho por cima, deixe cozinhar em fogo baixo até amaciar. Deixe esfriar, acondicione-as em um recipiente que possa ser fechado e leve à geladeira até a hora de servir. Depois de pronto, sirva como aperitivo gelado, com pão italiano.

Preparo do molho: Bata todos os ingredientes do molho no liquidificador. Despeje por cima dos talos e alcachofras. Lave o liquidificador com um pouco de água e jogue por cima das alcachofras.

Sugestão extra: prepare uma massa (espaguete, linguini, talharini ou outra da preferência). Depois de cozida al dente, aqueça manteiga, adicione na massa e junte a alcachofra cortada em quatro pedaços mais o molho. Polvilhe o queijo ralado e bom apetite!

Salada florida com vinagrete

Ingredientes

    • 1 colher (café) de aceto balsâmico
    • colher (sobremesa) de azeite de oliva
    • alface crespa roxa
    • alface orgânica
    • endívia roxa
    • fatias de manga
    • soja em flocos
    • amor-perfeito
    • sal a gosto

Modo de preparo

Monte buquês com as alfaces, a endívia e as fatias de manga e coloque-os sobre cada cumbuca ou prato. Polvilhe com os flocos de soja e distribua por entre as folhas as flores do amor-perfeito.
Misture em pequenos bowls individuais o vinagre, o azeite e o sal para que os convidados temperem suas saladas no momento de consumirem.

Risoto de capuchinha

Ingredientes:

      • 1 xícara de arroz carnaroli (ou arbóreo)
      • 1 l de caldo de legumes
      • ½ cebola grande picada
      • 1 dente de alho picado
      • 1 cálice (de licor) de vinho branco
      • 10 flores de capuchinha
      • 10 folhas grandes de capuchinha
      • 2 colheres (sopa) de queijo gorgonzola picado
      • 1 colher (sopa) de manteiga
      • Sal e pimenta-do-reino a gosto

Modo de preparo:em uma frigideira grande, refogue no azeite a cebola e o alho, deixe dourar e acrescente o arroz. Frite por alguns segundos e adicione o vinho, espere o álcool evaporar e acrescente 2 conchas de caldo de legumes. Conforme o arroz for secando vá colocando mais uma concha de caldo, repita o processo até obter um arroz levemente al dente. Após 20 minutos de preparo, adicione as folhas de capuchinha. Desligue o fogo, adicione a manteiga e tampe por alguns poucos minutos. Destampe, mexa para misturar a manteiga derretida ao arroz, acrescente as flores levemente picadas e o queijo gorgonzola, misture delicadamente e sirva imediatamente. Decore com mais flores de capuchinha.

 

Sopa creme de couve-flor

Ingredientes

      • 2 colheres (de sopa) de azeite
      • 1 xícara (de chá) de cebola picada (1 grande)
      • 3 dentes alho picados
      • 1 batata bem picada (1 xícara ou 100g)
        600g de couve-flor separada em buquês (1 média)
      • 4 xícaras (de chá) de caldo de legumes(960ml)
      • 1 folha de louro
      • Sal a gosto (uso cerca de 1 colher de chá)
      • Pimenta moída a gosto
      • Noz moscada, Cominho, Salsinha e Cebolinha a gosto

Modo de preparo: Em uma panela grande em fogo médio, coloque o azeite e refogue a cebola e o alho até ficarem levemente dourados. Adicione a batata picada e refogue por 1 minuto. Acrescente a couve-flor separada em buquês, tempere com sal a gosto e refogue por mais 2 minutos. Coloque a folha de louro, o caldo de legumes (ou água), tampe e deixe os ingredientes cozinharem por cerca de 20 minutos, ou até que fiquem bem macios. Corrija o sal, se necessário, e adicione uma pitada de noz moscada e pimenta moída a gosto.

Espere esfriar um pouco antes de bater por causa do vapor quente. Retire o louro e bata até obter um creme uniforme. Esta sopa pode ser servida quente ou geladinha.

Dica: Se quiser, use algum tipo de leite, tanto de origem animal (vaca ou cabra), quanto leite vegetal, como de amêndoas,de coco ou de castanha,no lugar de parte do caldo de legumes. O creme ficará ainda mais cremoso.

Merengue com frutas vermelhas e mini rosas

Ingredientes

      • 1 lata de leite condensado
      • 1 lata de creme de leite
      • 1 e ½ limão-siciliano
      • 6 amoras firmes
      • 6 morangos firmes
      • 6 framboesas firmes
      • 1 colher (sopa) de geleia de framboesa(bem cheia)
      • ½ copo de água
      • flores comestíveis (mini rosas) vermelhas ou rosa
      • 1 pote de chantilly
      • suspiros, ou merenguinhos

Modo de preparo

Bata no liquidificador o leite condensado, o creme de leite e o suco dos limões até chegar a um ponto de creme espesso. Em uma panela, junte as frutas, a geleia e a água e deixe por 10 minutos em fogo médio (170 ºC a 190 ºC). Para montagem individual, cubra o fundo de uma cumbuca ou xícara com uma base de creme de limão. Em seguida, coloque uma camada de suspiro, outra de chantili e finalize com a calda das frutas vermelhas. Enfeite a superfície com as mini rosas.

Flores Comestíveis – uso, aplicações, uma festa no prato!

Nessa vida passageira, Eu sou eu, você é você
Isso é o que mais me agrada, Isso é o que me faz dizer
Que vejo flores em você...

Compositor: Edgard Pereira     Ira!  Álbum:Vivendo e não Aprendendo

Quando pensamos em flores, geralmente esperamos que sejam mais decorativas que propriamente um alimento. Enganados estamos!

Elas começaram a ganhar espaço nos belos pratos de chefs estrelados como decoração. Agora, a lavanda, rosa e hibisco aparecem em lattes, infusões e chás. Já a flor de sabugueiro foi eleita o ingrediente perfeito para coquetéis e bebidas gaseificadas. É o efeito American Tropics: cores fortes, motivos florais e sabores marcantes tem sido utilizados pelos chefs para diferenciar seus estilos.

Flores que te quero em cores!

E se o assunto é acrescentar flores aos alimentos, boa parte das pessoas responde com estranheza e até cara feia. No entanto, é bem provável que já tenham se deliciado com algumas delas sem ao menos notar. Pois bem, você já provou brócolis, couve-flor e alcachofra? Apesar de não terem o aspecto encantador das suas irmãs ornamentais, são flores, sim!

As três opções passam longe da ideia de itens exóticos simplesmente porque já são vistas como legumes e podem ser cozidas como eles. Outras flores são servidas na forma natural, por isso o caráter exótico.

Além de contarem com sabor que costuma agradar, trazem benefícios à saúde. A alcachofra, por exemplo, é considerada um eficiente auxiliar da digestão. O cálcio, encontrado em larga escala no brócolis tem papel importante na formação e manutenção dos ossos e dentes. A couve-flor apresenta vitaminas A e do complexo B, que ajudam a evitar problemas de pele e do aparelho digestivo, além da queda de cabelos.

Para não perderem nutrientes, devem ser preparadas de preferência no vapor. E, na hora de comprá-las, fique atento a alguns detalhes: a couve-flor deve ter folhas externas em bom estado, talos firmes e brilhantes, ser uniforme e sem intervalos. Prefira os brócolis bem verdinhos. No caso da alcachofra, recomenda-se escolher a que apresentar talo longo, e inflorescência firme e bem arroxeada.

E as espécies de flores ornamentais e comestíveis?

As flores tidas como ornamentais também fazem sucesso na culinária. Muito mais do que a simples função de enfeitar os pratos com suas cores e formas, entram na composição de muitas delícias. Boragos, calêndulas, capuchinhas, cravos, rosas dão um toque a mais a saladas, caldas, doces, pães, bolos, biscoitos, sobremesas e tortas.

Inseridas desde os primórdios na gastronomia oriental, as flores comestíveis estão ganhando cada vez mais espaço nas cozinhas de todo o mundo, principalmente na culinária orgânica natural, que valoriza não só a quantidade de nutrientes, mas também a boa apresentação e a qualidade de seus pratos. Entre os principais usos para flores comestíveis está a retirada de óleos essenciais, que perfumam e proporcionam sabor a diversos outros alimentos.

As flores comestíveis, assim como as raízes comestíveis, são encontradas em diversos tamanhos, sabores e aromas, variando de acordo com a região em que são cultivadas e com os pratos que acompanham. Para as famílias que querem incentivar a alimentação saudável de seus filhos, flores comestíveis também podem ser uma ótima alternativa para conquistar o apetite das crianças, pois além de inusitadas, são muito saborosas.

Quais benefícios de incluir flores comestíveis no cardápio?

As flores comestíveis possuem propriedades únicas, complementam pratos tradicionais e transformam o paladar quando consumidas. A maior parte das espécies possui alta quantidade de nutrientes, bem como carotenoides eóleos essenciais, o que torna seu consumo totalmente indicado para aqueles que buscam uma alimentação equilibrada e saudável.

O hábito de inserir flores no preparo dos alimentos tem origem em uma antiga tradição asiática, mas hoje, mesmo que pouco difundido, já faz parte da culinária ocidental, tornando-se inclusive o toque especial de chefs e nutricionistas que prezam pela qualidade da alimentação.

As flores comestíveis podem acompanhar saladas, sopas, frutas, bolos, pratos frescos, peixes, bebidas, vinhos, doces, conservas e também podem ser consumidas cristalizadas. São práticas e transformam a aparência dos pratos, deixando-os mais sofisticados e perfumados.

O paladar do amor-perfeito, por exemplo, é ligeiramente adocicado. O da capuchinha é picante e lembra o do agrião, enquanto o do dente-de-leão parece com o do mel.

Como utilizar flores ornamentais e comestíveis?

Se ficou com vontade de experimentar, nem pense em colher as plantas do jardim ou do vaso que enfeita a mesa da sala. Podem ter sido contaminadas de alguma maneira ou conter partes venenosas. Devem ser adquiridas em produtores especializados, que as cultivam sem o uso de produtos químicos.

Antes de colocar as flores no prato ou na bebida, é preciso saber quais partes são consumíveis e quais são nocivas à saúde. Muitas flores permitem o consumo de suas pétalas e inflorescência ao mesmo tempo em que podem conter toxinas no caule ou no miolo. Conhecer a flor que deseja consumir é fundamental para evitar indigestão ou o mal-estar após o consumo.

Também é preciso saber preparar a planta após colher. Os chefs de cozinha recomendam colher em horários de clima mais fresco, realizar a retirada das partes desnecessárias, lavar delicadamente com água em temperatura ambiente e deixar secar em toalhas de papel, dessa forma as flores não perdem seu sabor ou aroma e permanecem intactas para o uso.

Lave as flores somente com água de forma delicada, vale até usar um spray, pois são frágeis e machucam com facilidade. Deixe que sequem naturalmente ou aposte em toalhas de papel. Remova os estames e pistilos. Partes brancas, grandes estames e pistilos normalmente são amargos e não devem ser mastigados. O ideal é que sejam consumidas sem cozimento, preservando a aparência e o gosto.

Extremamente frágeis, melhor que sejam compradas, no máximo, um dia antes de ir à mesa. Para evitar que murchem, mantenha-as na caixinha original, guardada na parte baixa da geladeira. Dica: para que mantenham o ar de bem fresquinhas, só adicione as flores à receita na hora de servir.

CONHEÇA ALGUMAS FLORES COMESTÍVEIS:

ALCACHOFRA

Conta com vitaminas do complexo B, potássio, cálcio, fósforo, iodo, sódio, magnésio e ferro. O sabor amargo estimula as secreções digestivas. A flor é considerada um eficiente auxiliar da digestão e a ciarina (substância encontrada na planta) pode melhorar as funções do fígado.

AMOR PERFEITO

A flor Amor Perfeito pode ser utilizada inteira na hora de aromatizar vinagres, bebidas, sopas e até mesmo saladas.Oferece um arco-íris e um sabor levemente adocicado – por isso, é indicada para receitas agridoces ou sobremesas. Mas podem produzir um interessante contraponto nos pratos picantes.

ÁSTER DA CHINA

A Áster da China foi por muito tempo utilizada como flor ornamental, atualmente é inserida em saladas cortadas mais finas, como repolho, pepino e cenoura. Contudo, é necessário retirar o miolo antes do preparo;

BORAGO

As pétalas miúdas, entre o azul-claro e o roxo, apresentam sabor delicado, que não interfere tanto nas receitas. Versátil, enriquece saladas, pratos frios, drinques e sobremesas. Também conhecida como borragem, é uma planta medicinal (Borago officinalis) usada como expectorante e fornece certa dose de vitamina C. Algumas pessoas acham seu sabor semelhante ao do pepino. As folhas são usadas em compressas para suavizar problemas de pele.

BRÓCOLIS

Suas folhas, flores e talos são comestíveis. O vegetal é rico em cálcio (importante para a formação e manutenção dos ossos e dentes) e fonte de vitaminas A e C. Também apresenta ácido fólico (indicado para gestantes), selênio e potássio.

CALÊNDULA DOBRADA

Com um florescimento mais rápido que as demais flores, a Calêndula é muito utilizada em saladas, sobremesas, no arroz, e tende a substituir o açafrão na culinária tradicional. Seu miolo é indigesto e deve ser retirado antes do preparo. Em contrapartida é rica em carotenoides e perfeita para atrair o público infantil

Há muitos anos já era utilizada na alimentação por ser um bom corante para caldas e bolos. Em geral, usa-se apenas a pétala, que pode ser amarela ou alaranjada. Bem aromática, é recomendada para saladas e risotos. Experimente com purê de inhame.

CAPUCHINHA

É a mais comum e fácil de encontrar. Rica em Vitamina C,  apresenta propriedades digestivas,  tem um sabor picante, e ligeiramente amargo, que lembra folhas de agrião,  a Capuchinha é muito utilizada na gastronomia, tendo suas flores e folhas utilizadas principalmente em saladas. Vai do amarelo ao rubi e combina com canapés e saladas.

COUVE-FLOR

Possui quantidade apreciável de sais minerais importantes, como cálcio, fósforo e ferro, que atuam na formação dos ossos, dentes e sangue. Apresenta vitaminas A e do complexo B (B2 e B5), que têm como função evitar problemas de pele e do aparelho digestivo, além da queda de cabelos. Suas folhas verdes são muito eficazes no combate às anemias. Vegetal de fácil digestão, é neutralizante da acidez estomacal e indicado contra a prisão de ventre.

CRAVO

Tem sabor doce, parecido com o da noz-moscada. A flor é sugerida para saladas e guarnições.

DENTE-DE-LEÃO

Com um sabor muito semelhante ao mel, o Dente-de-leão é frequentemente utilizado em doces, sobremesas e pratos sofisticados. Interessante para compor saladas, se for colhida jovem e servida logo em seguida.

FLOR DE ABOBRINHA

Na Itália, costuma ir à mesa empanada em uma massa leve, recheada de mussarela e anchova (ou presunto cru). Supefrágil, raramente chega aos nossos mercados – a saída é encomendar na feira.

 

 

FLOR DE ALHO

Boa pedida para quem busca dar um toque de alho ao sabor da salada ou outra opção gastronômica. As flores do alho comum são brancas e do alho porró, lilases ou arroxeadas.

FLOR DE CEBOLINHA

Opção para dar um toque acebolado à salada ou outro prato.

FLOR DE COENTRO

Lembra as folhas da erva, mas sem tanta potência. Como muita gente tem rejeição ao sabor intenso do coentro, a flor é substituta delicada em receitas de peixe.

 

 

FLOR DE MANJERICÃO

 

 

 

As variedades de manjericão existentes possuem pequenas flores, quais variam de coloração, comumente as vemos nas cores brancas, esverdeadas e roxas. Para que o pé de manjericão possa crescer mais vistoso temos que retirar suas flores, pois elas consomem muita reserva energética da planta. O que muitos não sabem é que, ao fazermos este tipo de poda, podemos utilizar as flores em saladas, salgados e, principalmente, em água de cozimentos, como na do macarrão. Lembrando que seu aroma e sabor são mais intensos que as folhas.

FLOR DE MEL

Os mini buquês brancos têm sabor levemente adocicado, com notas de mel – daí o seu nome. Fica ótima em sobremesas ou em pratos salgados que levam frutas.

HIBISCO

O Hibisco possui seu característico sabor cítrico, perfeito para incrementar bebidas, saladas e xaropes. Por ser ligeiramente ácido, o Hibisco exige um maior controle em relação à quantidade consumida. Além de render gostosas infusões, quentes ou geladas, é matéria-prima de geleias artesanais. Decora pratos, mas suas pétalas grandes não ficam tão delicadas in natura.

LAVANDA

Os tons cítricos da Lavanda são conhecidos em chás e bebidas medicinais, contudo, poucos sabem que a flor também pode ser consumida em biscoitos, bolos, sorvetes e até mesmo no vinho, deixando os pratos muito mais bonitos e elegantes. Pode entrar na composição de muitas delícias da culinária: chás, biscoitos, xaropes, bolos, cheese cakes, sorvetes, geleias, tortas, vinhos, vinagretes.

MALMEQUER

A Malmequer é uma planta muito popular no Brasil e seu consumo é majoritariamente em saladas, personalizando a decoração e oferecendo um aroma diferenciado à composição;

VIOLETA

Para quem pretende utilizar Violetas na culinária, recomenda-se o uso da espécie Viola odorata, ideal para doces, xaropes e bolos.  Entra em receitas e também é usada para decorar pratos. Há doce, chá, bolo e xarope de violeta. Boa pedida para saladas, geleias, manteiga.

MINI ROSA

Inteira, gera desconfiança, pois há quem evite comê-la, temendo espinhos. Mas a rosa comestível é inofensiva, tem perfume intenso e vai bem em saladas e doces. Pode-se usar despetalada para decorar os pratos.

PÉTALAS DE ROSAS
pétalas de rosa vermelhas

As pétalas de rosas são perfeitas para enfeitar bolos, sobremesas, saladas e pratos de verão. Além de perfumadas, conseguem surpreender na aparência do prato final. É muito usada para aromatizar e decorar doces com caldas e, ainda, compor saladas. As pétalas de rosas também são empregadas em xaropes, sorvetes, guarnições, geleias, manteiga.

Podem ser cristalizadas, ficam lindas!

Primavera para mais sabor e cor

O horário de verão está para chegar, os ares da primavera de outubro sopram mornos convidando todo mundo para sair de casa, as caminhadas, os esportes, a alimentação fica mais leve, os pratos têm como requisitos sabores delicados, aromas frescos e cores abundantes.

Saladas, sanduíches, drinks, sucos, massas leves, peixe, frango, verduras e legumes, frutas como maçã, kiwi, manga, abacaxi e ingredientes frescos, do tipo hortelã e menta, compõem molhos e recheios leves e também viram hits da estação.

 

Caipira de frutas e hortelã

Ingredientes

6 cubo(s) de abacaxi, 1 colher de sopa de framboesa ou morango

6 folhas de hortelã

60 ml de destilado e 2 colheres de açúcar ou  adoçante a gosto

Modo de preparo

Num copo alto, para caipirinha, macere todas as frutas. Na sequência, complete com gelo e acrescente o destilado e o açúcar (ou adoçante). Decore com folhas de hortelã e sirva.

 

 

Smootie de morango, abacaxi, gengibre e hortelã

Ingredientes

4 rodelas de abacaxi;

100 ml de água;

1/2 xícara de morangos;

folhas de hortelã a gosto.

1 colher de sopa de gengibre ralado

Modo de preparo

Separe as fatias do abacaxi e leve para bater no liquidificador  com os morangos já limpos, as folhas de hortelã lavadas, o gengibre e a água (de preferência filtrada), acrescente cubos de gelo e bata novamente. Sirva sem adoçar.

 Sanduíche exótico

Ingredientes

1/2 colher de sopa de café solúvel

1 colher de sopa de água

4 colheres de sopa de cream cheese

8 fatias de pão de aveia light

200 g de queijo prato fatiado

200 g de lombo condimentado fatiado

8 folhas de alface romana picadas

1 beterraba média ralada

Modo de preparo

Dissolva o café na água e misture o cream cheese. Espalhe a mistura de cream cheese e café em metade das fatias de pão. Depois, distribua em camadas nas fatias o queijo, o lombo, a alface e a beterraba. Feche os sanduíches com as outras quatro fatias e sirva a seguir.

Sanduíche Ciabata

Ingredientes

1 pão ciabata médio

1 colher de sopa de azeite

4 colheres de sopa de queijo cottage

1 cenoura pequena ralada

1 xícara de chá de folhas de rúcula

100 g de presunto cozido

folhas de manjericão a gosto

8 rodelas de palmito em conserva

Modo de preparo

Corte o pão ao meio no sentido do comprimento. Passe um pouco de azeite nas duas fatias e leve ao forno pré-aquecido a 250ºC por dez minutos aproximadamente.

Enquanto o pão estiver no forno, misture o queijo cottage com a cenoura. Retire o pão do forno, forre com rúcula, cubra com a mistura de queijo com cenoura e coloque as fatias de presunto dobradas ao meio por cima de cada metade do pão. Decore com o manjericão e as rodelas de palmito e sirva.

Molho de Mostarda e Mel

Ingredientes

1 colher (sopa) de mostarda de Dijon

1 colher (sopa) de mel

3 colheres (sopa) de vinagre de vinho tinto

½ xícara (chá) de azeite

1 pitada de sal

pimenta-do-reino em grãos moída na hora a gosto

 Modo de preparo

Num pote de vidro com tampa, junte a mostarda, o mel, o vinagre e o azeite. Tampe e agite bem até formar um molho liso. Prove (veja que algumas mostardas são mais picantes e salgadas que outras), e então tempere com sal e pimenta. Tampe novamente e agite apenas para misturar. Utilize a seguir ou mantenha na geladeira por até 5 dias.

Molho de menta

Ingredientes

1 copo de iogurte natural desnatado

1 maço de hortelã

1 colher de sopa de suco de limão

Modo de Preparo

Bata metade do copo com as folhas de hortelã no processador.

Junte com o resto do iogurte e batendo sem parar, acrescente o suco de limão até que dê consistência.

Sirva gelado em saladas ou acompanha em frutas.

Sugestão: Faça espetinhos de frutas variadas ou legumes crus, como cenoura, pepino tomate cereja e sirva com o molho. É uma excelente pedida em dias quentes.

Insalata Primavera

 Ingredientes (4 porções)

2 xícaras (de chá) de farfalle (macarrão gravatinha)

1 xícara (de chá) de tomate cereja picado

1 xícara (de chá) de pepino picado

1 xícara (de chá) de queijo coalho picado

1/2 xícara (de chá) de azeitona preta e verde sem caroço, picada

1/2 xícara (de chá) de cebola roxa picada

1 xícara (de chá) frango cozido em sal e desfiado

½ xícara (de chá) de peito de chester fatiado e picado

1/2 xícara (de chá) de folhas frescas de manjericão

1 colher (de sobremesa) de gergelim preto

Molho

1/2 xícara (de chá) de azeite de oliva extra virgem

Suco de 1/2 limão

1 colher (de chá) de sal

Modo de Preparo

Cozinhe o macarrão conforme instruções da embalagem, ponto al dente. Escorra e passe pela água fria (para cortar o cozimento), até o macarrão esfriar. Coloque em uma travessa e acrescente todos os ingredientes, exceto os do molho. Misture bem, mas delicadamente. Em um outro recipiente misture os ingredientes do molho e despeje sobre a salada, misture cuidadosamente, tampe e leve à geladeira por mais ou menos 30 minutos.

Sugestão: se gostarem de frutas junto com a salada, basta acrescentar, ½ xícara de chá de maçã vermelha (com a casca) e kiwi (descascado) picados, traz um sabor e colorido tropical para a salada.

Tomates recheados Primavera

 Ingredientes

500 g de camarão

6 tomates grandes

300 g de seleta de legumes (ervilha em conserva, cenoura cozida picada, vagem cozida e picada)

100 g de pimentão verde em cubinhos

Sal e pimenta-do-reino a gosto

azeite de oliva

50 ml de conhaque

150 g de requeijão cremoso

1 dente de alho bem amassado

Tempero verde a gosto

Modo de Preparo

Em uma frigideira coloque um fio de azeite e deixe aquecer bem, coloque o dente de alho e os camarões, refogue até os camarões ficarem rosados. Adicione o conhaque e flambe. Separe alguns camarões maiores para decorar, reserve.

Na mesma frigideira adicione a seleta de legumes já cozida e os pimentões crus, refogue rapidamente, tempere com sal e pimenta. Retire do fogo e deixe esfriar.

Lave bem os tomates e corte a parte de cima formando uma tampa. Com o auxílio de uma colher de café retire a polpa e as sementes. Passe sal e pimenta internamente.

Misture o refogado de legumes com os camarões, adicione cheiro-verde e acerte o sal e a pimenta.

Com o auxílio de uma colher coloque o recheio até a metade do tomate acrescente uma colherada de requeijão e termine de encher com o refogado. Repita o processo com todos os tomates. Tomando cuidado para não romper a tampa do tomate.

Decore com os camarões reservados. Sirva gelado.

Gastronomia Gaúcha na Semana Farroupilha

O estado mais ao sul do Brasil, Rio Grande do Sul,  tem uma gastronomia riquíssima de origem na culinária indígena, portuguesa e espanhola que sofreu influência, ao longo do tempo, das imigrações italiana e alemã, no século XIX. Do estilo de vida campestre, nos Pampas, surge a chamada cozinha de campanha e do lado mais urbano da população, a culinária missioneira.

Os bovinos

O gado bovino foi introduzido no Rio Grande do Sul, na região das Missões Jesuíticas, em 1634, pelo padre Cristóvão de Mendonza, de origem espanhola, mas nascido em Santa Cruz de la Sierra, hoje pertencente a Bolívia, mas que na época pertencia ao Vice Reino do Peru. Eram tão fartos os pastos que esta gadaria criada solta multiplicou-se espontaneamente e modificou os campos e gentes para sempre. Segundo Simões Lopes Netos os índios foram os primeiros a usufruir dos novos animais, o que mudou completamente seu modo de viver: “o índio fez-se carnívoro por necessidade e cavaleiro por imitação”. Saíram então das sombras das matas para os descampados, da agricultura para a pecuária.

Antigamente, o atual território do Rio Grande do Sul era habitado pelos índios, os “guaranis”, que viviam da caça e da pesca. Ocupavam as margens da lagoa dos Patos, o litoral norte e as bacias dos rios Jacuí e Ibicuí incluindo a região noroeste; os “pampeanos”, que ocupavam a região sul e sudoeste e os “jês”, talvez os mais antigos habitantes no lado oriental do rio Uruguai. Como tentativa de retirar os indígenas da mata para poder catequizá-los, os jesuítas introduziram no Estado o gado. Os índios passaram então a tomar conta do rebanho, que era criado solto, e comer sua carne, tendo sempre farta comida a sua disposição e em troca aprendiam com os jesuítas a cultura européia e construíam casas, surgiram assim as missões.

Com a entrada dos tropeiros de São Paulo e Minas Gerais no Sul, os índios foram caçados e levados como escravos e os jesuítas voltaram para a Europa. O gado, como era criado solto, continuou a se reproduzir e se espalhar pelo sul do continente, pois não havia um predador para caçá-lo.

Quando os tropeiros voltaram para o Rio Grande do Sul havia milhares desses animais, o gado selvagem. Começaram, então, a matá-los para lhes extrair o couro cru, que era levado e vendido nos outros Estados. Para conservarem a carne que sobrava e a usarem como alimento em suas longas viagens, os tropeiros começaram a conservá-la rolando-a em sal grosso para desidratá-la surgindo assim o charque.

Um dos pratos mais difundidos e conhecidos é o arroz carreteiro. Fácil de preparar e muito saboroso, ele é composto por pedaços de charque misturados ao arroz, com temperos variados. O nome vem dos carreteiros, transportadores de cargas, que atravessavam o sul do Brasil em carretas puxadas por bois. O arroz com o charque era fácil de preparar por um viajante solitário e a carne salgada conservava a refeição por mais tempo. Hoje, há versões mais incrementadas, com bacon e linguiça calabresa.

Os ovinos

Os ovinos chegaram antes ao pampa, em 1628, também trazidos pelos jesuítas, para procriar e abastecer os povos das Missões. Pelo seu menor porte, fecundidade e rapidez crescimento a ovelha foi naturalmente o animal da subsistência.

E na região da nossa campanha, largos pastos, favoreciam as ovelhas. Carne e, principalmente lã, formaram um ciclo de riqueza. Não havia fazenda que não tivesse ovelhas no pasto, que fornecia a carne de consumo diário. Com um capão, macho castrado, abatido a cada dois dias, o fazendeiro garantia o fornecimento de carne fresca para a família e agregados. Da mesma forma que faziam com o gado bovino, tocava aos peões as carnes com osso. Nos galpões primitivos ou à sombra das árvores os gaúchos aprimoravam o gosto pela carne de ovelha. E até hoje, um gaúcho de boa cepa não dispensa um bom pernil, uma paleta, uma costelinha.

Influências de colonizadores espanhóis, portugueses, e dos imigrantes alemães e italianos!

A influência dos descendentes de espanhóis na área da fronteira e de portugueses no litoral trouxeram um pouco de urbanidade àquele povo dos campos. A região fronteiriça mantém até hoje as marcas da influência castelhana (cozidos, pucheros, “matambres”, assados) e a culinária revela isto claramente. E os hábitos dos portugueses se integraram de tal forma que passam quase despercebidos de sua origem (doces em calda, doces com ovos, uso de grãos cozidos como doces). A grande mudança veio com o século XIX que trouxe os imigrantes, alemães e italianos, por primeiro, e junto vieram novas culturas, novos costumes. Os imigrantes encontram a fartura que procuravam quando vinham de uma Europa com excesso de população e pouca produção de alimentos e atingida periodicamente por revoltas e guerras.

Com esta grande mistura surgiu uma das culinárias mais apetitosas do Brasil, pois então, diz o gaúcho, “te aprochega vivente”, reúne os amigos e aproveita as tradições de uma maneira deliciosa, fazendo os pratos representativos de nossa cultura. Veja as receitas de pratos salgados e doces.

SALGADOS

Matambre recheado 

Ingredientes
1kg de polpa de tomate, 1,5kg de matambre, 3 colheres de óleo, 2 dentes de alho amassados, 2 colheres (sopa) de coentro, 4 colheres (chá) de sal grosso, 1 colher (sopa) de pimenta-do-reino moída, 1 maço de tempero verde, 2 cebolas picadas, 100g de bacon picado, 250g de linguiça defumada, 1 colher de cafezinho de açúcar.

Modo de Preparo

Tempere o matambre com alho, coentro, sal e pimenta-do-reino.
Abra com a parte gordurosa para baixo e espalhe o tempero verde, as cebolas, o bacon e a linguiça.
Enrole a carne como rocambole e amarre com barbante bem grosso. Prenda bem o recheio para não vazar.
Em uma panela de pressão grande, coloque o óleo, 1 colherinha de cafezinho de açúcar , aqueça, coloque a carne e doure dos dois lados. Junte a polpa de tomate, coloque um pouco de água, tampe a panela, e leve ao fogo baixo, deixando cozinhar por 1h ou até ficar bem macia.  Abra a panela, retire o matambre e deixe cozinhar o molho, mexendo até encorpar. Corte o matambre em fatias e sirva com o molho.

Espinhaço de ovelha com mandioca

Ingredientes:2,5kg de carne de ovelha,  2kg de (mandioca), 4 cebolas, 4 tomates, 1 pimenta dedo de moça, sem semente e partida ao meio, 6 dentes de alho esmagados,  3 colheres de sopa de banha ( ou 4 colheres de óleo), alecrim e manjerona a gosto, 2 folhas de louro, tempero verde picado.

Modo de preparo
Corte o aipim(mandioca) em pedaços médios e cozinhe na água até ficar al dente. Não é necessário adicionar sal. Enquanto o aipim (mandioca) ferve, corte o espinhaço de ovelha nas juntas, que podem ser pré-cortadas no açougue para facilitar. Aqueça a panela, coloque a banha ou o óleo e acrescente os dentes de alho. Em seguida, distribua os pedaços da carne na panela. Doure os pedaços dos dois lados. Adicione os temperos a gosto. Acrescente a cebola somente depois que a carne já estiver dourada. Frite e misture. Abra espaço na panela e adicione o tomate. Deixe secar. Coloque água quente até cobrir a carne. Vá acrescentando água conforme necessário até que a carne esteja macia.  Junte o aipim  na mesma panela e mexa delicadamente. Aguarde 15-20 minutos até que fique macio. Adicione tempero verde picado a gosto no final.

Paleta de Ovelha Assada
Ingredientes

1 paleta de cordeiro, suco de 1 limão, sal e pimenta a gosto, alecrim e manjerona a gosto

Modo de preparo

Tempere a paleta com sal e pimenta a gosto, alecrim e manjerona,  em uma assadeira. Acrescente o suco de 1 limão. Leve ao forno por aproximadamente 1 hora.  Sirva acompanhada de arroz ou batatas.

Vaca atolada

Ingredientes

1 kg de mandioca descascada e picada, 4 tomates, 3 cebolas, cheiro verde a vontade

1 kg e 1/2 de costela de boi cozida, 2 xícaras de caldo do cozimento da carne, pimenta e sal a gosto, 1 colher de sopa de colorau, óleo para refogar

Modo de preparo

Refogue a mandioca e deixe cozinhar, quando já estiver macia, acrescente o tomate picado, a cebola, o caldo de costela e deixe cozinhar mais um pouco. Acrescente a costela de boi e o colorau, deixe apurar mais um pouco. Cozinhe por aproximadamente 40 minutos, em fogo médio. Salpique o cheiro verde e a pimenta de sua preferência.

Costelinha de porco com mandioca

Ingredientes

1 kg de costelinha de porco limpa, Suco de 1 limão, Sal e pimenta do reino a gosto, 3 colheres (sopa) de óleo, 1 cebola picada, 2 dentes de alho picados, 1 tomate sem sementes e sem pele, cortado em cubos, 3 xícaras (chá) de caldo de carne, 1 kg de mandioca cozida, limpa, em palitos grossos, Cheiro verde picado a gosto

Modo de preparo

Tempere as costelinhas com o suco de 1 limão, sal e pimenta. Aqueça o óleo e doure as costelinhas. Retire-as da panela e reserve, na mesma panela, refogue a cebola, o alho e o tomate. Devolva as costelinhas à panela e adicione o caldo de carne. Cozinhe por 20 minutos aproximadamente e junte a mandioca, cozinhe por mais 10 minutos, mexa delicadamente e polvilhe com cheiro-verde.

Arroz Carreteiro, Arroz de Carreteiro

Ingredientes

1 quilo de charque (atualmente também utiliza-se carne de gado in natura), 2 colheres de sopa de cheiro verde, 1 cebola picada,2 xícaras de chá de arroz,3 colheres de sopa de azeite, 1 dente de alho picado, sal a gosto.

Arroz de Carreteiro – charque picado

Modo de preparo

Na véspera do efetivo preparo do prato, deixe a carne de molho, para dessalgar. Troque a água pelo menos uma vez e cozinhe até que fique macia e pronta para desfiar. Feito isso, frite a carne em uma panela com azeite. Quando ela já estiver dourada, coloque o alho, a cebola e acrescente o arroz. Ponha a água e deixe cozinhar em fogo baixo. Finalize com o cheiro verde e sirva quente. É uma delícia!

Arroz de Carreteiro – charque desfiado

Paçoca de pinhão com carne assada

1kg de pinhão cozinho, 1kg de carne de gado assada, 250g de lombo de porco assado, 200g de salsichão assado, 100g de bacon, cebola a gosto, alho a gosto. Temperos a gosto (como cebolinha e salsa)

Modo de preparo

Triture o pinhão cozinho ainda quente em um liquidificador, misture  junto com a carne, lombo e o salsichão assados, todos bem picados ou desfiados. Refogue em uma panela com óleo, a cebola, o alho, o bacon e os temperos. Quando começar dourar, junte os ingredientes triturados  e desfiadose deixe fritar até dourar. De preferência a carne deve ser assada (sobra de churrasco), mas também pode ser frita.

Observação: a paçoca de pinhão é um dos pratos típicos gaudérios que fogem um pouco da culinária convencional, mas sem perder a praticidade do preparo. A receita agora modernizada,  originalmente era feita pelos índios do sul que caminhavam longas distâncias e precisavam de energia.

Charque com milho

Ingredientes:

500 g de carne seca, 250 g de batatas médias, 3 espigas de milho verde, 1 tomate, 1 cebola, 1 pimentão, cheiro-verde a gosto, 2 dentes de alho, azeite e sal a gosto

Modo de Preparo

Tire o sal colocando de molho a carne, em água morna, por algumas horas, corte em pedaços pequenos e refogue com o alho, cebola, pimentões e tomates picados. Cozinhe a carne até ficar bem macia. Descasque as batatas e corte em cubos, retire os grãos de milho da espiga. Acrescente à carne, deixando ferver até que cozinhe a batata e o milho, ficando um molho bem encorpado. Desligue e sirva com arroz branco temperado com alho e óleo.

Feijão campeiro

Ingredientes

1 kg de feijão preto, 1 /2kg de charque gordo, 100 gramas de toicinho, 1/2kg de lingüiça fina, 2 folhas de louro, 1 pimentão sem sementes, 1 cebola, 2 dentes de alho, 3 pedaços de osso com tutano (caracu)

Modo de preparar

Deixe dormir de molho em água, o feijão já escolhido e o charque, em recipientes separados. Ponha cozinhar o feijão com água 5 dedos acima. Dê uma refogada leve no charque e na lingüiça, cortados em tabletes e rodelas miúdas. Quando o feijão estiver a meio caminho de cozimento, ponha o charque, a lingüiça, os ossos, o pimentão sem sementes e a folha de louro. Corte bem miúdos a cebola e o alho e frite à parte. Quando o feijão estiver cozido, esmague um pouco os grãos, para engrossar o caldo e junte a cebola, o alho e a gordura em que foram fritas. Salgue a gosto e deixe cozinhar por mais 20 minutos.

Puchero

Ingredientes

3 cebolas em pedaços grandes, 4 dentes de alho picados, 500g de carne de peito bovino sem osso, 500g de carne de peito bovino com osso, 2 batatas médias picadas, 2 batatas doces médias picadas, 1/2 aipim picado,1/2 moranga picada, 1/2 cenoura picada, 2 espigas de milho, 3 chuchus picados, 1/2 repolho picado, 2 maços de couve cortados bem fininho.

Modo de preparo

Num caldeirão com água, coloque a cebola e o alho. Quando começar a ferver, acrescente as carnes cortadas em pedaços, deixando cozinhar por aproximadamente 1h ou até formar um caldo consistente. limpe o caldo, tirando as impurezas com uma escumadeira ou coador.

Adicione aos poucos os vegetais, daqueles que necessitam mais tempo para cozinhar até os que cozinham mais rápido. deixando a couve para o fim. Desligue o fogo quando as verduras e os legumes estiverem cozidos. Sirva bem quente.

Quibebe Gaúcho

Ingredientes:

1 quilo de abóbora, 2 colheres (sopa) de manteiga, açúcar, sal a gosto

Modo de preparo:

Cortar a abóbora em cubos e cozinhar em fogo médio, com água suficiente para cobrir os pedaços. Aguarde cozinhar até desmanchar, adicionando então a manteiga e mexendo bem, para virar um creme. Adicionar o açúcar, o sal e servir quente.

Rabada

Ingredientes

rabada cortada pelas juntas, sem gordura e temperada com: vinho tinto, azeite de oliva, alho, salsinha, pimenta-do-reino e sal, 1 xícara de agrião grosseiramente picado, 4 tomates maduros s/pele e sementes, em cubinhos, cebolinha verde em aneis finos, 50 ml de azeite de oliva, 50 gramas de bacon picado, 2 dentes de alho picado, 1 cebola picada, 1 folha de louro, sal e pimenta, salsinha picada

Modo de preparo

Dourar a rabada no azeite, acrescentar água fervente e a folha de louro e cozinhar até que a carne comece a desprender do osso. Retirar do fogo e reservar. Deixar o caldo esfriar e desengordurar, tirando com uma escumadeira o excesso. Fritar o bacon em um pouco de azeite, acrescentar a cebola e o alho e dourar. Juntar o caldo reservado e cozinhar para apurar. Acrescentar a rabada e o tomate e cozinhar. Temperar com sal, pimenta, salsinha e cebolinha e deixar em fogo brando para apurar e mesclar os sabores. Na hora de servir juntar o agrião e aquecer bem. Servir com arroz branco ou polenta grelhada.

Pastel de Carreira

Ingredientes

Para a massa: 1kg de farinha de trigo, 3 ovos, 2 colheres de manteiga, 1 colher de sopa de fermento, 1/2 colher de sal, 2 colheres de açúcar, 1 colher de sopa de aguardente ( cachaça, segredo para ficar crocante).

Para o recheio: 800g de carne cortada à faca (sobra de churrasco, vazio ou carne de paleta sem osso), 300g de bacon picado bem miudinho, 300g de linguicinha calabresa, 1 cebola de tamanho médio, 1 dente de alho, 1 molho de tempero verde. Óleo para a fritura.

Modo de preparo

Massa: Colocar os ingredientes em uma bacia, e tanto faz a ordem dos produtos,  para fazer a massa o fundamental é ir colocando e misturando bem a farinha. Além dos ingredientes já citados, é possível acrescentar um 1/2 copo de leite e ½  copo de água morna. Sovar bem, estirara a massa, cortar em formato redondo ou quadrado

Recheio: refogar em pouquinho óleo a cebola, o alho, o bacon, a linguicinha e a carne, deixar esfriar.

Rechear e fechar os pastéis e depois, fritar os pastéis em óleo quente até dourar. Escorrer bem para servir sequinhos.

DOCES

Broa de fubá

Igredientes

2 xíc. farinha de milho, 2 xíc. farinha de trigo, 1 xíc.leite, 1 xíc.queijo ralado, 1 ovo, 1/2 colher chá de sal, 1 colher açúcar.

Modo de Preparo

Juntar os ingredientes e amassar bem. Se a massa ficar muito mole, juntar mais farinha de milho. Fazer bolinhas e assar em forno quente.

Canjica Gaudéria

Ingredientes

500g de canjica, 100g de coco ralado grosso, 200g de amendoim torrado ligeiramente triturado, 2 e ½  xícaras de açúcar, 500ml de leite, 2 ramas de canela, 5 unidades de cravo da índia, canela em pó a gosto

Modo de preparo

Cozinhe a canjica com água na panela de pressão, por 20 minutos. Depois de cozida, acrescente o leite, , o cravo, a canela em rama e o açúcar e deixar ferver por 10-15 minutos, mexendo bem para não grudar. Finalize com o amendoim e o coco e polvilhe com canela em pó a gosto.

Arroz de leite

Igredientes

500 gramas de arroz, 1 litro de água, 2 litros de leite, 1 e ½  xícara de açúcar, 2 ovos, cravo-da-índia e canela (a gosto)

Modo de Preparo

Lavar o arroz e depois colocá-lo para cozinhar na água. Enquanto vai esquentando, acrescente 1 litro de leite e, se desejar, cravo-da-índia e canela. Não deixe secar totalmente e coloque o outro litro de leite. Em fogo bem baixo, quando estiver quase cozido o arroz, acrescente uma xícara de açúcar. Quando achar que está no ponto, desligue e bata separadamente duas claras em neve e duas gemas(estas com ½  xícara de açúcar. Depois, mexa a gemada e a clara em neve com o arroz para que ele fique cremoso. Pode servir mormo ou gelado, com canela em pó por cima.

Doce de Abóbora

Ingredientes

1 abóbora de pescoço, de aproximadamente 1 kg, 4 colheres (sopa) de cal virgem, 2 kg de açúcar cristal, 1 litro de água, 1/2 colher (sopa) de cravo-da-índia

1 colher (sopa) de canela em pau

Modo de Preparo

Corte a abóbora em cubos de 3 cm. Coloque-os em uma vasilha de vidro, cubra com água e adicione o cal. Misture bem e deixe de molho de um dia para o outro.

No dia seguinte, lave bem a abóbora até tirar toda a cal. Coloque em uma panela grande com a água. Junte o restante dos ingredientes e cozinhe lentamente por 2 horas ou até os pedaços ficarem macios.

Doce de Banana

Ingredientes

10 bananas-nanicas maduras cortadas em rodelas (1 kg), 2 colheres (sopa) de suco de limão (30 ml), 3 xícaras (chá) de açúcar cristal (570 g), 3 xícaras (chá) de água (300 ml), 1 pedaço pequeno de canela em pau

Modo de Preparo

Em uma tigela, coloque a banana-nanica e misture o suco de limão. Reserve.

Em uma panela, em fogo médio adicione o açúcar cristal com 1 xícara (chá) de água e cozinhe até obter uma calda de caramelo claro. Junte a banana reservada, o restante da água e a canela em pau. Abaixe o fogo e cozinhe, mexendo sempre, por 50 minutos ou até que a banana adquira um tom avermelhado escuro e os pedaços se dissolvam e o doce fique cremoso. Desligue o fogo, retire a canela em pau e sirva frio ou gelado.

Papos de Anjo

Ingredientes

1 colher (chá) de essência de baunilha, 1 colher (chá) de fermento em pó, 24 gemas, 40 forminhas de (empada) de 5 cm de diâmetro e 2 cm de altura, 6 xícaras de açúcar, 4 xícaras de água

Modo de preparo

Primeiro unte as forminhas com manteiga e reserve.

Coloque o açúcar, a água e a baunilha, em uma panela e leve ao fogo alto e cozinhe, mexendo, até dissolver o açúcar. Abaixe o fogo e pare de mexer e deixe ferver até formar uma calda rala (cerca de 20 minutos). Reserve.

Bata as gemas com o fermento em uma batedeira até obter uma mistura cremosa e leve (cerca de 20-30 minutos).

Aqueça o forno em temperatura média. Distribua a mistura de gemas entre as forminhas enchendo até a borda. Asse até dobrarem de volume (não deixe dourar demais). Retire do forno. Desenforme os papos-de-anjo e fure com um palito. Aqueça a calda, coloque os papos de anjo, um a um na calda fervente, deixe cozinhar por cerda de 5-10 minutos. Deixe esfriar e coloque delicadamente numa compoteira. Deixe na geladeira até o momento de servir.

Mogango Caramelado

Ingredientes: um mogango de 1 kg cortado em 10 gomos com casca, 500g de açúcar, suco de 1/2 limão, água para cozimento e para o caramelo.

Modo de Preparo

Cozinhe os gomos de mogango (variedade de moranga/abóbora com a casca verde e rígida) até ficarem macios. Retire-os da água e reserve. Com o açúcar e água suficiente para dissolvê-lo e o suco de limão, faça um caramelo escuro. Derrame esse caramelo sobre o mogango. Sirva frio.

Fontes:

Clássicos da Culinária Gaúcha, por Leon Hernandes Dziekaniak; https://pt.wikipedia.org/wiki/Culinária_do_Rio_Grande_do_Sulhttps://www.estadosecapitaisdobrasil.com › Rio Grande do Su
Livro "Cozinha gaúcha - uma mistura muito bem feita",SENAC RS. 1991.

 

Páscoa, doces costumes, sensacional gastronomia!

A Páscoa está chegando, e aqui vão algumas informações sobre esta que é uma das festas mais sensíveis, uma época cheia de tradições, e em muitos países não se resume apenas em ovos de chocolate e no famoso coelhinho, mas também em liturgias, procissões, almoços e cafés em família, muitos alimentos e pratos culinários, cheios de significados e  tão saborosos que, como num passe de mágica, nos remetem à infância, trazendo as lembranças dos cheiros de pães e bolos assados, chocolates e guloseimas, ninhos e ovos coloridos.

Histórico, Tradição, Símbolos

A Páscoa já existia muito antes de Cristo, na Antiguidade, embora comemorada pelos cristãos como a morte e ressurreição de Jesus Cristo. Para os judeus, a Páscoa (Pessach) lembra a fuga do povo judaico do Egito, além disso, o ovo, presente em muitas das comemorações, era um símbolo da fertilidade para os egípcios.

Nos mais diversos países, embora existam elementos em comuns, as tradições agregam características de cada cultura e região, com simbologias ligadas a essa data. O ovo aparece como representação de fertilidade em alguns países – e nem sempre é de chocolate, muitas vezes é ovo mesmo, pintado com cores extraídas de cascas, folhas, flores e elementos naturais. Outros símbolos conhecidos são o sino, o coelho, o peixe e o cordeiro. Como no hemisfério norte a estação que entra é a primavera, as flores e as cores alegres e claras e em tons pastel estão agregadas na decoração da Páscoa, e no hemisfério sul sendo o outono, as cores que dão o tom (amarelo, laranja, verde e marrom) vem das folhas que caem nesta estação.

Diferentes costumes, mesma Páscoa

A Páscoa é comemorada de diversas formas.

Em muitos países, como Alemanha, Áustria e Suíça, há a tradição de pintar ovos cozidos ou cascas dos ovos que são furadas e esvaziadas, e depois de pintados são colocados em árvores e arranjos. Os ovos de galinha cozidos ainda estão presentes em algumas culturas, principalmente nos Estados Unidos e Bulgária. Mesmo em países onde predominam outras culturas, como é o caso da China, a páscoa também é comemorada.

Há lugares que os ovos são unanimes. Em outros, os doces e pães que têm lugar de destaque. O chocolate parece mesmo ser a comida mais importante da Páscoa em todo lugar, até em países de maioria muçulmana, como a Malásia.

Fugindo do pensamento comum, o coelho não é um símbolo universal e inquestionável da Páscoa. Ele não tem lugar na França, onde quem reina é o peixe – chamado “Poisson d’Avril” (Peixe de Abril), sendo o coelho praticamente persona non grata na Austrália.

Já na França comida típica é o “Gâteau de Pâques” um bolo assado em formato de cordeiro. Na Bélgica e França os sinos não são tocados entre a Sexta-feira da Paixão e só voltam a tocar no Domingo de Páscoa por causa de uma lenda que diz que eles voam até Roma e quando voltam deixam cair ovos para todos. E na Suécia, as crianças comemoram a data como se fosse o Halloween, saindo para buscar doces. No Brasil, é comum presentear os amigos e os familiares com ovos de chocolate.

Como é a Páscoa em vários paísesAlemanha

Na Alemanha, assim como aqui no Brasil, é costume que as pessoas presenteiem os amigos e familiares com ovos de chocolate, mas na tradição germânica, a festa cristã dá lugar para a celebração dedicada a Ostara, deusa da primavera. A data é marcada por fogueiras e festivais.

No sul do país, é celebrada a tradicional “Alemannische Fasnet”, que é considerada a quinta estação do ano para os alemães. O período começa no dia 11 de novembro e termina na quarta-feira de cinzas. Em alguns lugares, as árvores das cidades são enfeitadas com ovos coloridos.

 

Argentina

Assim como no Brasil, os argentinos não comem carne na Sexta-Feira Santa. Mas, para eles, a restrição começa antes, na Quinta-Feira. Na Argentina são celebradas missas nos quatro dias da Semana Santa e realizadas atividades religiosas como a encenação da Paixão de Cristo. Na cidade de Tandil são feitas peregrinações ao Monte Calvário.

Armênia

Na Armênia durante a Quaresma é comum colocar vários tipos de grãos em um tabuleiro com algodão (como as crianças fazem com feijão no Brasil). Na Páscoa, os brotos servem para decorar a mesa da festa. Além disso, há a tradição de decorar cascas de ovos com figuras cristãs.

Austrália

Na Austrália, coelhos são vistos como uma praga, porque sua superpopulação está prejudicando o meio ambiente do país. Por isso, foi feita uma campanha para promover a símbolo da Páscoa o bilby, um marsupial em extinção, que parece um coelho e passou a ser um dos principais símbolos desta época. Mesmo assim, as crianças costumam usar gorros e chapéus com orelhas de coelho. 

 

Austria

Os sinos das igrejas não podem tocar entre a quinta-feira e a missa do domingo de Páscoa. Segundo a lenda, os sinos voam até Roma nesse período. No lugar dos sinos, coroinhas tocam uma espécie de chocalho de madeira enquanto entoam orações e cânticos. Além disso, o país tem a tradição de pintar ovos cozidos ou cascas dos ovos que são amarrados em árvores e arbustos. Os austríacos ainda fazem uma decoração especial: amarram plantas em volta dos ovos e colocam para cozinhar. Depois do cozimento, as plantas são retiradas, deixando desenhos nos ovos. Em algumas regiões da Áustria, ovos verdes são dados na Maundy Thursday (Quinta-feira Sagrada).

Bélgica

Assim como na França, na Bélgica os sinos das igrejas não tocam entre a Sexta-Feira da Paixão e o Domingo de Páscoa. Diz uma lenda local que os sinos voam para Roma até a Páscoa e quando voltam deixam cair ovos para todo mundo encontrar, mas para facilitar, as crianças belgas fazem ninhos de palha para estes ovos.

Bulgária
Uma das tradições na Bulgária é o costume de colorir ovos cozidos após a missa na Quinta-feira Santa. Eles também fazem pães pascais chamados kolache ou kozunak, que têm sabor semelhante ao do panetone. O pão é decorado com número ímpar de ovos coloridos e levado à igreja na madrugada de sábado. Os pães e ovos são abençoados e dados aos amigos e familiares. Após o almoço de Páscoa, cada pessoa da família pega um ovo e bate nos ovos dos outros. Acredita-se que quem ficar com o ovo inteiro, por último, terá um ano de sorte.

Canadá

No Canadá as brincadeiras de caça aos ovos envolvem bairros inteiros. Em algumas cidades, assim como no Brasil, os pais escondem doces ou chocolates pela casa para as crianças procurarem. O Carnaval de Inverno do Quebec é um dos pontos altos das celebrações da época.

China

Na China o “Ching-Ming” é uma festividade que ocorre na mesma época da Páscoa, onde são visitados os túmulos dos ancestrais e feitas oferendas de refeições e doces. O objetivo é deixar os ancestrais satisfeitos com seus descendentes.

Dinamarca

Na Quinta-feira Santa, ou na véspera da Páscoa na Dinamarca as crianças disfarçam-se de bruxos e visitam seus vizinhos e esperando receber, em troca doce ou dinheiro. Além disso, ovos cozidos são decorados e usados numa competição que consiste em rolar os ovos por uma colina abaixo: vence aquele que conseguir que o seu ovo chegue mais longe e mais inteiro.

Eslovênia

Na Eslovênia muitas pessoas decoram os ovos com enfeites de ouro e prata e presenteiam amigos e parentes.

Espanha

Na Espanha a celebração de Páscoa é essencialmente religiosa. Não há o hábito de trocar ovos de chocolate, mas as pessoas se reúnem para comer uma espécie de colomba com chocolate quente bem cremoso. Alguns hábitos são semelhantes aos brasileiros, como a ausência de carne.

Há ainda doces típicos da data, como um tipo de rabanada,

a torrija(consumida em todo o país) e o Osso de Santo (que faz parte das celebrações de algumas regiões).

Na Espanha, normalmente a Semana Santa inteira é considerada feriado e durante esse período ocorrem inúmeras celebrações por todo o país. As procissões em algumas cidades da Espanha são quase tão importantes quanto o Carnaval para o Rio de Janeiro. As pessoas se fantasiam de Romano, de Jesus e de Apóstolos e carregam pelas ruas a cruz de Jesus.

Assim como no Brasil, alguns espanhóis se reúnem no Sábado de Aleluia para malhar ou queimar o boneco que representa Judas.

O ritual de Semana Santa celebrado na Andaluzia pode parecer assustador, com procissões nas ruas com pessoas usando capuzes sinistros e carregando tochas. Mas esta tradição do sul da Espanha é uma das maiores comemorações religiosas de cidades como Sevilha, Málaga e Granada.

Estados Unidos

Nos Estados Unidos o mais tradicional ainda é a “caça ao ovo”, onde ovos cozidos, decorados com tintas,  ou ovos de chocolate,  são escondidos pelo quintal ou pela casa para serem descobertos pelas crianças na manhã de Páscoa. Em algumas cidades a “caça ao ovo” é um evento da comunidade e é usada uma praça pública para esconder os ovinhos.

Etiópia

A celebração da Páscoa na Etiópia começa na Quaresma, quando os católicos mais fervorosos deixam de consumir qualquer produto de origem animal, ou seja, além da carne, evitam o leite, a manteiga, ovos, queijo e o iogurte. No domingo de Ramos ocorre um bonito festival — chamado Fasika —, durante o qual os etíopes se vestem de branco e usam enfeites nas cabeças e anéis feitos com as folhas das palmeiras. A comida tradicional de Páscoa é o ensopado de carneiro ou cordeiro com uma espécie de panqueca, assim como um pão azedo chamado “Dabô”.

França

Na França não são os coelhinhos que trazem os ovos de chocolate, mas os sinos que volta da viagem a Roma com muitos doces para as crianças, além disso, há um desfile de chapéus.

E o peixe é um símbolo que encontramos até em confeitarias, lindos e de chocolate!

A refeição tradicional do domingo ou da segunda-feira de Páscoa é o carneiro (preparado com vegetais da primavera) que é um dos símbolos da Páscoa na França.

Grécia

Na Sexta-feira Santa na Grécia é comum que algumas igrejas ortodoxas montem uma espécie de túmulo no centro dos templos, que são visitados como se fosse um funeral. Além disso, também ocorrem procissões. Os gregos utilizam ovos pintados de vermelho para representar o sangue de Cristo, que são quebrados depois que a ressurreição é anunciada.
A comida tradicional de Páscoa na Grécia é o carneiro assado, e há quem ainda siga o costume de tomar uma sopa feita com o estômago do animal no domingo pela manhã.

Hungria

Na segunda-feira de Páscoa na Hungria as mulheres húngaras são molhadas pelos rapazes com perfume ou água perfumada e retribuem a “bênção” com um beijo e um ovo vermelho.

 

Índia

Na Índia, a Quaresma é vista como uma época de sacrifícios, nos muitos lares cristãos do país. As famílias economizam durante todo esse período, pondo dinheiro numa caixa de oferendas em casa, e doam o dinheiro na Páscoa.

Nas cidades da Índia onde hindu é praticado, em vez da páscoa, como conhecemos, é comemorado o Festival Holi. A data é marcada para relembrar o nascimento do deus Krishna. As pessoas se reúnem para dançar, tocar flautas e se deliciar com verdadeiros banquetes com comida e pratos típicos.

Outra marca da festa é a presença dos elefantes que recebem pinturas especiais pelo corpo e as pessoas atiram pó colorido umas nas outras.

Inglaterra

Na Inglaterra as pessoas celebram o feriado de páscoa de diferentes maneiras. A mais comum é procurar ovos de chocolate em jardins e praças públicas. Outra opção são as mansões rurais espalhadas por todo o país, onde alguns organizadores locais preparam uma verdadeira festa para passar o dia.

Em Londres, docerias e casas de chocolate promovem diferentes eventos, assim como outros lugares públicos, onde a celebração conta com shows de marionetes, mágicos e bandas.

Assim como aqui no Brasil, na Inglaterra também existe o costume de se presentear ovos de chocolate.  Outra tradição é a Rainha distribuir moedas especiais para a ocasião diante da Abadia de Westminster, em Londres. Esse festejo ocorre a cada dois anos, e normalmente os objetos distribuídos se tornam peças de colecionador.

Assim como na Irlanda, a Inglaterra tem o bolo de Páscoa, o Simnel,  como tradição desde a Idade Média. É feito com frutas secas e 11 bolas de marzipã no topo, que simbolizam os apóstolos de Jesus, exceto Judas.

Em algumas zonas da Inglaterra, por exemplo, é comum dançar-se a Dança Morris, no Domingo de Páscoa, para espantar os espíritos do inverno. Na Grã-Bretanha, as crianças costumam usar gorros e chapéus com orelhas de coelho. As britânicas também enfeitam os acessórios com flores, para marcar a chegada da primavera.

Itália

A Páscoa na Itália dura até a segunda-feira, o feriado é chamado de pasquetta ou pasquela. Em Roma, cerimônias, procissões e a missa festiva são celebradas no Vaticano. Nápoles, no sul da Itália, é conhecida por ter criado a conhecida Pastiera di Grano. A torta à base de trigo, ricota açúcar e ovos, confeccionada seguindo tradições ancestrais é tradicional, além das procissões e festejos do domingo da Páscoa.

Dentre as muitas lendas sobre a origem da Colomba Pasquale, uma delas diz que o bolo em forma de pomba, simbolizando a paz, impediu a invasão da cidade de Pavía (Lombardia), no norte da Itália.

México

No México, os chocolates e o coelho da Páscoa só fazem parte da rotina das classes mais altas, mas em geral os mexicanos não comem carne na Sexta-Feira Santa, só que diferentemente do Brasil, no México não comer carne é seguido em todas as sextas-feiras da Quaresma. No país, a encenação da Paixão de Cristo é o símbolo das comemorações de Páscoa.

Além disso, no México ao meio dia do Domingo de Páscoa, os bonecos que representam Judas – o apóstolo que traiu Jesus – são espancados, enforcados e queimados. Em algumas cidades, Judas é representado por uma piñata – um jarro cheio de doces – que as crianças devem tentar destruir, para comer os doces.

 

Polônia

No Domingo de Páscoa é comum à mesa possuir um cordeiro talhado em manteiga, usado como ornamento, que pode ser comprado em lojas ou feito em casa. Na missa de domingo, cada família leva uma cesta com ovos cozidos e outros alimentos para ser abençoada. Depois, todos se reúnem para tomar o simbólico café da manhã. Há também troca de ovos de galinha decorados. Esses objetos, chamados de pisanki, são talismãs de boa sorte e simbolizam amor, fertilidade e fortuna. O bolo típico e muito saboroso é o o Mazurek, um bolo de folha fina, com parte inferior feita de pastelaria e seguido de uma segunda camada de massa. O conjunto é então coberto por geleia e chocolate.

Outra tradição na Polônia é chamada de “Dyngus”, ou “Smingus Dyngus”, onde os rapazes devem molhar as moças com perfume ou água perfumada, como simbolismo de purificação.

Portugal

Na Páscoa de Portugal não falta bacalhau, que não é o único prato nas comemorações da Semana Santa. Além das amêndoas e do chocolate, há também o Folar.

Segundo uma lenda portuguesa, o sonho de uma jovem aldeã chamada Mariana era se casar. Após pedir à Santa Catarina, surgiram dois pretendentes: um lavrador pobre e um fidalgo rico. No Dia de Ramos, os dois envolveram-se em uma luta e o lavrador foi escolhido por Mariana. Mas a jovem ficou com medo de que o fidalgo matasse o noivo no dia do casamento e recorreu novamente à Santa, que lhe sorriu. Agradecida, a jovem lhe ofereceu flores. Quando chegou em casa, Mariana encontrou um bolo com ovos inteiros ao lado das flores que havia oferecido à Santa Catarina. Como o mesmo aconteceu com os dois pretendentes, o bolo tornou-se símbolo da celebração da reconciliação e da amizade. Por esta razão, no Domingo de Ramos os portugueses oferecem a seus padrinhos um ramo de flores e recebem, em troca, o Folar.

Romênia

Em algumas regiões da Romênia, na segunda-feira após a Páscoa, os rapazes, carregam baldes de água, vão de casa em casa procurar moças solteiras: se estas estiverem prontas para dormir, eles atiram água. Acredita-se que, com isto, as donzelas se casarão em breve. Em troca, elas oferecem belos ovos decorados ou o bolo tradicional da época, o “Pasca”.

Rússia

Para começar, a Páscoa é chamada na Rússia de Paskha (Пасха). Ela também é comemorada em um domingo. Mas, como a igreja ortodoxa usa um calendário diferente (elaborado pelo imperador Romano Júlio Cesar) as datas muitas vezes não coincidem com o seu correspondente católico.

A celebração da Páscoa na Rússia começa no Sábado de Aleluia a noite, quando os fiéis vão à igreja e, a meia-noite, caminham em volta das igrejas segurando velas a cantando hinos, até que o Padre bata na porta da igreja três vezes, convidando os fiéis a entrarem para celebrar a Ressurreição de Cristo. Depois da bênção da sua comida, levada em cestos de Páscoa à igreja, os fiéis voltam a casa para celebrarem com as famílias e fazem uma grande festa em que são servidas as comidas abençoadas na Igreja.

A tradição dos ovos coloridos também é forte na Rússia. Mas lá, ao dar o ovo para outra pessoa, se diz “Khristos Voskrés” (Cristo levantou, ressuscitou). Já quem recebe o presente deve responder “Voístinu Voskrés” (Levantou/Ressuscitou realmente). Esta tradição remonta aos tempos antigos, quando Maria Madalena trouxe um ovo ao Imperador Tiberius, dizendo “Cristo levantou”.

Entre os presentes distribuídos na Páscoa, estão ovos coloridos com desenhos ou simplesmente decorados com cores brilhantes. Uma das tradições mais conhecidas da Rússia e de países do Leste Europeu nesse período é a de pintar ovos de galinha ou codorna. Eles podem ser coloridos de forma natural (deixando-os ferver em uma panela com casca de cebola) ou artificial (usando corantes na água em vez da já citada cebola). Usando cebola, o ovo fica com uma coloração marrom. Existem diversos corantes para fazer os ovos de muitos tons diferentes. Algumas pessoas também pintam os ovos usando pincéis pequenos, fazem verdadeiras obras de arte com eles. Dizem que este costume que começou quando, em 1884, o Tsar Aleksandr III pediu a Karl Fabergé, joalheiro e artista da Corte, que fizesse um ovo especial para ele oferecer à Tsarina. 

Colorir e decorar ovos é um costume também bastante antigo praticado no Oriente. Nos países da Europa de Leste, os ortodoxos tornaram-se grandes especialistas em transformar ovos em obras de arte. Da Rússia à Grécia, os ortodoxos costumam pintar os ovos de vermelho.

Já ovos de chocolate  não  são relacionados com a Páscoa. Para os russos, eles são somente ovos de chocolate, que podem ser comprados durante o ano inteiro. Chocolate em si também não tem nada a ver com a Páscoa para os russos. Ele nem era conhecido na Europa e Ásia nos tempos de Jesus. E como a igreja ortodoxa gosta de guardar as tradições, não introduziram essa novidade.

Na semana antes da Páscoa (Paskha em russo), as pessoas trazem galhos de salgueiro para casa (“Verba”), tocando com eles uns nos outros para dar sorte.

A comida tradicional da Paskha russa é um pão de amêndoas e frutas cristalizadas chamado Kulich (muito semelhante ao panetone), que é sempre servido com um patê de queijo adocicado, também chamado de Paskha.

A Kulich é, geralmente, muito bem decorada, com muitas cores, como gostam os russos. O mais comum é o uso do glacê de açúcar branco, o fondant, sobre o qual se aplicam os mais diversos enfeites (confeitos coloridos, bichinhos e flores de marzipam, frutas cristalizadas e secas, balas de goma). É habitualmente servida com uma espécie patê doce de queijo, chamado de Paskha, que é passado sobre o pão como se fosse manteiga.

A Paskha (também grafado пасха, paska, pasca e pascha) é moldada em forma de pirâmide, sobre a qual, muitas vezes, escreve-se em cirílico, as letras e XB (Khristos Voskrés). É uma iguaria da tradição da Igreja Ortodoxa, preparada em vários países do Leste Europeu.

Mas estas são  apenas duas estrelas na noite.  Na mesa da Páscoa russa, também haverá sempre um presunto ou um leitão assados, dando início à comilança depois de 40 dias de jejum, tradicionalmente sem produtos de origem animal, no mais puro estilo vegano.

Suécia

Na Suécia, os rituais tradicionais desta época são diferentes, incluindo o Domingo de Ramos, que marca a entrada triunfal de Jesus em Jerusalém, recebido com ramos de palmeiras. Existe a superstição de que as bruxas ficam especialmente poderosas nesta semana. Numa terça-feira, elas voam em suas vassouras para se juntar ao demônio num lugar chamado “Blakulla”, retornando no sábado seguinte. Na manhã de Páscoa, as pessoas temem acender suas lareiras, porque as bruxas de Páscoa podem ter deixado algum feitiço sobre as chaminés, a caminho de Blakulla. Para se assegurarem de que estão livres de feitiços, queimam nove tipos diferentes de árvores antigas.

Para que as vassouras das bruxas voem, são molhadas com uma poção secreta, segundo a lenda, e elas se reúnem nas torres das igrejas para seguirem juntas até Blakulla. Aproveitam para raspar algum metal dos sinos, pois este seria usado nessa poção. Assim, é prova de coragem entre os rapazes passar num campanário a noite anterior à Páscoa, sem fazer qualquer movimento, pois se forem descobertos pelas bruxas tornam-se instantaneamente calvos. Também são comuns cruzes e outros símbolos sacros nas portas, tiros para o céu e outras práticas anti-bruxas.

Crianças suecas costumam se vestir de bruxas (como no Dia das Bruxas dos Estados Unidos), levando cartas ou pequenos cartões decorados (Easter letters). Na área ocidental do país, os cartões são colocados nas caixas de correio ou sob as portas, mantendo-se secreta a identidade de quem os envia. Na tarde antes da Páscoa, costumam comer ovos de Páscoa, que são cozidos e em muitos casos decorados, mas as estampas são mais simples e irreverentes, diferindo um pouco das usadas em outros países da Europa.

 

Suíça

Na Suíça, não poderia faltar chocolate nas comemorações de Páscoa. Os coelhos de chocolate são escondidos dentro de casa e as crianças devem procurá-los. A segunda-feira após o Domingo de Páscoa, também é feriado por lá. Além disso, seguem a tradição europeia de pintar ovos de galinha. Em Berna, a tradição chama “Eiertütscha” e reúne no domingo de Páscoa na Praça Kornhausplatz, adultos e crianças para a disputa dos ovos.

Ucrânia

Na Ucrânia a tradição mais forte é a decoração de ovos coloridos para presentear amigos e parentes. A tradição diz que, se as crianças forem bem comportadas, e deixarem um boné de tecido num lugar escondido na noite anterior ao domingo de Páscoa, o coelho deixará doces e ovos coloridos nesses “ninhos”.

Uruguai

No Uruguai, as comemorações da Semana Santa começam no Domingo de Ramos, uma semana antes da Páscoa. Na Quinta-Feira Santa, os uruguaios comemoram refazendo a Via Crucis. Na Sexta-Feira Santa, dia de luto pela morte de Jesus, não há festejos, mas como no Brasil, não se come carne. Já o Domingo é dia de festa com muitos ovos de chocolate.

Seja onde for, que a época de  Páscoa nos proporcione renovação e convivência, com seus costumes,  suas cores, sabores e tradições! Boa Páscoa!

Tendências na Gastronomia 2018

Aproximando-se o final de 2017, vamos fazer uma avaliação do que já postamos aqui no Colher de Pau no ano passado sobre as influências gastronômicas para este ano e também uma previsão do que teremos como tendências para 2018, quais os hábitos de gastronomia e alimentação, já que importamos muitas coisas que são vanguarda em outros países, e agora também exportamos produtos nossos, brasileiros, como o açaí, que está caindo no gosto de consumidores europeus. As novidades chegam cada vez mais rápido ao mercado brasileiro, é fundamental estar atento!

As informações chegam até nós, consumidores brasileiros, de fontes reconhecidas no mercado mundial de alimentos, são elas:

em Londres,  a IFE – The International Food & Drink Event, é uma feira bianual, que nesta edição de 2017, apresentou as  17 principais tendências do mercado de foodservice europeu para o Biênio 2017/2018;

em Nova York, a  Summer Fancy Food Show, feira que acontece anualmente, é a maior feira de alimentos e bebidas especiais da América do Norte, tendo como objetivo unir produtores, distribuidores e importadores de diversos países do chamado “fancy food sector”, é uma das principais portas de entrada para o mercado norte-americano de alimentos gourmet, regionais, orgânicos e naturais;

e a rede norte-americana Whole Foods Market, templo da alimentação saudável, que divulga e lista as tendências em nutrição para o próximo ano de 2018. Ela apresenta produtos que podem estar nas prateleiras dos supermercados e na mesa dos restaurantes brasileiros nos próximos meses.

Continue nos lendo/acompanhando e conheça as tendências de consumo em gastronomia para 2018!

Os artigos produzidos pelos organizadores da IFE, nos apontam que há dezessete tendências de comportamento na gastronomia que dão origem a mais de cem sub-tendências. Listamos abaixo:

Ageing (maturação): Carne maturada é algo conhecido. A mesma técnica passa a ser aplicada para frangos, peixe e mesmo manteiga.

American Tropics: Cores fortes, motivos florais e sabores marcantes tem sido utilizados pelos chefs para diferenciar seus estilos. Sabores das ilhas do Pacífico, ‘tiki’ havaiano e uma nova onda de sanduiches cubanos e mexicanos, além de “Jamaican Jerk” (carne seca com especiarias – inicialmente bovina, mas agora aplicada a aves e pescados também).

Carbs are Back: (a volta dos carboidratos): Inovações nas massas e pães estão trazendo estes dois produtos de volta para a mesa.

Chili knowledge: grande paixão por comidas extremamente apimentadas.

Craft spirits(bebidas artesanais): Já aconteceu com as cervejas, mas agora também as bebidas destiladas estão experimentando um boom. Como em outras áreas da gastronomia , os consumidores estão exigindo bebidas que sejam mais autênticas e menos industriais. Bebidas artesanais também são mais facilmente consumidas sem a associação típica do álcool com os seus efeitos colaterais e com sua conotação negativa.

Dude Food 2.0 (comida gordurosa, pesada, com muita carne): este tipo de comida tem sofrido uma modificação importante. Mantem suas características principais de ser uma comida farta, mas vem ganhando cada vez mais vegetais e legumes.

Eating at home: Você pode ter tudo que seu coração deseja com mínimo esforço no conforto da sua casa com a enorme variedade de serviços de delivery de refeições personalizadas. Delivery continua em crescimento.

Faux Food: (comida imaginária) Nada é o que parece ser! Os chefes estão cada vez mais desbravando as fronteiras da comida que parece ser uma coisa, mas é outra. Isto é feito através de imitações criativas de carnes que confundem os sentidos.

Foodie Chefs at Home: a chegada de equipamentos de cozinha de alta tecnologia e acessíveis e a proliferação de programas de culinária na TV alavancou o interesse por cozinhar em casa, o que possibilita o acesso a pratos com qualidade profissional, se você tiver um pouco de prática.

Gut health (saúde do intestino): Cada vez mais a saúde dos seus intestinos é reconhecida como fundamental para a manutenção da sua saúde em geral, o que significa que muitos consumidores estão prestando atenção ao que comem. Este interesse tem aumentado o consumo de probióticos, comida fermentada e enzimas digestivas (da mesma forma que é crescente a aversão a produtos que podem irritar o intestino).

Nootropics: Esta é a última palavra no campo da gastronomia funcional, cultivada por consumidores que querem melhorar sua aparência e sua saúde. Este tipo de comida promete tornar as pessoas mais inteligentes – ou, pelo menos, proteger e aprimorar suas funções cerebrais. Tem grande aceitação entre os executivos do Vale do Silício e entre as pessoas preocupadas com os efeitos degenerativos da idade.

Second Life Re-Cycled: Ampliação da utilização de alimentos anteriormente desperdiçados para a criação de novos produtos.

Spotlight on Minerals (foco nos minerais): em geral as vitaminas ganham todo o destaque, mas os minerais estão crescendo em importância. Nosso estilo de vida é cheio de tensões e stress, o que acaba reduzindo o nível de minerais necessário à manutenção de uma boa saúde.

Striking Colour Palette: tendência crescente de alterar a cor de alimentos tradicionais através do uso de corantes naturais e artificiais.

The Sober Scene: Não é preciso beber muito para beber bem e ter uma noite agradável. Cada vez mais as pessoas dispensam bebidas alcoólicas, o que abriu caminho para o surgimento de coquetéis sem álcool. Os barmens usam as mesmas técnicas complexas para criar estes novos coquetéis, que não tem os efeitos colaterais do álcool.

Vegan: Chega de comidas chatas e estranhas. A culinária vegana está na moda. Certamente não há nada de chato nas novas tendências das opções veganas.

Warm Spice and Sweet Heat: Gosto por comidas picantes, há um a preferência crescente por algo mais equilibrado e sutil. Gengibre, pimenta, raiz forte, açafrão, wasabi e chilli estão ganhando importância e equilibrando“heat” (potência) com doçura.

CONSERVE ESSES HÁBITOS

Daquilo que tratamos para o início de 2017, continua em alta:

Aproveitamento total de ingredientes

As tendências da reciclagem e da sustentabilidade já fazem parte de muitos aspectos das nossas vidas — como a decoração de interiores, que, muitas vezes, transforma coisas velhas em novos objetos para decorar casas e apartamentos. E, nessa linha, chegou agora a gastronomia sustentável.

Se, até pouco tempo, reutilizar ingredientes era uma coisa mal vista e parecia impossível aproveitar todas as partes dos alimentos, Hoje, inúmeros pratos podem ser feitos com talos e cascas de vegetais, por exemplo. Até sobras de preparos anteriores podem ser reutilizadas para fazer novas delícias, como os sempre gostosos arancinos (é um produto tradicional da culinária da ilha da Sicília, na Itália, trata-se de um bolinho, ou pastel de arroz frito, com um diâmetro entre 8 e 10 cm, recheado com um molho de carne picada).

A ordem do momento é não desperdiçar! Assim, além de estimular a criatividade na cozinha, a gastronomia sustentável faz bem para o meio ambiente e para a saúde. Afinal, aproveitar a totalidade dos alimentos só contribui para a absorção mais completa dos nutrientes. No caso das frutas, por exemplo, já é sabido que a maior parte do seu valor nutricional está na casca.

Bebidas artesanais

Essa tendência surgiu com as cervejas artesanais, um mercado que se expandiu rapidamente no Brasil, angariando muitos adeptos e mesmo fãs. Tanto que, hoje, o consumo de bebidas artesanais está até nos destilados e em bebidas sem álcool.

A realidade é que cada vez mais as pessoas procuram alimentos e bebidas mais autênticas e menos artificiais. Afinal, elas possuem muito mais sabor e mais possibilidades de harmonização com a comida. Logo, investir nisso é uma excelente opção para acompanhar o cardápio de pratos do seu restaurante!

Bowls saudáveis

A opção por uma alimentação saudável não é, necessariamente, uma tendência nova, já que muitas pessoas têm tido essa preocupação com a adoção de hábitos mais saudáveis nos últimos anos, começando pelos alimentos que ingerem.

São inúmeras as opções de refeições que podem ser montadas nas tigelas, os bowls (tigelas, em português) saudáveis, e, se feitas com acompanhamento de um nutricionista, elas podem conter todos os nutrientes necessários, tornando-se uma refeição completa.

Além de elas serem super saudáveis, outra das vantagens dos bowls é a sua combinação harmoniosa, que cativa também pela aparência. São tigelas com um grande potencial fotográfico — a típica comida que nos faz “comer com os olhos”.

Os bowls estão tão em alta que já há derivações, ou seja, diferentes maneiras de você montar o seu bowl saudável. Veja alguns exemplos:

buddha bowl: uma tigela colorida e muito nutritiva, a buddha bowl combina verduras, grãos e sementes, finalizada com um molho também nutritivo, como tahine, de limão ou iogurte;

smoothie bowl: como o próprio nome diz, esse bowl é feito com uma vitamina. A base são bananas congeladas, que dão uma consistência mais cremosa, para se comer com colher. Por isso, é uma vitamina na tigela, e não em um copo;

bowl de lanche: é possível também preparar bowls com lanchinhos saudáveis para aproveitar ao longo do dia, nos intervalos das refeições, como um mix de sementes oleaginosas com iogurte, por exemplo.

Enfim, os bowls saudáveis são uma ótima opção para quem utiliza marmitas, e também uma tendência para os restaurantes!

Comidas veganas

Os veganos são pessoas que não consomem, na medida do possível e praticável, nenhum produto de origem animal ou que tenha sido testado em animais. Assim, a alimentação vegana bane do cardápio, além da carne, ovos, leite e derivados e qualquer outro alimento que tenha origem animal, como o mel.

De fato, o veganismo não para de crescer mundo afora. Pesquisas indicam que ele cresce 40% ao ano no Brasil, e estima-se que já são quase 5 milhões de adeptos desse movimento em nosso país. Não é à toa que, recentemente, foi inaugurado em São Paulo o primeiro açougue vegano do Brasil!

E, como investe bastante nos temperos e na diversidade de pratos que se pode fazer com um único ingrediente, a alimentação vegana acaba atraindo também os não veganos. Com sabores bem marcantes e alimentos bem temperados, esses pratos agradam a qualquer um.

Diante de tantos adeptos, é importante que os restaurantes estejam atentos a esse público, já que, com uma alimentação restrita, eles estão sempre buscando novas opções que possam atendê-los.

Um bom restaurante vegano costuma ter clientes fiéis. Por outro lado, as marcas e restaurantes que não têm nenhuma opção vegana em seu cardápio precisam repensar seus modelos de negócio e começar a atender também às necessidades desse nicho.

Cozimento a vácuo

Seguindo a mesma filosofia que foi sucesso no ano passado, a do slow (slow food e slow cook), agora vemos despontar a tendência de cozinhar a vácuo.

Se, antes, para um cozimento mais lento, utilizava-se principalmente a crock-pot — a panela elétrica apropriada para slow cook —, hoje o método a vácuo utiliza de um saco plástico, onde o alimento é selado a vácuo e cozido por um longo tempo, em uma temperatura mais baixa do que se utiliza nos métodos tradicionais de preparo.

Um dos principais benefícios de adotar essa tendência é que o alimento conserva muito melhor o seu sabor e a sua textura. Assim, é mais saboroso do que quando se utilizam outras técnicas gastronômicas.

 

 

 

 

 

 

Gut health (saúde do intestino)

Na linha da alimentação saudável, também tem sido uma tendência a gut health, que é um hábito alimentar preocupado com a saúde do intestino.

Esse tipo de alimentação tem muito a ver com a importância que o nosso intestino tem ganhado para um bom funcionamento do organismo. Afinal, existe uma preocupação crescente em manter o intestino saudável, preservando a flora intestinal.

Nesse contexto, os alimentos probióticos têm tomado conta da dieta alimentar dos brasileiros. Eles contêm organismos vivos, sendo ricos em bactérias que beneficiam a flora intestinal e contribuem para a boa absorção dos nutrientes.

Alimentos como iogurtes, leite fermentado, coalhada e queijo, ricos em probióticos, podem ser consumidos in natura ou acrescentados ao preparado de diferentes pratos.

Os iogurtes e o leite fermentado podem, por exemplo, ser usados em vitaminas de diferentes sabores — bebida que também é tendência entre as pessoas mais preocupadas com a qualidade da alimentação.

Assim, além de contribuírem para a saúde, os probióticos também auxiliam na perda de peso. E, como a busca pelo peso ideal é uma constante, os alimentos probióticos acabam sendo prioridade na alimentação de muitos brasileiros.

Hambúrgueres artesanais

Os hambúrgueres artesanais já fazem sucesso há um tempo, mas seguem sendo apreciados pela maior parte dos brasileiros.

Aqui, o “artesanal” do nome indica o uso de ingredientes de qualidade e cuidado no preparo. Além disso, essas carnes também costumam ser de cortes especiais, bem suculentas e com sabor marcante — uma clara diferenciação entre os hambúrgueres artesanais daqueles vendidos nos tradicionais fast foods.

Picanha, costelinha, linguiça, frango, frutos do mar… e por aí vai. São várias as opções de preparo de hambúrgueres para os apreciadores de uma boa carne. Sem dúvida, um bom corte, combinado a molhos e queijos igualmente saborosos, pode conquistar a todos.

Não é a toa que as hamburguerias têm desenvolvido os chamados molhos da casa, para dar uma toque a mais e se diferenciar da concorrência! Todos costumam ter receitas difíceis de se descobrir e reproduzir, mas que fazem toda a diferença na carne.

Por outro lado, os especialistas em hambúrgueres não podem esquecer dos veganos e vegetarianos. Por isso, as carnes vegetais também têm ganhado cada vez mais espaço. Elas podem ser preparadas com soja, grão-de-bico, legumes, quinoa, dentre outros — seja como for, o segredo está no tempero. Essas carnes ficam tão saborosas que conquistam até mesmo quem não é vegetariano ou vegano!

Sabores picantes e apimentados

Os sabores mais apimentados também estão sendo bastante explorados, desde os chefes mais renomados até os cozinheiros amadores de final de semana. Essa é uma tendência de consumo que vem importada, principalmente, do México e de países asiáticos.

O que acontece é que cada pimenta tem seu sabor peculiar, harmonizando melhor com determinados alimentos. Assim, vemos diversas variedades de pimenta fazendo parte do cardápio de inúmeros restaurantes — biquinho, pimenta-do-reino, malagueta, dedo-de-moça e tabasco são alguns dos tipos mais comuns.

Por outro lado, não se utiliza só a pimenta para dar um toque mais picante aos alimentos. Temperos como gengibre, raiz forte, açafrão e páprica também vêm sendo explorados nas receitas dos grandes restaurantes.

Além disso, existe um crescente interesse em apimentar o doce. Isso mesmo! E essa combinação vai muito além do já conhecido chocolate com pimenta. A manga, por exemplo, vai muito bem com pimenta em uma deliciosa sobremesa.

Há ainda as geleias de pimenta, para acompanhar doces como mousse e panacota. São muitas as possibilidades, e vale a pena ficar de olho nessa tendência!

Snacks saudáveis

Como já falamos, a opção por uma alimentação saudável não é, necessariamente, uma novidade, já que as pessoas têm procurado se alimentar melhor há algum tempo. Até pouco tempo atrás, entretanto, parecia difícil encontrar opções de lanchinhos saudáveis nos supermercados.

Tudo era cheio de açúcar, conservantes e calorias, e quem queria se alimentar de forma mais saudável precisava fazer seu próprio snack em casa.

Hoje, felizmente, já não faltam opções no mercado para quem não quer fazer seu próprio lanche ou mesmo não tem habilidades culinárias. Chips de frutas desidratadas, caponatas de legumes, tortas integrais e biscoitos crackers de ervas são algumas das melhores receitas de lanches.

EM 2018, NOVOS COSTUMES

Resumimos em alguns tópicos o que mais nos chamou a atenção, então veja aquilo que salientamos para 2018:

Alimentos funcionais, as Superfoods

As superfoods também são chamadas de alimentos funcionais. São produtos saudáveis e ricos em nutrientes que fazem o maior sucesso. Moringa, sorgo, maca, mirtilo, quinoa, salmão, couve, kefir, coco e o brasileiro açaí, são alguns dos listados como funcionais. Nas feiras que aconteceram em Londres e Nova York, foram apresentados também produtos industrializados feitos a partir destas superfoods, como pasta de quinoa.

A grande estrela desse tipo de alimento é o matcha, feito a base de chá verde em pó. Por ser mais concentrado, as qualidades do chá verde são otimizadas.

 

Alimentação com  transparência

Saber a origem, privilegiar a agricultura local e se importar com a ética animal e vegetal, passando pela criação correta à não utilização de pesticidas e respeito do solo. Esses critérios começam a se tornar essenciais e parte fundamental da nossa alimentação. Olho nas etiquetas e interesse pela proveniência de tudo que colocamos na dispensa e na geladeira.

Cogumelos, mushroom, champignon

Graças à longa lista de benefícios (antioxidantes, vitaminas, minerais), a chaga, reishi e cordyceps começam a aparecer em forma de suplemento ou pó para incluir no café com leite ou sopas. Três variedades de cogumelos que reforçam o sistema imunitário.

 

 

 

Embalagens verdadeiras

Para unir as tendências de alimentos saudáveis e práticos, as embalagens precisam ser atualizadas.

Estão em alta os produtos em que os ingredientes da composição são naturais e compreensíveis pelo consumidor. O design das embalagens também mudou. Antigamente as certificações vinham no verso, hoje, elas vêm à vista do cliente, sobre informações como se o alimento foi geneticamente modificado, orgânico ou se contém gordura trans, por exemplo.

Flores que te quero em cores

Elas começaram a ganhar espaço nos belos pratos de chefs estrelados como decoração. Agora, a lavanda, rosa e hibisco aparecem em lattes, infusões e chás. Já a flor de sabugueiro foi eleita o ingrediente perfeito para coquetéis e bebidas gaseificadas.

Cuide sempre para usar flores livres de agrotóxicos, especiais para alimentação, não utilize flores comuns de arranjos ou floristas.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Influência árabe

Boa notícia para quem adora as especialidades árabes: receitas com influência persas, israelitas, marroquinas, sírias e libanesas conquistam nossos pratos com uma explosão de temperos (zaatar, cardamomo e harissa) aliados a outros ingredientes refrescantes como romã, pepino, hortelã e frutas secas

 

 

 

 

 

 

Os super pós

Fáceis a incorporar em bebidas (sucos e smoothies) iogurtes e saladas,

os pós de matcha, maca, espirulina e da super completa cúrcuma deixam de ser específicos dos viciados em saúde para entrarem na nossa rotina, seja no café da manhã, almoço ou jantar.

Praticidade

No ano anterior, os alimentos saudáveis foram o grande destaque. A tendência de procurar por se alimentar de forma saudável continua, mas o produto também precisa ser prático. Na onda da praticidade, uma novidade que chamou a atenção foi a sopa fria.

Elas são mais nutritivas e menos calóricas do que um suco., Orgânicas e sem aditivos, elas são vendidas em belas embalagens, como sucos, porém são salgadas, feitas de vegetais e leguminosas em geral, mas sempre com um toque de acidez, picância e frescor.

Produtos Free

Os produtos livres de glúten, lactose ou outros alergênicos foram muito presentes nas feiras.

Apesar de serem voltados para quem tem alergia ou intolerância a certos alimentos, eles ganham os consumidores comuns, que querem se alimentar de forma mais saudável. Entre os produtos há ainda os com menos carboidratos ou gorduras.

As dietas restritivas também ganham seus produtos específicos. A intenção é que seja cada vez mais fácil encontrar produtos industrializados para vegetarianos, veganos e até para os adeptos de dietas menos conhecidas como a raw food

( alimentação vegetariana no seu estado mais puro e nutritivo, crudismo, cardápio baseado em comidas cruas, não inclui alimentos industrializados e nem aquecidos a temperaturas acima de 42°).

Ainda existem várias outras tendências de consumo gastronômicas que estão aparecendo para o final de 2017 e o começo de 2018, como por exemplo a arte de preparar pratos tradicionais com corantes naturais ou artificiais.

Inclusive, essa tendência se espalhou ao ponto de termos coloridas massas, as “pastas italianas” secas ou frescas, recheadas ou não, agora é possível ver até macarrão colorido!

 

Então: vamos em frente e viva bem em 2018!

Série “Condimentos, Ervas, Especiarias e Temperos” – 2

Super Temperos que Protegem o seu corpo, e são Super Antioxidantes

Ervas e especiarias proporcionam um sabor extra e, quando combinados com outros alimentos nutritivos, realmente aumentam exponencialmente os antioxidantes naturais, os fito nutrientes e o poder anti-inflamatório dos alimentos.

Quando você adiciona sabor a suas refeições com ervas e condimentos, você reforça seu alimento sem acrescentar nenhuma caloria. Você pode transformar algo comum e sem graça em algo com um sabor verdadeiramente extraordinário e bom para seu corpo, apenas acrescentando quantidades generosas de ervas e especiarias em suas refeições.

Esses poderosos condimentos ajudam a controlar o açúcar no sangue, reduzem as inflamações, aceleram o metabolismo, ajudam na perda de gordura e reduzem o risco de câncer e doenças cardíacas.

Os benefícios dos antioxidantes contidos em especiarias incluem uma poderosa proteção contra muitas doenças graves, como câncer, doenças cardíacas, diabetes, artrite, degeneração muscular, doença de Alzheimer e envelhecimento.

Você sabia que algumas ervas e especiarias contêm uma variedade maior de alguns dos mais potentes antioxidantes do que qualquer outro alimento?

Na verdade, muitas ervas e especiarias, tem uma atividade antioxidante maior do que muitas frutas e verduras, algumas especiarias como cravo, açafrão, canela têm de 10 a 50 vezes mais antioxidantes medidos pelo valor de capacidade de absorção de oxigênio (em relação ao peso) se comparados a mirtilos, por exemplo.

Além de serem super antioxidantes, as ervas e especiarias também:

  • Ajudam na Queima de Gordura e Aumento do Metabolismo– muitas ervas e especiarias são termogênicas, ou seja, elas ajudam naturalmente a aumentar o metabolismo, em parte porque eles são nutrientes densos.
  • Ajudam a Estabilizar o Açúcar no Sangue– Algumas especiarias também são boas para regular o açúcar no sangue e controlar a insulina – Tão boas quanto alguns remédios para diabéticos! Quando seu nível de açúcar no sangue estiver controlado, você queimará mais gorduras e não vai estocar as calorias causando o excesso de peso.
  • Possuem Poderosas Propriedades Anti-inflamatórias– Estudos científicos mostram que as ervas e especiarias podem funcionar tão bem quanto ou até melhor que alguns medicamentos que combatem inflamações e sem causar os efeitos colaterais dos medicamentos.
  • Anti-bacteriano, anti-viral e anti-fúngico– Muitas ervas e temperos tem propriedades que, efetivamente, matam agentes patogênicos perigosos, como vírus, bactérias e fungos. As propriedades naturais desses alimentos atuam contra muitos micro organismos, que são resistentes a medicamentos convencionais.

Aqui estão 10 das ervas e especiarias mais potentes que você deve comer:

  1. Manjericão– O manjericão é uma erva anti-inflamatória muito eficaz com benefícios extraordinários de cura para a artrite, alergias e doenças inflamatórias do intestino, entre outros. Além disso, manjericão ajuda a matar as bactérias nocivas que causam intoxicação alimentar incluindo: Listeria, Staphylococcus e E. coli O: 157: H7.

O manjericão é também uma excelente fonte de beta-caroteno, um poderoso antioxidante que previne danos causados por radicais livres. Os radicais livres são a principal causa de doenças cardíacas, câncer e muitos outros problemas graves de saúde, assim como o envelhecimento. Por causa de sua cor verde escura, ele é uma excelente fonte de vitamina K, cálcio e magnésio, o que é muito bom para os ossos. Além de também ser uma ótima fonte de ferro, magnésio, vitamina C e potássio. Use em seus alimentos tanto o manjericão fresco quanto o seco em porções generosas para maximizar seus benefícios.

  1. Canela– Esta antiga especiaria tem um dos mais altos níveis de antioxidantes entre os temperos.

A canela é altamente eficaz em ajudar a estabilizar os níveis de açúcar no sangue, o que o torna muito eficiente para aqueles com diabetes (tipo 1 e tipo 2), apenas duas colheres de chá por dia reduz os níveis de açúcar no sangue de 20 a 30%, assim como reduz o colesterol LDL e o triglicérides. A canela também tem potentes propriedades antiinflamatórias, e ajuda a aliviar a dor e rigidez nos músculos e articulações, incluindo artrite. Além de ter um efeito positivo sobre a função cerebral. Cheirar ou mascar chiclete sabor canela, pode, eventualmente, ajudar a melhorar a memória e a atenção. Ela ainda reduz a inflamação nos vasos sanguíneos que conduz à aterosclerose e doenças do coração e tem propriedades antifúngicas e antibacterianas.

Tente colocar canela em seus smoothies, iogurte, receitas assadas saudáveis, aveia, misture com frutas, ou no seu café ou chá.

  1. Pimenta Caiena– Esta especiaria quente não só aquece seus pratos, ele aquece seu corpo e aumenta o seu metabolismo, ajudando você a queimar gordura com mais rapidez. Um estudo interessante mostrou que, quando uma pessoa consome um aperitivo com flocos de pimenta caiena, come 15% menos comida. E para aqueles que evitam a pimenta caiena porque acham que prejudica o estômago, ela, na verdade, cura os tecidos do estômago, estimula as enzimas digestivas, e ajuda a prevenir úlceras estomacais.

A pimenta caiena reduz o colesterol no sangue, os níveis de triglicérides, e diminui a formação de coágulos sanguíneos nocivos, os quais impedem ataques cardíacos e derrames. Ela é um ótimo antiinflamatório e um remédio muito eficaz para dor, combate desde dores de cabeça a artrite e dores musculares, além de melhorar o congestionamento nasal e aumentar a imunidade. Tente por a pimenta caiena em seus ovos de manhã, em sopas, guisados, chili, ou bolo de carne para aumentar o metabolismo através do tempero!

  1. Cravo da Índia– Os cravos têm um sabor único, doce e picante, mas também são um poderoso remédio natural. Eles tem fortes ingredientes anti-sépticos e germicidas que ajudam a combater infecções, aliviar problemas digestivos e as dores de artrite. Um dos benefícios mais conhecidos do cravos é o alívio de dor de dente e gengiva. Os cravos tem o maior nível de antioxidantes entre todas as especiarias.

O óleo de cravo mata as bactérias e é muito eficaz quando aplicado a arranhões, cortes, infecções fúngicas, pruridos, picadas de coceira, queimaduras, ou feridas. Cravos também aliviam problemas digestivos como gases, indigestão, náuseas e vômitos. E ainda eliminam parasitas nocivos, bactérias e fungos no aparelho digestivo. O óleo de cravo mata as bactérias e é muito eficaz quando aplicado em arranhões, cortes, infecções fúngicas, pruridos, picadas de insetos, queimaduras, ou feridas. O cheiro de cravo também ajuda a estimular a criatividade mental.

O cravo da índia pode ser um ótimo e saudável complemento para chás quentes.

  1. Cominho– O cominho é outro tempero que é especialmente rico em antioxidantes, ele é conhecido por ser especialmente bom para a digestão. Ele estimula a vesícula biliar e pâncreas a secretar enzimas e bile que quebram os alimentos em nutrientes utilizáveis pelo seu corpo. O cominho também ajuda a desintoxicar o corpo, e é altamente eficaz para doenças respiratórias, como asma e bronquite.

O cominho, assim como a canela, ajuda a manter estável os níveis de açúcar no sangue, o que significa que o cominho é ótimo para diabéticos e pré-diabéticos, e isso significa menos chance de ganho de peso e excesso de gordura corporal. O cominho tem provado que funciona tão bem quanto alguns remédios para diabéticos que são comumente usados na regulação de insulina e glicogênio. O cominho também é uma ótima fonte de ferro e vitaminas C e A e fortalece o sistema imunológico. Cominho vai muito bem no chili!

  1. Açafrão– O pigmento amarelo-laranja do açafrão, a curcumina, é o principal ingrediente ativo neste super-tempero. Os benefícios anti-inflamatórios da curcumina são comparáveis aos de medicamentos como a hidrocortisona e a medicamentos anti-inflamatórios, como Advil e Motrin. Mas, diferente dos medicamentos, o açafrão não é tóxico.

A curcumina é mais eficaz para abrandar o desenvolvimento de doença de Alzheimer do que muitos medicamentos, uma vez que diminui a inflamação e oxidação no cérebro.Este tempero também acelera o tempo de recuperação em casos de derrame.O açafrão e a sua substância ativa, a curcumina, também são altamente eficazes contra doenças como, por exemplo, as irritações no intestino, úlceras, doença de Crohn e artrite. O açafrão também melhora a função hepática, reduz a homocisteína e previne doenças cardíacas.

E o mais importante, a curcumina é uma das especiarias mais potentes anti-câncer. A curcumina e seus derivados estão sendo estudados em tratamentos alternativos contra o câncer.

Tente esse truque: Use pimenta do reino junto com açafrão pois ajuda a aumentar a absorção da curcumina do açafrão no corpo.

  1. Alecrim– O alecrim contém ingredientes ativos que são antioxidantes potentes, bem como agentes anti-inflamatórios. Ele é conhecido por melhorar a concentração, aumentar a memória e aliviar a depressão.O alecrim também fortalece o sistema imunológico, melhora a circulação, estimula a digestão e combate o câncer.

O alecrim é altamente eficaz para problemas respiratórios como asma, congestão no peito, e as infecções respiratórias. O alecrim acrescenta um delicioso sabor para carnes, além de também ajudar na digestão, estimulando a vesícula a liberar a bile. O alecrim vai proteger seu organismo contra toxinas cancerígenas nocivas e prevenir o câncer de cólon, estômago, mama e câncer de pulmão.

Curiosidade: Se você gosta de carnes grelhadas, marinar a carne horas antes em misturas líquidas que contenham alecrim e outras ervas ou temperos, isso pode ajudar a reduzir drasticamente as HCA (aminas heterocíclicas), que são compostos cancerígenos que podem se formar quando as carnes são grelhadas. Então, usar alecrim, tomilho, alho, orégano e outras especiarias para marinar as carnes antes de grelhá-las pode reduzir drasticamente quaisquer substâncias cancerígenas que normalmente se formam na carne grelhada.

Outro ponto importante da carne grelhada: Lembre-se que quanto mais bem passada a carne estiver, a maior é concentração de HCA cancerígenos podem se formar, mal passado, e ao ponto são escolhas mais saudáveis. Eu nunca entendi porque alguém iria querer arruinar um bom bife, aquecendo até torrar. Mas ei, se você é daquelas pessoas que gosta seus bifes bem passados, lembre-se que você está comendo muito mais substâncias cancerígenas do que um bife que é menos cozido, por isso certifique-se de colocar muitos antioxidantes (especiarias, chás , frutas silvestres, etc) para ajudar a combater os agentes cancerígenos extras.

Lave suas carnes de churrasco com um copo de chá gelado e sem açúcar (rico em antioxidantes) antes de assá-las e também prepare uma boa salada com muitos vegetais crus para acompanhar e fornecer os antioxidantes necessários para neutralizar o efeito das substâncias cancerígenas em seu corpo por causa da carne grelhada.

  1. Gengibre– O gengibre é muito poderoso para sua saúde! Ele contém mais de 25 antioxidantes diferentes, o que o torna extremamente eficaz no combate aos radicais livres em diferentes sistemas do corpo. O gengibre é muito conhecido pela sua capacidade de reduzir náuseas e vômitos, bem como enjôos. Na verdade, o gengibre pode até ser mais eficaz que Dramin, um dos medicamentos mais comuns usados para enjôo. E como ele não apresenta os efeitos colaterais dos remédios, é ótimo para combater as náuseas na gravidez. Estudos mostram que apenas 1 grama de gengibre antes de cirurgias é mais eficaz que a maioria da medicação padrão anti-náusea dada para a náusea e vômitos pós-cirúrgica.

É também um remédio calmante para dores de garganta causadas por gripes e resfriados por causa de suas propriedades antivirais. O gengibre também ajuda no combate a tosse e é um eficaz expectorante. Experimente um chá feito com água quente, algumas fatias de gengibre e uma pequena quantidade de mel e limão para aliviar os sintomas quando você está doente.

O gengibre é um antiinflamatório tão forte que ajuda a reduzir a dor e inchaço da artrite, além de dores musculares. O gengibre  combate o câncer, reduz o colesterol e previne os coágulos de sangue que levam a acidentes vasculares cerebrais ou doenças cardíacas. Você pode usar uma fatia de raiz de gengibre em chás quentes, as vezes, em chás gelados, e, claro, gengibre em cima do sushi!

  1. Orégano– Esta erva contém um tipo de óleo que age como anti-bacteriano, anti-fúngico e anti-viral muito potentes e ainda contém ácido rosmarínico (também encontrado no alecrim). Esse óleo tem sido utilizado para tratar desde uma enorme gama infecções bacterianas e virais até parasitas e infecções fúngicas persistentes. Embora o óleo de orégano seja mais frequentemente usado para fins medicinais, a própria erva pode fornecer muitos dos mesmos benefícios quando consumida regularmente.

O orégano também alivia inflamações internas e externas e pode oferecer alívio para alergias e dores, sem causar efeitos colaterais. O orégano possui um nível elevado de antioxidantes.

  1. Tomilho– O princípio ativo do tomilho é conhecido no tratamento de bronquite, dores de garganta, congestão no peito, laringite e asma. O tomilho é muito eficaz e, frequentemente usado como um dos ingrediente em pastilhas para a tosse e enxaguantes bucais para tratar inflamações e infecções. Ele também é eficaz como calmante para aliviar a gastrite, indigestão e cólicas.

O tomilho ajuda a prevenir o câncer, melhorar a memória, tratar a doença de Alzheimer, acalmar os nervos e aliviar a depressão, pesadelos e insônia. Uma nova descoberta interessante sobre tomilho mostra que, na verdade, ele aumenta a quantidade de DHA (um ingrediente importante em ácidos graxos ômega 3) no cérebro, coração e células renais.

Abaixo estão alguns outros benefícios para a saúde de algumas das mais populares ervas e especiarias:

  • Alecrim, açafrão, gengibre e manjericão são poderosos antiinflamatórios.
  • Cominho, açafrão e sálvia ajudam a combater a demência.
  • Pimenta caiena, cominho, coentro e canela ajudam a regular a insulina e os níveis de açúcar no sangue, auxiliando a perda de gordura.
  • Capim-limão, noz-moscada, louro e açafrão têm efeitos calmantes.
  • Alho, semente de mostarda e chicória são excelentes para o coração.
  • Manjericão e tomilho ajudam a sua pele a ficar mais macia e suave.
  • Alho, manjericão, canela, tomilho, açafrão e gengibre impulsionam o sistema imunológico.
  • Coentro, alecrim, pimenta caiena, pimenta da Jamaica e pimenta preta podem ajudar a combater a depressão.

Adicione um pouco de tempero em sua vida e desfrute de todos esses super benefícios para a sua saúde!

Nota: Sempre verifique com seu médico para ter certeza de que certas ervas e especiarias não vão interferir nos medicamentos que você possa estar tomando, e nunca pare com os seus medicamentos atuais sem antes consultar o seu médico.