Alimentos na Ceia de Ano Novo – tradição, simbologias, simpatias, sortilégios!

Qual o significado dos alimentos de ano novo, o que significam as comidas de Reveillon, suas tradições e simbologia, que são passadas de pais para filhos, que são trazidas de outros países e  culturas, e sua perfeita integração com a riqueza da culinária brasileira?

Arroz, grãos, aves, peixes, frutas, vinhos, espumantes e champanhe, quantas delicias existem numa ceia de Ano Novo, comumente chamada de Ceia de  Reveillon?

Na maior parte das civilizações, o marco da passagem dos anos é uma data sempre a ser celebrada, mesmo que estas possam ser comemoradas em datas diferentes e em caráter cíclico: um novo ano, com novas oportunidades e novos acontecimentos.

No caso do Ano Novo ocidental, a festa também é conhecida pelo nome de Réveillon.

O termo é originado do verbo réveiller e que, traduzido do francês tem o significado de despertar. O evento acontece em 1º de janeiro, mas sua comemoração começa na véspera e segue diferentes ritos, que variam de acordo com as culturas.

No Brasil, há o hábito de vestir-se de branco e adotar simpatias para garantir sorte e prosperidade para o novo ano.

O que comer na ceia de Ano Novo?

O Ano Novo representa uma época de finalizações e de renovação de esperanças. Sendo data de comemoração, quando os alimentos sempre estão presentes, nas tradicionais ceias. Nessas ocasiões, alguns desses alimentos costumam ser consumidos para a sorte, proteção e para o amor. Entenda melhor sobre eles e saiba escolher o seu cardápio durante as festas.

A começar pela fartura, pela imensa quantidade de comida que geralmente encontramos à mesa nessa ceia, que reflete não só um momento de abundância e felicidade, mas o desejo de que as mesmas se repitam em todo o ano que está por vir.

Os pratos servidos também têm seus significados e tradições. Eles variam de acordo com o país e cultura. A ceia de Ano Novo traz, em sua comida e sua forma de servir, muitos significados, vamos explicar o que consumir e o que não comer na noite de ano novo, na tradicional Ceia de Reveillon realizada na noite da virada do dia 31 de dezembro para o dia 1º de janeiro.

Abaixo, uma lista de comidas de ano novo, os alimentos que são servidos na ceias, ou que carregam alguma significação na passagem do ano:

  • ARROZ

O arroz é um alimento praticamente mundial. Sua cor representa a divindade. O consumo desse alimento ainda simboliza riqueza, abundância e fertilidade. Vem daí o costume de jogar arroz nas noivas

Na Coréia, no Japão, no Líbano e na Dinamarca acreditam que esse é um alimento que traz muita sorte. O Líbano tem ainda uma outra curiosidade, é costume desse povo comer apenas alimentos brancos na noite da passagem do ano.

  • CHAMPANHE, ESPUMANTES, VINHOS FRISANTES

Essas bebidas também são feitas com uvas, são bebidas que não podem faltar na ceia e no brinde de Ano Novo.

Como é feito a partir da uva, atrai sorte. Além disso, é a bebida da celebração da vida, da alegria e por isso atrai felicidade. Existe o costume de tomar 3 goles de champanhe e para cada um fazer um pedido.

Saúde!
Saúde!

 

O champanhe “verdadeiro” é originário de uma região da França, e sua pureza e qualidade são reconhecidas no mundo todo. O único problema é que essa é uma bebida cara, mas você pode substituí-la por espumantes nacionais ou importados, de quase igual qualidade e mais baratos.

 

 

  • CORDEIRO

O cordeiro é um animal muito tradicional das ceias de Natal e Ano Novo, consumido há milhares de anos, é um animal muito apreciado no Oriente e aos poucos vem conquistando seu espaço na mesa dos brasileiros, se você não gosta é por que não experimentou, ou se já comeu e não gostou é por que não foi bem preparado, sendo assim, neste fim de ano inove sua ceia e coloque o cordeiro no cardápio e surpreenda seus convidados.

  • FIGO: Atrai saúde, paz e harmonia.

Existem registros de que a fruta era enaltecida por gregos e romanos, que atribuíam ao deus Dionísio ou Baco a introdução do figo e da uva “para a alegria e riqueza da humanidade”. Também no Antigo e no Novo Testamento existem várias passagens alusivas à figueira, considerada um símbolo de paz e de harmonia.

Com tantas referências históricas, sabe-se também que há muito tempo atrás a figueira já era cultivada nas regiões semi-áridas do sudoeste da Ásia, pelos povos do deserto, tendo sido introduzida no Egito, na Grécia e na Itália quase mil anos antes de Cristo.

Com a expansão do mundo árabe, a figueira foi também levada para a Península Ibérica, estabelecendo-se na Espanha e em Portugal.

Foi assim, com toda a sua história e mistérios, que as primeiras figueiras chegaram às terras brasileiras já no século 16.figos

O figo, aquele conjunto carnoso avermelhado e completamente comestível, é erroneamente identificado como o “fruto da figueira”. No entanto, todo esse conjunto não passa de uma inflorescência denominada “sícone”. Ou seja, o figo propriamente dito nada mais é do que o receptáculo carnoso em cujo interior encontram-se os verdadeiros frutos: as minúsculas sementinhas que permanecem envolvidas pelos restos das flores da figueira, que formam a polpa carnuda.

  • LENTILHAS

A lentilha é sinal de boa sorte, principalmente para os italianos.

É utilizada para trazer fartura à mesa. A origem desta superstição é italiana e foi trazida para o Brasil pelos imigrantes. Dizem que 1 colher de sopa é suficiente para assegurar um ano inteiro de muita fartura.

No Brasil e no Chile, algumas pessoas acreditam que a lentilha deve ser a primeira coisa a ser consumida na ceia, logo após a meia-noite, para que não falte dinheiro durante o ano que está chegando. Grãos, como por exemplo a a lentilha, se assemelham a moedas.

lentilhaQuem quer atrair riqueza não pode deixar de consumir lentilha, essa preciosa leguminosa (diferente de “legumes”, as leguminosas são feijões, lentilha, soja e grão de bico). Acredita-se que as pequenas sementes, circulares e achatadas são como moedas e atraem boa sorte no âmbito financeiro. .Aliás, a lentilha é tão rica em fibras solúveis, que devia ser mais consumida no ano inteiro e não somente agora.

  • LOURO

Espalhar folhas de louro pela mesa é um costume antigo vindo da tradição greco-romana por simbolizar sucesso e vitória. Guardar 3 folhas de louro na carteira é garantia de sucesso e reconhecimento!

O Louro, proveniente do Mediterrâneo, era símbolo de vitória para atletas e heróis nacionais durante a Roma Antiga. Este hábito perdura até hoje, quando levamos as folhas de louro na carteira, como símbolo de boa sorte!

  • MAÇÃ

À meia-noite, dê uma mordida numa maça bem vermelha, que simboliza sucesso e longevidade..maca

A maçã é tão antiga quanto a história da humanidade. Nas regiões temperadas, a macieira é cultivada há muitos milênios. Segundo alguns pesquisadores, as primeiras macieiras surgiram há 25 mil anos, em algum ponto entre o Cáucaso e o leste da China. Outras investigações indicam que as espécies atuais existem desde o término da era glacial, há 20 mil anos. Na Antiguidade, a participação da maçã na vida do homem pode ser verificada por inúmeras histórias, lendas e em mitos provenientes de distintas civilizações de locais muito distantes. Até os dias de hoje não se sabe ao certo quando e onde se originou a macieira, e qual ou quais foram as espécies silvestres que deram origem à maçã contemporânea, cujas variedades são atualmente conhecidas.

A macieira é talvez a primeira árvore a ser cultivada pelo ser humano, e seu fruto tem sido melhorado por seleção natural ao longo dos anos. Atribui-se a Alexandre, o Grande o crédito de encontrar maçãs anãs na Ásia Menor em 300 A.C., e de levá-las para a Macedônia. Maçãs de inverno, colhidas no final do outono e estocadas no frio foram uma importante fonte alimentar na Ásia e na Europa durante milênios.

Segundo o pesquisador Dehais, a maçã é considerada nativa da região limitada ao norte pelas montanhas do Cáucaso meridional, ao sul pela parte norte do Irã, ao leste pelo mar Cáspio e a oeste pela região de Trevisonda, na Turquia, sobre o mar Negro. Nesses limites, atualmente estão os países Geórgia, Azerbaijão e Armênia, o norte do Irã e o leste da Turquia. As maçãs se difundiram pela Europa com facilidade por causa de sua adaptabilidade a diferentes climas, adotando, em sua viagem pelo planeta, diferentes cores, formas, sabores e histórias, pois essa fruta tem um valor simbólico grande.

Egito, China, índia, Grécia, Israel e Roma revelam a presença da maçã em diferentes fontes documentais. A arqueologia mostra que na Idade da Pedra, na Europa Central, consumiam-se maçãs frescas e secas ao sol. Nos primeiros registros escritos egípcios e chineses, a fruta aparece mencionada. É sabido que há 8.500 anos maçãs já cresciam e eram consumidas em Jerico, cidade próxima do rio Jordão, na Palestina, considerada a cidade mais antiga do mundo (partes da cidade datam de 11 mil anos), o que indica que a presença da maçã é quase tão antiga quanto os primeiros assentamentos humanos.

Em algumas regiões, na Antiguidade, as maçãs eram destinadas à nobreza, e eram sobremesa já há 4.500 anos. A maçã já era cultivada em 300 A.C. pelos fenícios e cartagineses. Os hititas, sabidamente, consumiam maçãs, assim como os acádios, já que uma múmia encontrada no cemitério real de Ur havia sido sepultada com diversos itens, dentre eles um prato com fatias de maçã. Na bíblia, no código de Manu (século V a.C), na história das plantas do grego Teophrastus (300 A.C.) e em obras de botânica feitas por romanos (Marco Terencio e Plínio Caio) também há referência à maçã, mostrando a difusão da fruta por essas regiões.

Na Idade Média, a maçã, notadamente a silvestre, era cultivada e consumida pelas classes sociais mais altas. O cultivo era reservado para monastérios e para a nobreza, feito em lugares isolados como pântanos drenados ou ladeiras de colinas. Já no século XVI, os médicos indicavam consumir maçãs cozidas e temperadas, por considerarem-na uma fruta muito úmida e fria. Durante o século XVII, foi utilizada pelos camponeses europeus para fazer sidra, uma bebida. Chegou ao Novo Mundo pelos colonizadores europeus, mas há informações de se haver encontrado evidências dessa fruta em ruínas de colônias vikings na Groenlândia e no Canadá, datadas de mais de 400 anos antes do descobrimento da América por Colombo. A maçã foi uma importante fonte alimentícia em todos os tipos de climas frios. E a espécie de fruto, com exceção dos cítricos, que pode ser conservada durante mais tempo sem perda de suas propriedades nutritivas.

  • MELANCIA

Atrai prosperidade, devido a sua grande quantidade de água e sementes, e a capacidade de muitos frutos, acredita-se que a melancia é símbolo de vida, fartura  e renovação.melancia

A melancia é originária das regiões secas da África tropical e do Sul da Ásia, embora seja encontrada na Índia uma grande diversidade dessa espécie, o que acabou gerando uma controvérsia sobre sua real origem. A domesticação ocorreu na África Central onde a melancia é cultivada há mais de 5000 anos. No Egito e no Médio Oriente é cultivada há mais de 4000 anos. A cultura foi introduzida na China no séc. X. Por volta do séc. X o seu cultivo era documentado na Córdoba árabe e no séc. XIII já era cultivada em diversas regiões da Europa. A cultura foi introduzida na América no séc XVI e no Brasil foi trazida por negros de origem Banto e Sudanês,  no processo de escravidão. Por ser adaptável, é tão resistente que se dispersou sem problemas por quase todo o mundo, é hoje, a segunda fruta mais produzida no planeta, depois da banana.

Considerada uma fruta que funciona como sobremesa refrescante, nas regiões áridas de África são utilizados como fonte de água desde tempos imemoriais. As sementes são muito consumidas em diversas regiões da Ásia. Na Índia faz-se pão de farinha de semente de melancia; no Médio Oriente comem-se as sementes assadas; na China selecionaram-se cultivos com sementes grandes.

Tem propriedades hidratantes (contém cerca de 90% de água). Além disso, possui também açúcar, vitaminas do Complexo B e sais minerais, como cálcio, fósforo e ferro.

Pode ser consumida in natura, ou ainda elaborada em pratos doces (sorvetes, sucos, mousses, saladas de frutas, doce em calda) ou salgados (saladas, contrastando com sabores do camarão, temperada com hortelã, mangericão, ou então harmonizando sabores com seus primos melão, abóbora e pepino).

  • NOZES, AVELÃS, CASTANHAS E TÂMARAS

Elas foram trazidas pelos imigrantes de origem árabe e são recomendadas para garantir fartura.

As “nuts” (nozes,castanhas em geral e, ate frutas secas,em inglês) atualmente estão sendo utilizadas como petisco saudável, como uma pequena porção antes das duas  principais refeições, e veja  se a  fome não vai diminuir na hora de “atacar” o prato principal.frutas-oleaginosas

A arte de secar  frutas para consumi-las durante o inverno surgiu na Europa , durante o Império Romano. Ricas em açúcares, na época , eram utilizadas  por viajantes e soldados para repor as energias.

As frutas  desidratadas são submetidas a  processos de secagem natural, exposição ao Sol ou artificial, câmaras de ar,vapor ,estufas ou fornos, sendo que não perdem muitas  de suas propriedades nutricionais.    As fibras, minerais e açúcares permanecem preservados e ficam muito  mais  concentrados, daí o forte sabor adocicado e aroma.

  • PEIXES

É a única carne obrigatória ( porque é muito saudável) que devemos comer na ceia de ano novo, também porque o peixe é o simbolo dos milagres de Cristo. Na verdade, peixe em grego é ICHTUS, que é também a junção das iniciais de Iesus Christus Theos Uios Soter, que em português significa Jesus Cristo, filho de Deus, o Salvador. Come-se peixe, portanto, para pedir a proteção do Cristo durante o ano que está chegando. E por que é bom para a saúde! Muitas culturas acreditam que os peixes trazem boas vibrações. Os japoneses acreditam que eles são um símbolo de fertilidade por conta de sua capacidade de produzir toneladas de ovos. Os suecos também comemoram a virada do ano com uma abundância de frutos do mar, incluindo pratos em conserva.

  • PORCO –  LEITÃO

O porco está sempre andando e fuçando para frente e, por isso, é visto como um animal de prosperidade.

Além disso, seu alto teor de gordura nos remete à fartura e à riqueza. No interior existe um velho ditado que diz que todo animal que faz xixi para trás empurra o dono para frente, sendo assim o porco é a melhor opção, ou o tender assado.

  • ROMÃ

A romã é símbolo de fartura e fertilidade, é uma planta mágica cultuada em antigas tradições do oriente por ter poderes de atrair riquezas para quem a cultiva.

Ela é uma fruta que tem muitas sementes, que simbolizam o nascimento e a abundância.roma

A romã está associada às paixões e à fecundidade. A árvore era consagrada à Afrodite, deusa da fertilidade. Para os judeus, a romã é um símbolo religioso com profundo significado: no ritual do ano novo, acreditam que o ano que chega sempre será melhor do que aquele que vai embora. Sugiro como uma linda decoração e para ser apreciada, pois é rica em vitamina C, fortalecendo a defesa natural do corpo.

No Brasil, a tradição manda que se segure três sementes dessa fruta nos dentes à meia-noite, pedindo dinheiro para o ano seguinte.

Serve para atrair dinheiro. Coma a fruta, guardando sete sementes na carteira.

As sementes devem ser guardadas durante todo o ano, dentro da carteira e envolto em papel branco. Se você tem um quintal ou um espaço disponível plante uma romanzeira, cuide dela e ela trará fortuna para sua casa.

  • TRIGO (RAMOS): O trigo simboliza a fartura, a abundância e o desabrochar de todas as possibilidades, devendo estar presente na mesa de ano novo e durante todo o ano. Para comer, tenha um tipo de pão com trigo na mesa de ano novo, divida o pão com as mãos e ofereça a cada convidado, desejando que nunca falte o alimento para todos, com fartura e abundância.trigo
  • UVAS

A uva é a fruta mais conhecida por trazer boa sorte no Ano Novo. A uva garante prosperidade e fartura de alimentos, para isso é necessário comer 12 uvas, ou seja, uma para cada mês do ano. Aproveite e faça um pedido para cada uma que comer.Elas também podem garantir dinheiro: guarde as sementes na carteira ou na bolsa, até a troca do próximo Ano-Novo.

Na Espanha, as pessoas têm costume de comer 12 uvas à meia-noite, uma para cada batida do relógio. O objetivo é comê-las antes do início do novo ano. Alguns acreditam que a doçura de cada uva prevê como cada mês será. Por exemplo, se a terceira uva é amarga, março pode ser um mês difícil. A tradição começou em 1909, quando houve uma grande produção da fruta no país. Acredite ou não nessa superstição, coma do mesmo jeito, pois uvas fornecem glicose, fibras e água, além de matar bem a vontade de comer um doce…

  • VINHO

O vinho é feito de uvas, que por si só já carregam uma significação positiva e otimista. Na passagem do ano, faça um brinde ao ano que nasce e beba o vinho em copos de cristal.

Observações:

AVES

Passe longe de frango, peru, faisão ou qualquer tipo de ave se quer ter algum sucesso no ano que vem! As aves ciscam para trás e, para os supersticiosos, isso indica retrocessos e atraso de vida, na dúvida, opte por outros tipos de carnes.

FRUTAS COM ESPINHOS

Não tenha na mesa frutas com espinhos, segundo a crença os espinhos significam sofrimento, dificuldades e entraves.