Série Sopas 3: quentes no inverno e frias no verão!

Como estamos seguindo com o assunto de sopas, vejam as publicações anteriores neste blog,  sobre Sopas, cremes e caldos, e na sequencia na Série Sopas 1 e Série Sopas 2 , quando já  falamos sobre este alimento considerado, junto com o pão, a primeira refeição completa da história da humanidade.

Agora vamos tratar de outro aspecto, a versatilidade, tanto para climas frios quanto quente, deste alimento considerado completo por muitos nutricionistas e profissionais que cuidam da saúde e bem estar.

SOPAS QUENTES PARA CLIMA FRIOS

Consideradas muito aconchegantes para espantar os dias frios, as sopas são pratos fáceis de fazer, nutritivas e acalentam o “corpo e a alma”. Em diversas regiões do Brasil, o inverno é rigoroso. Com suas baixas temperaturas, ainda mais à noite, eventos, jantares e confraternizações ficam mais reconfortantes com pratos bem quentes e saudáveis.

Abaixo algumas receitas para você preparar:

Sopa cremosa de cebola gratinada

Ingredientes:

2 colheres de sopa de azeite

2 colheres de sopa de manteiga

4 cebolas fatiadas

1 litro de água

2-3 colheres de sopa de amido de milho

1 xícara de chá de leite

2 pães italianos redondos

queijo parmesão ralado

sal e noz-moscada ralada, caldo de legumes em pó

Cebolinha picada

 Modo de preparo:

Em uma panela, aqueça o azeite e a manteiga e refogue a cebola até que fique translúcida. Acrescente o caldo de legumes em  pó dissolvido na água e cozinhe.

Junte o amido de milho dissolvido no leite, o sal, a noz-moscada ralada ( ao gosto)e cozinhe até engrossar, mexendo sempre. Corte a tampa dos pães e retire o miolo. Despeje o creme dentro dos pães, coloque um pouco parmesão ralado por cima e leve ao forno até gratinar;

Retire, decore com cebolinha picada e sirva.

Sopa de grão-de-bico com linguiça e legumes

Ingredientes:

2 xícaras de chá de grão-de-bico (deixado de molho por 3 horas)

4 colheres de sopa de azeite de oliva

300 g de linguiça  cortada em meias rodelas

1 cebola picada; 2 dentes de alho picados

1 talo de salsão picado; 1 tomate picado

2 batatas cortadas em cubo; 1 cenoura em rodelas

1 colher de café de cominho; 1 cubo de caldo de carne

2 litros de água

sal a gosto, Cheiro-Verde

páprica picante, noz-moscada em pó

Modo de preparo:

Em uma panela de pressão, aqueça o azeite e frite a linguiça. Reserve esta linguiça para o final do preparo.

Na mesma panela, refogue a cebola, o alho, o salsão e o tomate com o cominho. Acrescente a água com o caldo de carne, o grão-de-bico escorrido e cozinhe em fogo baixo por 15 minutos, depois que a panela começar a chiar desligue e espere a pressão sair antes de abrir.

Coloque metade do grão-de-bico com o caldo em um liquidificador e bata até formar um creme, transfira o creme para a panela, adicione sal, páprica, noz-moscada, as batatas e as cenouras e cozinhe até que estejam macias.

Desligue, junte a linguiça, decore com cheiro-verde e sirva.

 

 

 

Sopa  de brócoli, palmito e bacon

Ingredientes:

3 colheres de sopa de manteiga

1 cebola picada; 2 dentes de alho amassados

4 xícaras de chá de brócolis cozido e picado

300 g de palmito em conserva picado

1 cubo de caldo de legumes

1 litro de leite

2 colheres de sopa de farinha de trigo

200 g de creme de leite

1 xícara de chá de bacon frito cortado em cubos

Sal e pimenta-do-reino à gosto

Modo de preparo:

Em uma panela, derreta a manteiga e refogue a cebola e o alho. Acrescente 3 xícaras do brócolis, 200 g do palmito, o caldo de legumes e cozinhe por cerca de 5 minutos. Transfira para um liquidificador, adicione o leite e a farinha e bata até obter um creme homogêneo.

Volte a mistura para a panela, acrescente o restante do brócoli e do palmito, coloque o creme de leite, sal, pimenta e cozinhe até engrossar. Desligue e decore com o bacon em cubos.

SOPAS FRIAS PARA CLIMA QUENTE

Sempre lembradas como prato para as estações mais frias do ano, como o inverno, a tradicional iguaria gastronômica também se encaixa perfeitamente aos dias quentes. As “sopas frias”, além de bem saborosas, possuem muitos nutrientes importantes e essenciais para a saúde, sobretudo em dietas que exigem poucas calorias.

Para uma sopa fria não basta esperar que uma sopa comum esfrie, pois nem todas as sopas quentes servem para servir dessa forma. Elas são adequadas para o verão justamente por suas composições delicadas e refrescantes. Além desses aspectos interessantes, essas receitas são de fácil digestão, entre outras vantagens:

– Sopas frias são excelentes opções para os dias quentes, pois além de nutritivas, auxiliam na hidratação do corpo e ajudam a refrescar. Elas também podem ser feitas com frutas que acrescentam importantes fontes de fibras, vitaminas e minerais à alimentação.

Sugerimos algumas  receitas para refrescar seu dia e manter a saúde, confira:

Sopa fria de batata e alho poró

Ingredientes:

2 batatas grandes em cubos

1 talo de alho-poró, 1 colher de sopa de azeite, sal e pimenta à gosto, 1 pitada de noz-moscada

1 xícara de chá de creme de leite light

2 xícaras de água quente, cebolinha picada para decorar.

Modo de preparo:

Em uma panela, refogue o alho-poró com o azeite até ficar macio. Acrescente água, sal, pimenta, batatas e cozinhe até que as batatas fiquem macias. Retire do fogo, deixe esfriar e bata no liquidificador. Em uma tigela, coloque a mistura batida, noz-moscada e metade do creme de leite, misturando bem. Leve para geladeira para que fique gelado, retire e coloque o resto do creme de leite. Salpique cebolinha picada e sirva.

Sopa de cenoura e gengibre

Ingredientes:

3 cenouras médias, 1 batata pequena

gengibre ralado à gosto, 1 litro de água, sal à gosto.

Modo de preparo:

Cozinhe a cenoura e a batata na água com sal até ficarem bem macias. Deixe amornar e bata no liquidificador com o gengibre ralado. Leve à geladeira por aproximadamente 2 ou 3 horas. Sirva bem gelada.

Gazpacho de tomate

Ingredientes:

2 dentes de alho médios sem os brotos internos, 1 pepino grande descascado e picado

1/2 pimentão vermelho sem sementes e picado, 1/2 cebola grande, 5 tomates bem maduros

1/2 colher de chá azeite, 1/2 colher de chá de orégano, 4 colheres de sopa de vinagre de maçã

400 ml de água gelada, sal à gosto

Modo de preparo:

Retire os brotos dos dentes de alho cortando-os ao meio no sentido do comprimento. Bata todos os ingredientes no liquidificador, completando com água para que a sopa não fique muito grossa, e sirva gelada.

 

Sopa de bergamota e salsão

Ingredientes:

1/2 tomate italiano em cubos, pimenta dedo-de-moça picada

1 talo salsão picado em cubos (deixe um talo inteiro para decorar)

500 ml de suco de bergamota

Modo de preparo:

Coloque no fogo o suco de bergamota e espere reduzir por 20 minutos, até conseguir uma textura espessa. Misture a pimenta e leve à geladeira por 2 horas.

Corte o tomate e o salsão e coloque numa taça nesta ordem: o tomate, o suco de tangerina e, no final, o salsão em cubos. Decore com o talo de salsão e sirva em seguida.

Tendências na Gastronomia 2018

Aproximando-se o final de 2017, vamos fazer uma avaliação do que já postamos aqui no Colher de Pau no ano passado sobre as influências gastronômicas para este ano e também uma previsão do que teremos como tendências para 2018, quais os hábitos de gastronomia e alimentação, já que importamos muitas coisas que são vanguarda em outros países, e agora também exportamos produtos nossos, brasileiros, como o açaí, que está caindo no gosto de consumidores europeus. As novidades chegam cada vez mais rápido ao mercado brasileiro, é fundamental estar atento!

As informações chegam até nós, consumidores brasileiros, de fontes reconhecidas no mercado mundial de alimentos, são elas:

em Londres,  a IFE – The International Food & Drink Event, é uma feira bianual, que nesta edição de 2017, apresentou as  17 principais tendências do mercado de foodservice europeu para o Biênio 2017/2018;

em Nova York, a  Summer Fancy Food Show, feira que acontece anualmente, é a maior feira de alimentos e bebidas especiais da América do Norte, tendo como objetivo unir produtores, distribuidores e importadores de diversos países do chamado “fancy food sector”, é uma das principais portas de entrada para o mercado norte-americano de alimentos gourmet, regionais, orgânicos e naturais;

e a rede norte-americana Whole Foods Market, templo da alimentação saudável, que divulga e lista as tendências em nutrição para o próximo ano de 2018. Ela apresenta produtos que podem estar nas prateleiras dos supermercados e na mesa dos restaurantes brasileiros nos próximos meses.

Continue nos lendo/acompanhando e conheça as tendências de consumo em gastronomia para 2018!

Os artigos produzidos pelos organizadores da IFE, nos apontam que há dezessete tendências de comportamento na gastronomia que dão origem a mais de cem sub-tendências. Listamos abaixo:

Ageing (maturação): Carne maturada é algo conhecido. A mesma técnica passa a ser aplicada para frangos, peixe e mesmo manteiga.

American Tropics: Cores fortes, motivos florais e sabores marcantes tem sido utilizados pelos chefs para diferenciar seus estilos. Sabores das ilhas do Pacífico, ‘tiki’ havaiano e uma nova onda de sanduiches cubanos e mexicanos, além de “Jamaican Jerk” (carne seca com especiarias – inicialmente bovina, mas agora aplicada a aves e pescados também).

Carbs are Back: (a volta dos carboidratos): Inovações nas massas e pães estão trazendo estes dois produtos de volta para a mesa.

Chili knowledge: grande paixão por comidas extremamente apimentadas.

Craft spirits(bebidas artesanais): Já aconteceu com as cervejas, mas agora também as bebidas destiladas estão experimentando um boom. Como em outras áreas da gastronomia , os consumidores estão exigindo bebidas que sejam mais autênticas e menos industriais. Bebidas artesanais também são mais facilmente consumidas sem a associação típica do álcool com os seus efeitos colaterais e com sua conotação negativa.

Dude Food 2.0 (comida gordurosa, pesada, com muita carne): este tipo de comida tem sofrido uma modificação importante. Mantem suas características principais de ser uma comida farta, mas vem ganhando cada vez mais vegetais e legumes.

Eating at home: Você pode ter tudo que seu coração deseja com mínimo esforço no conforto da sua casa com a enorme variedade de serviços de delivery de refeições personalizadas. Delivery continua em crescimento.

Faux Food: (comida imaginária) Nada é o que parece ser! Os chefes estão cada vez mais desbravando as fronteiras da comida que parece ser uma coisa, mas é outra. Isto é feito através de imitações criativas de carnes que confundem os sentidos.

Foodie Chefs at Home: a chegada de equipamentos de cozinha de alta tecnologia e acessíveis e a proliferação de programas de culinária na TV alavancou o interesse por cozinhar em casa, o que possibilita o acesso a pratos com qualidade profissional, se você tiver um pouco de prática.

Gut health (saúde do intestino): Cada vez mais a saúde dos seus intestinos é reconhecida como fundamental para a manutenção da sua saúde em geral, o que significa que muitos consumidores estão prestando atenção ao que comem. Este interesse tem aumentado o consumo de probióticos, comida fermentada e enzimas digestivas (da mesma forma que é crescente a aversão a produtos que podem irritar o intestino).

Nootropics: Esta é a última palavra no campo da gastronomia funcional, cultivada por consumidores que querem melhorar sua aparência e sua saúde. Este tipo de comida promete tornar as pessoas mais inteligentes – ou, pelo menos, proteger e aprimorar suas funções cerebrais. Tem grande aceitação entre os executivos do Vale do Silício e entre as pessoas preocupadas com os efeitos degenerativos da idade.

Second Life Re-Cycled: Ampliação da utilização de alimentos anteriormente desperdiçados para a criação de novos produtos.

Spotlight on Minerals (foco nos minerais): em geral as vitaminas ganham todo o destaque, mas os minerais estão crescendo em importância. Nosso estilo de vida é cheio de tensões e stress, o que acaba reduzindo o nível de minerais necessário à manutenção de uma boa saúde.

Striking Colour Palette: tendência crescente de alterar a cor de alimentos tradicionais através do uso de corantes naturais e artificiais.

The Sober Scene: Não é preciso beber muito para beber bem e ter uma noite agradável. Cada vez mais as pessoas dispensam bebidas alcoólicas, o que abriu caminho para o surgimento de coquetéis sem álcool. Os barmens usam as mesmas técnicas complexas para criar estes novos coquetéis, que não tem os efeitos colaterais do álcool.

Vegan: Chega de comidas chatas e estranhas. A culinária vegana está na moda. Certamente não há nada de chato nas novas tendências das opções veganas.

Warm Spice and Sweet Heat: Gosto por comidas picantes, há um a preferência crescente por algo mais equilibrado e sutil. Gengibre, pimenta, raiz forte, açafrão, wasabi e chilli estão ganhando importância e equilibrando“heat” (potência) com doçura.

CONSERVE ESSES HÁBITOS

Daquilo que tratamos para o início de 2017, continua em alta:

Aproveitamento total de ingredientes

As tendências da reciclagem e da sustentabilidade já fazem parte de muitos aspectos das nossas vidas — como a decoração de interiores, que, muitas vezes, transforma coisas velhas em novos objetos para decorar casas e apartamentos. E, nessa linha, chegou agora a gastronomia sustentável.

Se, até pouco tempo, reutilizar ingredientes era uma coisa mal vista e parecia impossível aproveitar todas as partes dos alimentos, Hoje, inúmeros pratos podem ser feitos com talos e cascas de vegetais, por exemplo. Até sobras de preparos anteriores podem ser reutilizadas para fazer novas delícias, como os sempre gostosos arancinos (é um produto tradicional da culinária da ilha da Sicília, na Itália, trata-se de um bolinho, ou pastel de arroz frito, com um diâmetro entre 8 e 10 cm, recheado com um molho de carne picada).

A ordem do momento é não desperdiçar! Assim, além de estimular a criatividade na cozinha, a gastronomia sustentável faz bem para o meio ambiente e para a saúde. Afinal, aproveitar a totalidade dos alimentos só contribui para a absorção mais completa dos nutrientes. No caso das frutas, por exemplo, já é sabido que a maior parte do seu valor nutricional está na casca.

Bebidas artesanais

Essa tendência surgiu com as cervejas artesanais, um mercado que se expandiu rapidamente no Brasil, angariando muitos adeptos e mesmo fãs. Tanto que, hoje, o consumo de bebidas artesanais está até nos destilados e em bebidas sem álcool.

A realidade é que cada vez mais as pessoas procuram alimentos e bebidas mais autênticas e menos artificiais. Afinal, elas possuem muito mais sabor e mais possibilidades de harmonização com a comida. Logo, investir nisso é uma excelente opção para acompanhar o cardápio de pratos do seu restaurante!

Bowls saudáveis

A opção por uma alimentação saudável não é, necessariamente, uma tendência nova, já que muitas pessoas têm tido essa preocupação com a adoção de hábitos mais saudáveis nos últimos anos, começando pelos alimentos que ingerem.

São inúmeras as opções de refeições que podem ser montadas nas tigelas, os bowls (tigelas, em português) saudáveis, e, se feitas com acompanhamento de um nutricionista, elas podem conter todos os nutrientes necessários, tornando-se uma refeição completa.

Além de elas serem super saudáveis, outra das vantagens dos bowls é a sua combinação harmoniosa, que cativa também pela aparência. São tigelas com um grande potencial fotográfico — a típica comida que nos faz “comer com os olhos”.

Os bowls estão tão em alta que já há derivações, ou seja, diferentes maneiras de você montar o seu bowl saudável. Veja alguns exemplos:

buddha bowl: uma tigela colorida e muito nutritiva, a buddha bowl combina verduras, grãos e sementes, finalizada com um molho também nutritivo, como tahine, de limão ou iogurte;

smoothie bowl: como o próprio nome diz, esse bowl é feito com uma vitamina. A base são bananas congeladas, que dão uma consistência mais cremosa, para se comer com colher. Por isso, é uma vitamina na tigela, e não em um copo;

bowl de lanche: é possível também preparar bowls com lanchinhos saudáveis para aproveitar ao longo do dia, nos intervalos das refeições, como um mix de sementes oleaginosas com iogurte, por exemplo.

Enfim, os bowls saudáveis são uma ótima opção para quem utiliza marmitas, e também uma tendência para os restaurantes!

Comidas veganas

Os veganos são pessoas que não consomem, na medida do possível e praticável, nenhum produto de origem animal ou que tenha sido testado em animais. Assim, a alimentação vegana bane do cardápio, além da carne, ovos, leite e derivados e qualquer outro alimento que tenha origem animal, como o mel.

De fato, o veganismo não para de crescer mundo afora. Pesquisas indicam que ele cresce 40% ao ano no Brasil, e estima-se que já são quase 5 milhões de adeptos desse movimento em nosso país. Não é à toa que, recentemente, foi inaugurado em São Paulo o primeiro açougue vegano do Brasil!

E, como investe bastante nos temperos e na diversidade de pratos que se pode fazer com um único ingrediente, a alimentação vegana acaba atraindo também os não veganos. Com sabores bem marcantes e alimentos bem temperados, esses pratos agradam a qualquer um.

Diante de tantos adeptos, é importante que os restaurantes estejam atentos a esse público, já que, com uma alimentação restrita, eles estão sempre buscando novas opções que possam atendê-los.

Um bom restaurante vegano costuma ter clientes fiéis. Por outro lado, as marcas e restaurantes que não têm nenhuma opção vegana em seu cardápio precisam repensar seus modelos de negócio e começar a atender também às necessidades desse nicho.

Cozimento a vácuo

Seguindo a mesma filosofia que foi sucesso no ano passado, a do slow (slow food e slow cook), agora vemos despontar a tendência de cozinhar a vácuo.

Se, antes, para um cozimento mais lento, utilizava-se principalmente a crock-pot — a panela elétrica apropriada para slow cook —, hoje o método a vácuo utiliza de um saco plástico, onde o alimento é selado a vácuo e cozido por um longo tempo, em uma temperatura mais baixa do que se utiliza nos métodos tradicionais de preparo.

Um dos principais benefícios de adotar essa tendência é que o alimento conserva muito melhor o seu sabor e a sua textura. Assim, é mais saboroso do que quando se utilizam outras técnicas gastronômicas.

 

 

 

 

 

 

Gut health (saúde do intestino)

Na linha da alimentação saudável, também tem sido uma tendência a gut health, que é um hábito alimentar preocupado com a saúde do intestino.

Esse tipo de alimentação tem muito a ver com a importância que o nosso intestino tem ganhado para um bom funcionamento do organismo. Afinal, existe uma preocupação crescente em manter o intestino saudável, preservando a flora intestinal.

Nesse contexto, os alimentos probióticos têm tomado conta da dieta alimentar dos brasileiros. Eles contêm organismos vivos, sendo ricos em bactérias que beneficiam a flora intestinal e contribuem para a boa absorção dos nutrientes.

Alimentos como iogurtes, leite fermentado, coalhada e queijo, ricos em probióticos, podem ser consumidos in natura ou acrescentados ao preparado de diferentes pratos.

Os iogurtes e o leite fermentado podem, por exemplo, ser usados em vitaminas de diferentes sabores — bebida que também é tendência entre as pessoas mais preocupadas com a qualidade da alimentação.

Assim, além de contribuírem para a saúde, os probióticos também auxiliam na perda de peso. E, como a busca pelo peso ideal é uma constante, os alimentos probióticos acabam sendo prioridade na alimentação de muitos brasileiros.

Hambúrgueres artesanais

Os hambúrgueres artesanais já fazem sucesso há um tempo, mas seguem sendo apreciados pela maior parte dos brasileiros.

Aqui, o “artesanal” do nome indica o uso de ingredientes de qualidade e cuidado no preparo. Além disso, essas carnes também costumam ser de cortes especiais, bem suculentas e com sabor marcante — uma clara diferenciação entre os hambúrgueres artesanais daqueles vendidos nos tradicionais fast foods.

Picanha, costelinha, linguiça, frango, frutos do mar… e por aí vai. São várias as opções de preparo de hambúrgueres para os apreciadores de uma boa carne. Sem dúvida, um bom corte, combinado a molhos e queijos igualmente saborosos, pode conquistar a todos.

Não é a toa que as hamburguerias têm desenvolvido os chamados molhos da casa, para dar uma toque a mais e se diferenciar da concorrência! Todos costumam ter receitas difíceis de se descobrir e reproduzir, mas que fazem toda a diferença na carne.

Por outro lado, os especialistas em hambúrgueres não podem esquecer dos veganos e vegetarianos. Por isso, as carnes vegetais também têm ganhado cada vez mais espaço. Elas podem ser preparadas com soja, grão-de-bico, legumes, quinoa, dentre outros — seja como for, o segredo está no tempero. Essas carnes ficam tão saborosas que conquistam até mesmo quem não é vegetariano ou vegano!

Sabores picantes e apimentados

Os sabores mais apimentados também estão sendo bastante explorados, desde os chefes mais renomados até os cozinheiros amadores de final de semana. Essa é uma tendência de consumo que vem importada, principalmente, do México e de países asiáticos.

O que acontece é que cada pimenta tem seu sabor peculiar, harmonizando melhor com determinados alimentos. Assim, vemos diversas variedades de pimenta fazendo parte do cardápio de inúmeros restaurantes — biquinho, pimenta-do-reino, malagueta, dedo-de-moça e tabasco são alguns dos tipos mais comuns.

Por outro lado, não se utiliza só a pimenta para dar um toque mais picante aos alimentos. Temperos como gengibre, raiz forte, açafrão e páprica também vêm sendo explorados nas receitas dos grandes restaurantes.

Além disso, existe um crescente interesse em apimentar o doce. Isso mesmo! E essa combinação vai muito além do já conhecido chocolate com pimenta. A manga, por exemplo, vai muito bem com pimenta em uma deliciosa sobremesa.

Há ainda as geleias de pimenta, para acompanhar doces como mousse e panacota. São muitas as possibilidades, e vale a pena ficar de olho nessa tendência!

Snacks saudáveis

Como já falamos, a opção por uma alimentação saudável não é, necessariamente, uma novidade, já que as pessoas têm procurado se alimentar melhor há algum tempo. Até pouco tempo atrás, entretanto, parecia difícil encontrar opções de lanchinhos saudáveis nos supermercados.

Tudo era cheio de açúcar, conservantes e calorias, e quem queria se alimentar de forma mais saudável precisava fazer seu próprio snack em casa.

Hoje, felizmente, já não faltam opções no mercado para quem não quer fazer seu próprio lanche ou mesmo não tem habilidades culinárias. Chips de frutas desidratadas, caponatas de legumes, tortas integrais e biscoitos crackers de ervas são algumas das melhores receitas de lanches.

EM 2018, NOVOS COSTUMES

Resumimos em alguns tópicos o que mais nos chamou a atenção, então veja aquilo que salientamos para 2018:

Alimentos funcionais, as Superfoods

As superfoods também são chamadas de alimentos funcionais. São produtos saudáveis e ricos em nutrientes que fazem o maior sucesso. Moringa, sorgo, maca, mirtilo, quinoa, salmão, couve, kefir, coco e o brasileiro açaí, são alguns dos listados como funcionais. Nas feiras que aconteceram em Londres e Nova York, foram apresentados também produtos industrializados feitos a partir destas superfoods, como pasta de quinoa.

A grande estrela desse tipo de alimento é o matcha, feito a base de chá verde em pó. Por ser mais concentrado, as qualidades do chá verde são otimizadas.

 

Alimentação com  transparência

Saber a origem, privilegiar a agricultura local e se importar com a ética animal e vegetal, passando pela criação correta à não utilização de pesticidas e respeito do solo. Esses critérios começam a se tornar essenciais e parte fundamental da nossa alimentação. Olho nas etiquetas e interesse pela proveniência de tudo que colocamos na dispensa e na geladeira.

Cogumelos, mushroom, champignon

Graças à longa lista de benefícios (antioxidantes, vitaminas, minerais), a chaga, reishi e cordyceps começam a aparecer em forma de suplemento ou pó para incluir no café com leite ou sopas. Três variedades de cogumelos que reforçam o sistema imunitário.

 

 

 

Embalagens verdadeiras

Para unir as tendências de alimentos saudáveis e práticos, as embalagens precisam ser atualizadas.

Estão em alta os produtos em que os ingredientes da composição são naturais e compreensíveis pelo consumidor. O design das embalagens também mudou. Antigamente as certificações vinham no verso, hoje, elas vêm à vista do cliente, sobre informações como se o alimento foi geneticamente modificado, orgânico ou se contém gordura trans, por exemplo.

Flores que te quero em cores

Elas começaram a ganhar espaço nos belos pratos de chefs estrelados como decoração. Agora, a lavanda, rosa e hibisco aparecem em lattes, infusões e chás. Já a flor de sabugueiro foi eleita o ingrediente perfeito para coquetéis e bebidas gaseificadas.

Cuide sempre para usar flores livres de agrotóxicos, especiais para alimentação, não utilize flores comuns de arranjos ou floristas.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Influência árabe

Boa notícia para quem adora as especialidades árabes: receitas com influência persas, israelitas, marroquinas, sírias e libanesas conquistam nossos pratos com uma explosão de temperos (zaatar, cardamomo e harissa) aliados a outros ingredientes refrescantes como romã, pepino, hortelã e frutas secas

 

 

 

 

 

 

Os super pós

Fáceis a incorporar em bebidas (sucos e smoothies) iogurtes e saladas,

os pós de matcha, maca, espirulina e da super completa cúrcuma deixam de ser específicos dos viciados em saúde para entrarem na nossa rotina, seja no café da manhã, almoço ou jantar.

Praticidade

No ano anterior, os alimentos saudáveis foram o grande destaque. A tendência de procurar por se alimentar de forma saudável continua, mas o produto também precisa ser prático. Na onda da praticidade, uma novidade que chamou a atenção foi a sopa fria.

Elas são mais nutritivas e menos calóricas do que um suco., Orgânicas e sem aditivos, elas são vendidas em belas embalagens, como sucos, porém são salgadas, feitas de vegetais e leguminosas em geral, mas sempre com um toque de acidez, picância e frescor.

Produtos Free

Os produtos livres de glúten, lactose ou outros alergênicos foram muito presentes nas feiras.

Apesar de serem voltados para quem tem alergia ou intolerância a certos alimentos, eles ganham os consumidores comuns, que querem se alimentar de forma mais saudável. Entre os produtos há ainda os com menos carboidratos ou gorduras.

As dietas restritivas também ganham seus produtos específicos. A intenção é que seja cada vez mais fácil encontrar produtos industrializados para vegetarianos, veganos e até para os adeptos de dietas menos conhecidas como a raw food

( alimentação vegetariana no seu estado mais puro e nutritivo, crudismo, cardápio baseado em comidas cruas, não inclui alimentos industrializados e nem aquecidos a temperaturas acima de 42°).

Ainda existem várias outras tendências de consumo gastronômicas que estão aparecendo para o final de 2017 e o começo de 2018, como por exemplo a arte de preparar pratos tradicionais com corantes naturais ou artificiais.

Inclusive, essa tendência se espalhou ao ponto de termos coloridas massas, as “pastas italianas” secas ou frescas, recheadas ou não, agora é possível ver até macarrão colorido!

 

Então: vamos em frente e viva bem em 2018!